AGORA QUE SÃO ELAS: LIBERTADORES FEMININA VAI COMEÇAR!


 

Foto: Reprodução/ Conmebol

 

Amamos Libertadores? Amamos sim! E para nossa alegria a 11ª edição feminina da competição está para começar. 

A partir desta sexta-feira teremos uma nova edição da Libertadores Feminina, que passou por uma renovação, trazendo mais prêmios, mais visibilidade e um novo formato. Serão 16 equipes, divididas em 4 grupos, onde as duas melhores de cada um irá avançar às quartas de final, dando início à fase de mata-mata. A plataforma de streaming DAZN adquiriu os direitos exclusivos de transmissão e irá exibir os principais jogos do torneio, principalmente os dos times brasileiros, que são Corinthians e Ferroviária.

A cidade sede será Quito, no Equador, e o torneio terá início no dia 11/10, com a final marcada para o dia 27/10.

As duas equipes brasileiras se classificaram por meio do Campeonato Brasileiro do ano passado: as alvinegras foram campeãs do nacional, enquanto as grenás assumiram a vaga por diversos acontecimentos: o time vice-campeão (Rio Preto) não existe mais, e terceiro colocado (Flamengo) não quis participar. Tanto o Corinthians quanto a Ferroviária já tem um título cada e vão em busca de um bicampeonato.

PARTICIPANTES

O sorteio dos grupos foi realizado no último dia primeiro, com a presença de autoridades da Federação Equatoriana de Futebol, representantes da Conmebol e dos clubes participantes. Além dos times brasileiros as outras equipes que disputarão o torneio são:

América de Cali (Colômbia); Atlético Hullia, atuais campeãs (Colômbia); Cerro Porteño (Paraguai); Club Nañas (Equador); Colo Colo (Chile); Deportivo Cuenca (Equador); Estudiantes Caracas (Venezuela); Independiente Medellin (Colômbia); Libertad Limpeño (Paraguai); M Distrital de Majes (Peru); Mundo Futuro (Bolívia); Peñarol (Uruguai); Santiago Morning (Chile) e Peñarol (Uruguai).

Foto: Reprodução/ Conmebol

 

PREMIAÇÕES

Todas as equipes receberão USD 7.500 pela participação, além dos prêmios para campeão, vice e terceiro colocado, nos valores de USD 85.000, USD 50.000 e USD 30.000, respectivamente. A premiação é a maior da história da edição feminina do torneio.

ESTRÉIA BRASILEIRA

A Libertadores se inicia na sexta, com 4 jogos: Dep. Cuenca x Estudiantes e Atlético Huila x Peñarol, às 19h. Na sequência, teremos Mundo Futuro x Ferroviária e Cerro x Colo Colo, às 21h30.

A Ferroviária é atual campeã brasileira e já venceu a competição sul americana em 2015. Com menos de 20 anos de existência, o time de Araraquara já venceu também uma Copa do Brasil e quatro Campeonatos Paulistas. A equipe grená desembarcou em Quito na quarta-feira, sob forte escolta devido aos protestos realizados na capital, porém a coordenadora do Futebol Feminino, Ana Lorena, afirma que o elenco segue treinando e se preparando para o duelo de sexta.

"Estamos em contato direto com a Conmebol e CBF desde o início das manifestações para saber se teria alguma mudança na competição. Foi garantida toda a parte de segurança. Nosso voo não foi alterado, a parte de logística por enquanto também não foi alterada. A Conmebol estava no aeroporto e cedeu escolta" - informou Ana.

A comandante da locomotiva grená afirma que seu time chega focado e motivado, mas com os pés no chão.

"Crescemos muito neste final de Campeonato Brasileiro e que a gente possa fazer uma manutenção e acrescentar alguns detalhes que a competição necessita, pois é internacional e com certeza as dificuldades serão tão grandes como foram aqui", disse. "Temos de trabalhar muito, estudar muito. É uma competição internacional, e nós estaremos em outra cultura de futebol, vamos lidar com a cultura argentina, colombiana, uruguaia", finalizou.

A Ferroviária inicia sua participação nesta sexta (11), e encerra a fase de grupos no dia 17, contra Deportivo Cuenca, do Equador. Todas as partidas serão realizadas em Quito.

Equipe grená desembarcou em Quito em meio à onda de protestos. Foto: Divulgação/Ferroviária

 

PROTESTOS

A situação em Quito não é das melhores, e o clima é bastante tenso. Por motivos de segurança, o Corinthians teve de cancelar o treino que seria realizado na quarta-feira (09), e o elenco realizou apenas atividades físicas no hotel.

No último dia 03, Lenín Moreno, presidente do Equador, anunciou a troca da sede do governo de Quito para Guayaquil, além de decretar estado de exceção no país. A população protestou bloqueando estradas e convocando greves nas principais cidades do país. Um dos principais motivos do protesto foi o aumento de 123% na gasolina, devido à retirada de subsídios. O objetivo do governo é reduzir a dívida pública, que só tem aumentado desde 2014.

A Conmebol assegurou que o torneio ocorrerá conforme programado, e que todas as equipes terão forte escolta policial.

Mas nem só de notícias tensas é feita essa edição da Libertadores. O Museu do Futebol, localizado no estádio do Pacaembu, irá realizar neste sábado (12), a terceira edição do Editatona, projeto voltado exclusivamente para o futebol feminino, com o objetivo de editar ou criar perfis para as jogadoras no Wikipédia. O evento ocorrerá entre às 10h e 16h dentro da biblioteca do Centro de Referência do futebol brasileiro, no Museu, e terá como foco a Libertadores.

 

#LibertadoresFeminina2019 #CoberturaBlogMec

 

Por Vânia Souza