A LIDERANÇA SE VESTE DE VERDE!

 

Com a derrota do Inter, o Palmeiras se mantém no topo da tabela! Mas apesar da excelente fase, Cuca não se ilude! E sabe que além de bom futebol dentro de campo, é preciso estar atento aos detalhes fora dele.

 

Foto: reprodução internet

A vitória convincente em cima do Santa Cruz no sábado passado, trouxe ao torcedor palmeirense, aquela euforia de quem quer ser campeão.

E não é pra menos. O time tem mostrado crescimento na qualidade do futebol apresentado dentro de campo. Além dos resultados positivos, o Alviverde tem conseguido manter a estabilidade tão cobrada nos últimos anos e vai se configurando como um dos favoritos ao título brasileiro.

Mas no auge de sua experiência consolidada, o técnico Cuca está muito longe de se sentir eufórico. Ele não se ilude. E sabe que ainda é preciso muito trabalho para se manter entre os quatro da ponta e quem sabe brigar pelo título.

Se a estratégia dentro de campo tem funcionado muito bem e o time vai conseguindo criar uma excelência na dinâmica de jogo, alguns aspectos extra campo, preocupam o treinador. O comandante do Verdão expressou seu cuidado com o estado físico do elenco. A agenda do Brasileiro é intensa e os jogadores chegam a correr cerca de 12 km por jogo, maratona que resulta em exaustão física. E nesse cenário, o risco de lesões aumenta.

Além disso, com a antecipação do próximo confronto de quarta para Terça, em virtude de um evento no Allianz Parque, o time, que jogou no sábado, precisou treinar no domingo.

Para evitar possíveis desfalques e comprometer o entrosamento da equipe, Cuca preparou um treino visando à regeneração muscular dos titulares e apenas os reservas fizeram treino de campo.

Mas ao contrário do que se pode pensar, esse cuidado não se configura como o famoso "apagar incêndio", tão comum em algumas administrações. Isso é parte integrante do bom trabalho do executado na academia, que inclui planejamento e potencialização do banco de reservas.

Diferente da escassez de possibilidades que se via antes, hoje o comandante pode contar com um banco de reservas que dá conta do recado.

Desde que chegou, Cuca deixou claro que só entrará em campo, o atleta que estiver bem fisicamente e tem insistido nisso, pedindo aos jogadores, transparência na comunicação junto ao departamento médico.

O "jeito Cuca de ser" inclui além de uma matemática que soma pontos, leitura inteligente de jogo e intuição incrível na hora de fazer substituições, uma flexibilidade no que diz respeito à posição dos jogadores em campo.

Ele consegue fazer emergir neles o melhor, independente da posição em que joguem. Ao abrir mão da rigidez, o professor ensina o elenco a ampliar suas habilidades e ao mesmo tempo tem nas mãos, um time de "curingas" à sua disposição.

Tem dado certo. O torcedor não tem do que reclamar e se acostumou a ver volante virar lateral e zagueiro marcar gol.

Para enfrentar o América de Minas, amanhã em jogo válido pela décima rodada do campeonato, o técnico pode poupar alguns titulares, mas não por achar que o jogo é fácil, mas pela certeza de que o time inteiro precisa está preparado para "a dureza do prélio".

Os vinte e três convocados são: Goleiros: Fernando Prass e Vagner

Laterais: Egídio, Fabiano e Zé Roberto Zagueiros: Edu Dracena, Thiago Martins e Vitor Hugo Volantes: Jean, Matheus Sales e Thiago Santos

Meias: Cleiton Xavier, Fabrício, Moisés, Vitinho e Tchê Tchê

Atacantes: Cristaldo, Dudu, Erik, Gabriel Jesus, Luan, Rafael Marques e Róger Guedes. Destaque para a volta de Thiago Martins na zaga.

Então que todo o elenco possa comprar a ideia de Cuca e encarnar a famosa e antiga frase “um por todos e todos por um” e entrar em campo com a consciência de agora o Palmeiras não depende de um jogador bom, de uma estrela, mas de uma equipe que funciona bem, em qualquer situação.

Que venham os mineiros. Que venha muito mais. Avanti Palestra!


por Alê Moitas