2017, ano de mudanças na Copa Bridgestone Libertadores

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), no final de 2016 decidiu reformular a principal competição organizada pela entidade. Ao invés de serem seis meses de competição, o torneio passará a se estender até novembro, tentado assim se igualar ao calendário europeu. Mas essa, é só uma das mudanças da Libertadores 2017.


(Imagem extraída da internet )

Por quê essa reformulação? Se deu ao fato do futebol Sul-americano ter passado por diversos escândalos, como corrupção e irregularidades no último mundial. Com isso, a Conmebol se mexeu para mudar essa imagem de entidade corrupta, que só visa seus lucros e nada mais. Criou-se então o novo modelo inspirado na Champions League, com maior duração e mais clubes na disputa.
 
Na 58ª edição, o torneio passará a ocorrer de 23 de janeiro a 29 de novembro, passando a ter 42 semanas e não 27 como a anterior. Houve também o acréscimo de mais seis vagas, duas para o Brasil, e apenas uma para os times Argentinos, Chilenos e Colombianos.
 
A participação do México ficou inviável, o calendário do país não permitia a entrada de times, é a primeira vez desde 1998 que não teremos a presença de times mexicanos. Com essa desistência, Conmebol decidiu ampliar mais uma vez o número de times para a competição de 44 para 47, criando assim mais uma fase preliminar com os clube de Bolívia, Peru, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela.
 
A Copa Sul-Americana, que também é organizada pela entidade, também terá alterações. A disputa começará dois meses antes, início em junho e final em dezembro. Além disso, dez clubes que não se avançarem às oitavas da Libertadores seguirão na Copa Sul-Americana, algo que também acontece na Europa com os times eliminados na Champions que vão disputar a Liga Europa. Mesmo com todas essas 'coincidências' com o modelo europeu, o presidente da Conmebol fez questão de ressaltar que "O calendário anual busca superar os desafios do futebol sul-americano e potencializar as qualidades, não imitar".
   
Com as novas regras, as vagas para Copa Libertadores foi dividida assim:
 
(Conmebol/Divulgação)
 
Outra mudança que gerou polêmica foi a decisão que que a final seria disputada em uma única partida e não em jogos de ida e volta, voltando ao padrão europeu, que tem seus jogos da final em campo neutro, com escolha de estádio aleatório. Mas essa decisão não foi adiante e o jogo da final será disputada em dois jogos, ida e volta.
 

Os interesses que rondam a nova decisão


Os times que atuam nas Américas contam com 2 Confederações, A Conmebol e a Concacaf (Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe). "Porque só a América é dividida em duas confederações e todos os outros continentes são unidos? O Brasil ganhou mais duas vagas na Libertadores porque paga a conta da competição. É o único grande mercado da América do Sul e, com a impossibilidade de participação de times mexicanos, a situação fica ainda pior". disse Trengrouse professor da FGV, especialista em direito, gestão e marketing esportivo e candidato à presidência do Fluminense. Para ele a única forma do futebol das Américas se fortalecer é com a junção das Confederações por um único propósito, o reconhecimento do nosso futebol!
 
Um dos representantes brasileiros na reunião na sede da Conmebol para implementação das mudanças na Libertadores foi o presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno. Ele falou que as alterações precisarão de apenas três datas a mais no Brasil e explicou por que vê como positivas as novas diretrizes. "Entendo que as mudanças são saudáveis para o futebol, principalmente o brasileiro. Teremos uma maior competitividade no nosso campeonato, maior visibilidade e maior rentabilidade", disse.
 

Colunista também opina

 
Como vimos, isso ainda vai dar "muito pano pra manga"! Os escândalos de corrupção só foi uma, de tantas provas de que nosso futebol está as traças. Nosso campeonato é um dos mais disputados do mundo, e quem assiste? Infelizmente, poucos pelo mundo. Ainda existe um monopólio sobre os direitos de imagem, sim, em pleno século 21.

Aqui está e sempre esteve a melhor safra de jogadores no futebol mundial. A janela de transferências que abre no meio do ano, pode por desestruturar muitos times que seguem na Libertadores, será que nossos clubes estão capacitados para dizer ''não'', e seguir em busca da maior competição do continente? Espero que seja a melhor Libertadores de todos os tempos, nossos clubes e torcedores contam os dias para ter o prazer de assistir e presenciar um jogo dessa magnitude.

Copiar não, se espelhar sim, principalmente na seriedade e na transparência da Champions League. Até por que a Libertadores é feita unicamente pelo sangue latino e isso só nos temos !
 
Por: Ingrid Souza