A VOZ DO CAMPEÃO – A HISTÓRIA DO BAHIA, DA VIDA REAL PARA O PALCO

 

Às sextas-feiras, de 14 de julho a 11 de agosto, serão especiais para os tricolores baianos. O retorno da peça “A Voz do Campeão – A História do Bahia”, com direção de Edvard Passos; texto de João Alfredo Reis e Edvard Passos. O contexto é baseado na história e conquistas do tricolor de aço, relatada de forma apaixonada.

 


 

O elenco conta com atores tricolores de diversas gerações, que narram do ponto de vista de quem vive a história do time, com adrenalina, amor, radinho no ouvido sem perder nenhum lance, sorrindo ou sofrendo, mas sempre confiando no triunfo do tricolor. Agnaldo Lopes, Alan Miranda, Daniel Farias, Leandro Villa e Talis Castro são as peças fundamentais para este espetáculo.

 

 

O diretor-autor Edvard Passos inicia falando sobre a fundação do Clube em 01 de Janeiro de 1931, após 1 ano da extinção de alguns times baianos e a junção de jogadores desempregados de dois times: Associação Atlética da Bahia e Bahiano de Tennis, que eram rivais, mas se juntaram para formar o Esporte Clube Bahia, que ainda era chamado de Baianinho. No inicio, jogavam com a camisa de um time e o calção do outro, até que entraram em consenso e resolveram homenagear o Estado e firmaram as cores: vermelho, azul e branco.

Eram ótimos jogadores, que só precisavam de oportunidade, que outros times não davam a eles. Com isso, o novo Tricolor Baiano já começou as competições ganhando e levando taças em cima de times, que na época eram os melhores da região, o Ypiranga era seu maior rival, que infelizmente ao longo do tempo foi decaindo no campeonato. Foi decretado o slogan tricolor: “Nascido para vencer” e assim, por longos anos o Bahia deu trabalho para times, considerados os melhores do Brasil, tendo seu primeiro título nacional, em cima do Glorioso Santos de Pelé e sua ótima equipe.

 

Aqui é um pequeno resumo da História do Campeão, os tricolores apaixonados não podem perder esta oportunidade. Eu assisti na 1ª edição, em 2011, foi de arrepiar e sai chorando, emocionada, me vendo naquela época. Vale a pena assistir.

Essa nova edição estará em cartaz de 14 de julho a 11 de agosto (Sextas-feiras), sempre às 20h00, no Teatro Jorge Amado – Pituba. Ingressos custarão R$ 50 (Inteira) | R$ 25 (Meia) – para estudantes e sócios.

 

Por Thamires Barbosa