Agora sim!

Com três rodadas de antecedência, Corinthians conquista o Hexa campeonato com ajudinha são-paulina

foto:meutimão

É um imenso prazer, escrever neste dia como Hexa Campeã Brasileira. Como Corinthiana sofredora, aprendi com meu pai, a comemorar o título, só quando estiver 100% garantido, a nunca gritar gol, antes da bola estufar as redes, aprendi a torcer até o último instante.

Hoje os sentimentos, estão a flor da pele. Meu amor e meu fanatismo, falam ainda mais alto. Aos “antis”, devo dizer: o Brasil, tem dono. Muito prazer, Sport Club Corinthians Paulista, Hexa campeão brasileiro.

 

Conquista em São Januário

Com um empate de 1x1 contra o Vasco da Gama, o Corinthians, sagrou-se Hexa campeão brasileiro, na noite da última quinta-feira, em São Januário. O Timão não teve vida fácil em campo e contou com uma ajudinha são-paulina, para alcançar o triunfo.

O confronto estava cercado de emoção e de nervosismo, dentro e fora de campo. As torcidas, declararam guerra, uma a outra. Bares nos arredores do estádio foram fechados e torcedores detidos, para evitar que baderneiros estragassem a festa. No campo, tivemos a batalha dos opostos! O Corinthians, precisava vencer para garantir o título, ou o rival São Paulo vencer ou empatar o Atlético MG. Já o Vascão, não poderia perder de maneira alguma para o Corinthians, uma vez que luta contra mais um rebaixamento.

O Vasco começou melhor, atacando mais. Rafael Silva e Rodrigo levavam perigo a meta de Cássio. Falando em Rodrigo, o zagueiro cruzmaltino, não soube controlar os ânimos em campo, queria apitar a partida no lugar de Daronco e logo foi advertido com o cartão amarelo. Na segunda etapa, em jogada perigosa, entrou de sola, no rosto do atacante Malcon e foi expulso. A melhor jogada do Corinthians, no primeiro tempo, partiu dos pés de Jadson. Após cobrança de falta, no finzinho da partida, o meia fez Martin Silva trabalhar.

Na segunda etapa, o jogo seguiu equilibrado, até a expulsão de Rodrigo. A inferioridade numérica, não tirou a raça do vascaína, o time embalado pela torcida, conseguiu abrir o placar com Júlio Cesar. O atacante Nenê, voltando de posição de impedimento, lançou o lateral, que tocou na saída de Cássio. A esta altura, o Atlético vencia o São Paulo por 2x1, o que impedia o título Corinthiano.

Neste momento apareceu a mão de Tite no jogo. O técnico colocou o novo talismã da Fiel, o jovem Lucca no lugar de Elias. O Corinthians passou a pressionar e a buscar o gol. O São Paulo havia virado a partida e ampliado em 4x2, o que já garantia o título alvinegro, mas perder não estava nos planos de Tite. Aos 37 minutos, Lucca desviou de cabeça e o tão contestado Vagner Love, marcou o gol do Hexa.

foto:estadão

Festa na favela

Com os resultados, o Corinthians chegou ao seu sexto título brasileiro. Por ironia, a festa de comemoração com a torcida, na próxima rodada, será no jogo contra o São Paulo. A Fiel torcida promete lotar a Arena Corinthians e a diretoria, já armou a festa.

O time, que foi considerado por muitos o mais fraco após a saída de alguns jogadores, chegou a conquista de maneira incontestável: com o melhor ataque, melhor defesa e maior saldo de gols.

foto: Fabio Motta/Estadão Conteúdo

O trabalho do nosso maestro, Adenor Leonardo Bachi, mas uma vez se sobressaiu. Sabemos quem sem Tite, nada seria possível. Agora com seis taças no comando da equipe, em 2017, Tite deverá passar Oswaldo Brandão, treinador que mais vezes treinou o Timão.

A dúvida que rondava a cabeça do torcedor Corinthiano, era a de quem levantaria a taça no domingo. Tite premiou o jogador que está a mais tempo no clube: o ídolo Ralf.

Ralf chegou a marca de 350 jogos, com a camisa alvinegra. Um volante de marcação, raçudo, que passou da eliminação para o Tolima à gloria da América, sem nunca ser expulso, terá o justo reconhecimento. Reconhecimento esse, que parece não rondar a cabeça da diretoria. Faltando pouco mais de um mês para o fim do contrato de Ralf, a diretoria ainda não acertou a renovação do volante. Em minha opinião, um grande erro! Em solo brasileiro, nunca encontraremos um jogador tão fiel e aguerrido. Um cara que mesmo no banco de reservas e com salários atrasados, continuou a batalhar por seu merecido espaço. Ralf, o pitbull da Fiel, me representa, representa a Nação Corinthiana.

Comemora Fiel! Mais um título, mais uma gloria...é Festa na Favela!

 

Mariana Alves, pelo Corinthians, com muito Amor, até o Fim!