A primeira das 38 batalhas

O Bugre voltou a jogar a Série B depois de quatro anos e estreou com o pé direito. Vencemos a primeira das 38 batalhas.

guaranixbrasil01_ehcbPmM.jpg
Guarani larga com vitória na Série B (Foto: Rafael Fernandes/Guarani Press)

Na noite desta sexta-feira (12), o Guarani enfrentou o Brasil de Pelotas em seus domínios, mas sem a presença da torcida, já que a partida foi com portões fechados.

Com uma atuação impressionante, o time apresentou um futebol de muita intensidade sufocando a equipe de Pelotas. Com praticamente as mesmas peças que disputaram a Série A2 do Paulista no primeiro semestre, havendo apenas uma mudança com a entrada de Claudinho, o Guarani parecia mais motivado, mais aguerrido. Não diria que uma partida perfeita, é claro que tem muita coisa a ser aperfeiçoada, mas a defesa segurou tudo e o ataque muito oportunista. Leandro Santos operou defesas incríveis, Jussani e Genilson parecem ter se encaixado, a dupla de zaga “zaguerou”. Lenon voltou a ter confiança no seu bom futebol (e digo mais, tem um dos melhores números de desempenho do elenco), Bruno Souza entrou no lugar de Gilton logo no início do jogo e apesar da pouca idade, deu conta do recado pelo lado esquerdo. Auremir foi um leão em campo, estava em todas as bolas. Evandro deu um toque especial nos avanços ao ataque. Bruno Nazário, irreverente, chamou a responsabilidade, acho que ganhamos mais um torcedor dentro de campo. Fumagalli, a presença dele é sempre importante, ditou o ritmo em algumas jogadas. Claudinho teve uma partida técnica muito importante, tanto que foi elogiado por Vadão. E ele, Eliandro, sempre no local certo e na hora exata. Tivemos ainda uma pequena demonstração do futebol dos recém contratados Juninho e Caíque, e o que deu para perceber é que são jogadores leves e velozes. Vão brigar por vaga na equipe.

“É uma pena a torcida não estar aqui. O time teve uma postura que quando era para jogar, jogou e quando marcou, marcou com garra que contagia. É dessa forma que vamos trazer o torcedor de volta, com confiança e apoio que sempre precisamos”, completou Vadão.

34590675306_af7342291a_o_Q7tC7RW.jpg

Vadão valorizou o resultado positivo do Guarani na estreia da Série B (Foto: Rafael Fernandes/Guarani Press)

OS GOLS

O primeiro gol do alviverde saiu logo aos 7’ do primeiro tempo. Gilton deu um chutão para frente e a bola encontrou Eliandro que saiu na cara do gol, o atacante teve a frieza e mandou no fundo da rede do goleiro Eduardo Martini. Depois do gol, a equipe do Brasil de Pelotas bem que tentou o empate, mas o Bugre continuou dominando a partida. Na volta para o segundo tempo, logo na primeira jogada de perigo, aos 8’, o Guarani ampliou o marcador. Eliandro, o matador, mais uma vez resolveu. Fumagalli tocou para Claudinho que só escorou para Eliandro bater, a bola tocou na zaga e foi parar no fundo do gol. Eduardo Martini, batido, nada pode fazer. Com o resultado favorável, a equipe bugrina conseguiu administrar bem o jogo. Leandro Santos, muito acionado, fez alguns milagres, um deles a queima-roupa. E quando sua defesa não foi necessária, contou com a trave.

Ficha Técnica

Guarani x Brasil de Pelotas

Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas

Arbitragem: Alisson Sidnei Furtado, Cipriano da Silva Sousa e Fernando Gomes da Silva

Gols: Eliandro aos 7′ do 1º T e aos 8′ do 2ºT

Cartões Amarelos: João Afonso (BRA), Bruno Souza (GUA)

Público: 0 (portões fechados)

Guarani Futebol Clube: Leandro Santos; Lenon, Genilson, Jussani e Gilton (Bruno Souza); Evandro, Auremir, Bruno Nazário, Fumagalli (Juninho) e Claudinho; Eliandro (Caíque). Técnico: Oswaldo Alvarez.

Grêmio Esportivo Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Eder Sciola, Teco, Evaldo e Marlon; Leandro Leite, João Afonso, Nem (Elias) e Juninho (Rafinha); Bruno Lopes e Rodrigo Silva (Gustavo Pappa). Técnico: Rogério Zimmermann.

 

 

Tuas cores para sempre hei de amar.

Por Fernanda Martins.