25 PONTINHOS, SERÁ QUE DÁ?

Finalmente uma vitória, uma alegria para o torcedor alviverde, um pouco tarde pra recuperar a má fase, mas o importante é comemorar. 

É a segunda vitória da Chapecoense dentro de casa, isso mesmo, durante o Brasileirão todo, a equipe catarinense venceu apenas duas vezes, sendo que a última havia sido há três meses atrás contra a equipe do Avaí. 

A Chapecoense agora soma 25 pontos na tabela, 10 pontos de diferença para o primeiro time fora do Z4 e esta sem dúvidas é a pior campanha do time catarinense na história da série A, não é a toa que está praticamente com os dois pés na série B de 2020.

Alguns torcedores já estão conformados que a realidade do próximo ano será na série B, porém alguns poucos esperançosos ainda acreditam num milagre aos 45 do segundo tempo. De acordo com a matemática do campeonato, o Verdão do Oeste ainda teria chances de se manter na elite do futebol nacional, porém precisa vencer as 5 próximas partidas no campeonato, o que convenhamos, é bem difícil, já que fizeram uma péssima campanha durante o ano todo.

 

C:\Users\AnaCarolina\Documents\Bluetooth Folder\facebook_1574078764159.jpg

(Foto: Márcio Cunha/ACF/Divulgação/Chapecoense/Facebook)

 

Informações técnicas:

A partida aconteceu no domingo, 17 de novembro de 2019, às 18h (horário de Brasília), contra a equipe do Ceará, na Arena Condá em Chapecó, SC; e foi válida pela trigésima terceira rodada do Campeonato Brasileiro 2019.

A Chapecoense entrou em campo com: João Ricardo; Renato (substituído aos vinte e quatro minutos do primeiro tempo para a entrada de Eduardo), Douglas, Amaral (cartão amarelo aos quarenta e sete minutos do segundo tempo) e Bruno Pacheco (cartão amarelo aos quatorze minutos do primeiro tempo); Márcio Araújo, Vinicius (substituído aos vinte e oito minutos do segundo tempo para a entrada de Arthur Gomes), Henrique Almeida, Camilo (substituído aos treze minutos do segundo tempo para a entrada de Campanharo) e Roberto; e Everaldo.

A arbitragem foi de Rodolpho Toski Marques (PR), dos assistentes Bruno Boschilia (PR) e Luciano Roggenbaum (PR), e o arbitro de vídeo Adriano Milczvski (PR).

 

Sobre a partida:

Não foi um jogo emocionante, nem mesmo um jogo bonito de se ver, mas teve gol e é isso que importa. No início do primeiro tempo as equipes entraram com força total, na tentativa de intimidar o adversário, mas até a metade do primeiro tempo, já não agüentavam nem o próprio peso; o ritmo de jogo caiu muito e a qualidade também, quem teve as melhores oportunidades no primeiro tempo foi a equipe visitante, mas João Ricardo fechou o gol e a primeira etapa terminou empatada em zero a zero.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo que terminou o primeiro. Foi um jogo lento, onde a bola ficou mais tempo parada que rolando em campo, com muitas faltas, sem muitos lances emocionantes. A equipe do Ceará teve a maior posse de bola durante o jogo, atacava no contra ataque, mas não soube aproveitar as oportunidades que teve, e o torcedor alviverde agradece.

O único gol da partida saiu aos 37 minutos do segundo tempo, quando o torcedor Chapecoense já se conformava com mais um empate. Em uma jogada que começou nos pés de Bruno Pacheco, Everaldo recebeu a bola, driblou o adversário, invadiu a área e chutou no canto esquerdo do goleiro adversário. Chapecoense 1 a 0. O que se seguiu foi os donos da casa na defesa para não deixar mais uma vitória escapar, e assim terminou a partida; Chapecoense segue na luta, apesar do quase decretado rebaixamento.


 

Somos mais que 11... Somos #CHAPE

Ana Carolina Teixeira