A vitória do Tricolorzinho em meio à vergonha!

Neste domingo (17), no estádio Francisco Ribeiro Nogueira – Nogueirão, em Mogi das Cruzes, o Tricolorzinho enfrentou e venceu por 4x0, a equipe do Rondonópolis – MT, às 19h30min (horário de Brasília), pela Copa São Paulo de Futebol Júnior 2016. Com a vaga já assegurada nas quartas de final, o São Paulo entrou em campo para decidir o time que enfrentaria na próxima fase. Ganhando o jogo, o adversário seria o Flamengo-RJ. Perdendo, pegaria pela frente o América-MG.

Aos 27 minutos da etapa inicial, um pênalti foi marcado para o São Paulo. Luiz Araújo bateu a cobrança duas vezes, pois a primeira foi anulada por invasão e o árbitro mandou voltar. 1x0 para o Tricolor! Dez minutos depois, aos 37, Pedro ampliou o placar num chute cruzado, após passe de Araújo para o atacante.

Fonte: https://media2.saopaulofc.net

E os nomes da noite já estavam marcados pra brilhar em campo. Aos 38 e 40 minutos do segundo tempo, Murilo deu o passe para Luiz Araújo, e Gabriel cruzou para Pedro, que completaram o placar. São Paulo 4x0 Rondonópolis! Boa atuação dos jogadores do Tricolorzinho, que com a vitória, enfrentará o Flamengo-RJ nas quartas de final, na quarta-feira (20), com horário ainda não definido, e ainda colaborou para que o Bahia pudesse seguir em frente na competição. Segundo o regulamento da Copinha, o time eliminado de melhor campanha se classifica. Sendo assim, a equipe baiana jogará contra o América-MG na próxima fase.

Mas como é sabido por muitos, o jogo em Mogi das Cruzes não teve só momentos de alegria e festa. A partida também foi palco de uma briga generalizada, entre “parte” da torcida do São Paulo e policiais da Guarda Municipal, que faziam a segurança no estádio. Pelas imagens que circulam, os policiais estavam em menor número quando a confusão começou, e os mesmos ficaram acuados com o número de torcedores que foram pra cima com barras de ferro e outros objetos, e precisaram se proteger entrando por uma porta que dá acesso ao local. Há algumas versões quanto ao início da briga.

Fonte: https://s2.glbimg.com

Aqueles que estavam lá, ou que acompanharam os canais de notícias e redes sociais, sabem bem a “parte” da torcida citada em todas as matérias e reportagens. Essa ‘minoria’ manchou a festa que poderia ter acontecido por conta da vitória do São Paulo dentro de campo, com jogadores que fizeram o que lhes tinha sido proposto: vencer!

Alguns torcedores presentes chegaram a passar mal, e outros que estavam até em família, com mulheres, crianças e idosos, repudiaram a atitude. Muitos foram embora do estádio antes mesmo de acabar a partida, visando uma maior segurança, caso um novo confronto viesse a ocorrer.

Fonte: https://s2.glbimg.com

A Federação Paulista de Futebol lamentou o ocorrido, e ao que tudo indica, parece já ter começado a apurar os fatos. O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, também mostrou-se indignado com a atitude, em entrevista concedida hoje (18) no CCT da Barra Funda, antes da apresentação oficial do zagueiro uruguaio, Diego Lugano.

Até quando os torcedores que vão aos estádios apenas para torcer, gritar e incentivar seus times, precisarão passar por situações iguais ou parecidas com essa? Até quando os torcedores que vão aos estádios por amor aos seus clubes, se sentirão acuados e com medo, por simplesmente estarem no lugar certo, mas na hora errada?

A briga generalizada de ontem não foi a primeira, e muito menos será a última. Mas é preciso que atitudes em relação à violência e falta de segurança sejam tomadas, para que isso não se torne um hábito nos locais de realização das partidas, seja dentro de campo, ou fora do estádio. E principalmente, é preciso uma conscientização por parte de todos os envolvidos na “festa das arquibancadas”!

Por Renata Chagas