Acabou a empatite

 

 

Caxias aplicou uma goleada diante do Nova Iguaçu e voltou a vencer no Centenário

 

 

Luiz Erbes – Divulgação S.E.R. Caxias

 

 

O clima estava propício para o jogo do Caxias: minutos antes da bola rolar, um dilúvio caiu nas redondezas do estádio Centenário. Nada que intimidasse a torcida grená, que já acostumada com a situação climática, compareceu ao jogo mesmo debaixo de muita chuva.

O grená entrou em campo pelo grupo A15 da Série D. Depois de longos três meses sem vencer em seus domínios, parece que a empatite enfim resolveu dar uma trégua. Com gols de Wesley, Eder, Júnior Alves e Vavá, o Caxias venceu a frágil equipe do Nova Iguaçu pelo placar de 4 a 1. Com o resultado, o grená chega aos sete pontos e se mantém na liderança de seu grupo.

Foram cerca de três meses sem vitória diante das quatro linhas grenás. O último resultado positivo diante da sua torcida havia acontecido no dia 24 de fevereiro, contra o Internacional, pelo Campeonato Gaúcho. De lá pra cá, uma sequência de sete empates marcaram a trajetória grená em seus domínios.

Neste domingo, o Caxias recebeu o Nova Iguaçu pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série D. O jogo, que começou às 16 horas, enfim encerrou a sequência de sete empates.

Com apenas um minuto de bola rolando, o grenazão já estava na frente do placar. Após cobrança de lateral de Gilson, Geninho acabou desviando a bola para trás, deixando Wesley cara a cara com o goleiro Jefferson. O atleta grená só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes: Caxias 1 x 0 Nova Iguaçu.

 

 

Luiz Erbes – Divulgação S.E.R. Caxias

 

 

No minuto seguinte, outra boa oportunidade. Wesley cruzou para Nathan Cachorrão chutar, mas a bola acabou indo por cima das traves adversárias. O Caxias seguia com chances claras de ampliar, mas não conseguia converte-las em gol. Parecia que o jogo seria fácil né? Mas se não é difícil, não é Caxias. O Nova Iguaçu acabou marcando aos 42 minutos, para o desespero da torcida, que já estava calejada de tanto empatar: após cruzamento na área, o zagueiro Murilo subiu mais que todo mundo e cabeceou no canto do goleiro Gledson, que não conseguiu evitar o gol dos visitantes: Caxias 1 x 1 Nova Iguaçu.

O apito assinalava o final da primeira etapa e a torcida grená não poupou as vaias, mostrando seu descontentamento com o que viu no primeiro tempo.

A equipe voltou para a etapa complementar pressionada e com duas alterações devido à lesões: Julinho e Rafael Gava deram lugar a Vavá e Eder. As modificações surtiram efeito e logo no primeiro lance do segundo tempo, a dupla contribuiu para o gol de desempate. Após tabela entre Eder e Vavá, a bola sobrou com o atacante que só desviou no canto de Jefferson: Caxias 2 a 1 Nova Iguaçu. Luiz Carlos Winck ‘meteu o louco’ na comemoração e chutou tudo o que tinha pela frente. Além disso, virou para a torcida nas sociais batendo no peito, como se o gol marcado houvesse sido seu. Depois de sofrer o segundo tento, a equipe carioca não esboçou nem um tipo de reação.

Aos 13 minutos, o Caxias ampliou: após cobrança de falta de Diego Miranda, Júnior Alves subiu mais que todo mundo e de cabeça, marcou o terceiro gol grená: Caxias 3 x 1 Nova Iguaçu. E ainda coube mais. Vavá recebeu passe em profundidade, driblou o adversário e chutou para marcar o quarto gol do Caxias.

 

 

Luiz Erbes – Divulgação S.E.R. Caxias

 

 

O time de Luiz Carlos Winck seguiu administrando o placar construído. Com a vitória, o Caxias confirmou a liderança do grupo A15, com sete pontos, deu sequência à sua invencibilidade dentro do estádio Centenário e acabou com o jejum de vitórias em sua casa. Além disso, a equipe já marcou sete gols na Série D e sofreu apenas um. Mesmo assim, ainda acho que podemos melhorar em alguns aspectos. Ainda não dá pra se iludir, afinal de contas o primeiro tempo foi sofrível. Depois de pressionada, a equipe enfim construiu o resultado positivo e acabou aplaudida pela torcida no final dos 90 minutos. Venceu, mas ainda precisa convencer.

 

 

 

Francielle Fabro