19 anos depois, relembre como foi o eterno 7x2

 


(Foto: divulgação)

 

Com Evandro, Ricardo Lopes e Leandro Amaral, a Portuguesa entrou para a história do futebol em 20 de setembro de 1998. No Pacaembu, a rubro-verde enfrentou o São Paulo pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro e conseguiu o feito de golear o mandante por 7 a 2.

É isso mesmo que você leu. Se hoje à Lusa beira a falência e joga a série D, no passado desbancava grandes clubes do cenário nacional e formava excelentes jogadores.

A situação das duas equipes era bem diferente. A Portuguesa estava na luta para conseguir o título e o tricolor estava apenas um ponto acima da zona de rebaixamento.

Dá até para imaginar o sofrimento do goleiro Roger, ao ver o ataque lusitano 'dançando' em campo e o São Paulo bem próximo da ruína. Teve até gol feito do meio de campo por Ricardo Lopes.

A lista dos gols da partida forma um grande parágrafo, mas vamos lá: Emerson, aos 23, César, aos 26, Leandro, aos 29, e Carlinhos, aos 31 do primeiro tempo; Evandro, aos 22, Ricardo Lopes, aos 24, e Da Silva, 44 do segundo. O tricolor fez apenas dois gols com Serginho, de pênalti, aos 33, e Marcelinho Paraíba, aos 35 do segundo tempo.

Vale lembrar que no mesmo ano do clássico, o São Paulo foi campeão paulista. A Portuguesa quase chegou lá, se não tivesse sido roubada (descaradamente) na semifinal pelo árbitro Javier Castrilli, fato que é comentado até os dias de hoje.

 

Não se lembra da escalação? Vou refrescar sua memória:

 

SÃO PAULO: Roger Noronha; Bordon, Rogério Pinheiro, Zé Carlos e Serginho; Alexandre, Fabiano, Sidnei (Souza) e Carlos Miguel; Dodô (Marcelinho Paraíba) e França. Técnico: Nelsinho Baptista.

PORTUGUESA: Fabiano; Ricardo Lopes, César, Emerson e Augusto; Alex Lopes, Carlinhos, Evandro e Alexandre (Cesinha); Leandro Amaral (Ailton) e Evair (Da Silva). Técnico: Candinho.

 

Assista aos melhores momentos da partida com narração de José Silvério (Jovem Pan):

https://www.youtube.com/watch?v=0avontqA90M

 

Será muito difícil e, arrisco dizer, quase impossível, reviver esses grandes momentos da Portuguesa. Na série A-2 do Paulista e na D do Brasileirão, o que nos resta é lembrar com saudade da época que os jogadores honravam o manto lusitano.

 

De rubro-verde para rubro-verde, Thaís Santos.