4 anos do 6x1

E hoje faz quatro anos daquele jogo que seria um dos mais comemorados e que qualquer cruzeirense jamais esqueceria.

superesportes.com

Domingo, 4 de dezembro de 2011, Arena do Jacaré em Sete Lagoas/ MG, fim de um ano ruim para a equipe celeste que tinha um dos “piores” times da história, lutava contra o rebaixamento, e na última rodada do campeonato enfrentaria seu maior rival, tudo parecia dar errado o Cruzeiro não contaria com dois de seus principais jogadores, Montillo e Fábio, e uma simples derrota colocaria o time azul na serie B.

O time celeste colocou mais de 18 mil cruzeirenses na Arena que antes do apito inicial, se juntaram para rezar um “Pai Nosso” e mostrar o apoio ao time, naquele dia todo tipo de superstição era bem vinda, e a esperança do cruzeirense jamais morreu , e alias, é algo inexplicável, e mesmo que todos pensassem que não havia chances, o cruzeirense sabia que nada era impossível e que enquanto tiver um de nós de pé, haverá guerra.

globoesporte.com

Marcelo de Lima Henrique apita o inicio da partida e mais de 8 milhões de corações disparam, nervos ficam à flor da pele, um mix de sentimentos consomem cada um dos torcedores, “será que vamos ganhar?”, “ Cruzeiro é incaível”, “Poxa, seria mítico se ganhássemos”, frases ditas a todo momento pelos cruzeirenses, aquele seria um jogo que iríamos querer esquecer ou que iríamos querer sempre lembrar, ninguém poderia imaginar o desfecho naquele jogo.

Eis que aos 8 minutos do primeiro tempo, Anselmo Ramon partiu em velocidade,cruza pra área, a bola passou por Wellington Paulista, mas surge Roger, que de primeira, tocou para as redes, como a torcida vibrou, pensava a todo momento que o time tinha que segurar aquele resultado, que não poderia tomar gol, que teria que ganhar. Aos 28 minutos, Roger cobra uma falta e encontra Leandro Guerreiro livre, que testa a bola para dentro das redes aumentando o placar, a torcida delira novamente.

espn.com

O primeiro tempo nem havia acabado, e os corações já estavam saindo pela boca, mas aos 32 minutos, Wellington Paulista rouba a bola do adversário e parte em velocidade, driblou o zagueiro Rever e cruzou rasteiro para Anselmo Ramon, que carimbou mais um gol, não acabou por ai, na entrada da área Fabrício chuta forte e faz o quarto gol azul, a partir dai as esperanças já estavam todas no auge, a torcida azul já estava animada e não conseguia controlar as emoções.

superesporte.com

esporte.ig.com.br

Começa o segundo tempo e aos 11min, Roger fez grande jogada pela e cruzou na segunda trave para Wellington Paulista cabecear. Leonardo Silva ainda tentou tirar em cima da linha, mas o árbitro anotou gol. A partir dai os pensamentos já eram: “virou chocolate”, “Quem imaginaria”, “Logo em cima do rival”,”Agora pode acabar”.

superesporte.com

Aos 15 minutos a equipe adversária fez o primeiro e único gol da partida, mas o foco estava no time celeste que jogava de branco,(Ah, o mítico uniforme branco), as equipes diminuíram o ritmo, mas quando todos pensavam que o chocolate já estava dado e que o jogo acabaria nisso mesmo, surge Everton aos 45 minutos para fechar e carimbar com chave de ouro a goleada histórica.

Quem diria que um time escaparia dessa maneira de um rebaixamento, logo contra seu maior rival.

espn.uol.com.br

Hoje, 4 de dezembro de 2015, a torcida do Cruzeiro mais uma vez relembra essa goleada histórica que tem grande importância, não só pela quantidade de gols, mas pelo que ela significa, o time azul poderia ser rebaixado pela primeira vez na história,mas com muita raça, e com o apoio de sempre da sua torcida, conseguiu escapar de modo excepcional da degola.

#4Anos

#Incaivel

 

Greicilene Santos