Agora é ganhar ou ganhar, por mais respeito ao torcedor!

 

 

(Foto: Quentes da Jaconera)

 

Neste domingo (3), o Juventude vai até Porto Alegre para enfrentar a equipe do Grêmio, o jogo tem inicio marcado para as 16h (Horário de Brasília), na Arena do Grêmio, pela 13ª rodada do Campeonato Gaúcho. O Juventude que já não vem mostrando o mesmo futebol do inicio do campeonato, vai precisar muito desta vitória para reconquistar a torcida, após uma semana turbulenta com relação ao técnico e alguns atletas do clube. O Verdão agora ocupa a 4ª posição na tabela e não vence a quatro jogos, já o Grêmio esta na liderança do campeonato.

 

No domingo (27) o Juventude perdeu para a equipe do Veranópolis fora de casa, que saiu a frente no placar com Reginaldo, aos 22 minutos, aos 3 minutos do segundo tempo o verdão conseguiu buscar o empate com Douglão, porém o Veranópolis virou o jogo, aos 47 minutos com Igor Bosel, encerrando a partida com a primeira derrota do time alviverde fora de casa. Após a derrota fora, o Juventude enfrentou o Novo Hamburgo, no Alfredo Jaconi, na última quarta-feira (30). No primeiro tempo o Juventude praticamente nem viu a cor da bola e aos 15 minutos o Novo Hamburgo abriu o placar com Juninho, o time alviverde até tentou buscar um empate com Wallacer que finalizou fraco demais, e ficou fácil para o goleiro. Aos 22 minutos o Novo Hamburgo ampliou o placar com Saldanha, no segundo tempo o Juventude acordou um pouco para o jogo, e um pouco de esperança era visto na torcida novamente. Aos 20 minutos Pará fez o primeiro do verdão e o time continuou na pressão para buscar o empate, que veio aos 39 minutos com Roberson. Com pênalti não assinalado a favor do Juventude a partida terminou empatada.

 

Algumas situações lamentáveis ocorreram ao final do segundo gol do Juventude, e no fim da partida por parte do próprio treinador e de um atleta do clube. O maior patrimônio de um clube é a sua torcida e podemos ver que quem atualmente comanda a equipe do Juventude não sabe disso, ainda não percebeu que técnicos, jogadores, comissão, dirigentes, todos se vão, quando a situação aperta quem sempre continua são os torcedores, e é lamentável ouvir de alguém que na primeira oportunidade de receber um salário maior vai embora, que prefere jogar fora de casa para não ter a torcida “atrapalhando”. Abre o olho direção!


por Fernanda Andreazza