Acabou o caô! - Ao general, com carinho

Não é muito difícil descobrir que para ser ídolo no Galo é preciso algo a mais. Quem chega aqui sabe bem dessa incontestável torcida diferencial, que joga com o time e não aceita nada menos do que jogadores que honrem a camisa. Técnica e habilidade podem fazer de você um vencedor, mas nós alvinegros nos identificamos mesmo com aqueles que entendem o verdadeiro significado de carregar o nosso escudo no peito.

E querem vocês um melhor representante para este papel do que Leandro Donizete? Mais de 200 jogos e cinco anos inteiros mostrando ao mundo como é que se faz de um time a sua casa. Se lhe falta o que se espera de um craque, jamais lhe faltou o que se espera de um ídolo. Se os outros torcedores lhe consideram odiável, nós o admiramos por defender o Clube Atlético Mineiro com sangue nos olhos.

O general chegou para se tornar vitorioso juntamente conosco, para incendiar o time com a sua raça e disposição e permitir que a vontade de vencer NUNCA nos abandonasse. Quem o viu em campo descobriu que não existe lance perdido, não existe desânimo antes do apito final, não existe medo para quem veste o manto preto e branco. Que se amedrontassem os adversários diante dele, mas por aqui se mantinha firme e forte.

ObriGALO por fazer parte da nossa história, por deixar seu nome escrito em conquistas tão importantes. O espírito que se alastrou na equipe nas épicas conquistas que tivemos foi em grande parte construído por você. Agora você alça outros vôos, longe do time em que se viu campeão da Libertadores, Recopa e Copa do Brasil, que contou com aquela cereja no bolo que você conhece bem, mas a gratidão por você será eterna. Sem você os clássicos se tornarão um pouco menos moralizadores, mas enquanto aqui esteve soube bem como se portar diante do nosso rival.

FOTO: globoesporte.com

Assim como foi dito em seu texto de despedida, a vida nos prega peças e talvez a sua saída não fosse exatamente o que nós e você desejávamos. E se você diz esperar que um dia retorne, saiba que nós também esperamos e prontos para ecoar em um estádio inteiro o grito de “acabou o caô, o General chegou, o General chegou!”

 

Por Júlia Campos – Por você e com você até o final, Galo!