ÁGUA NO CHOPP DE ANIVERSÁRIO DA COLUNISTA

 

(Foto: Coritiba Oficial)

 

Hoje, 30 de outubro de 2019, completo mais um ano de vida. E sinceramente não sei como ainda estou viva escrevendo para vocês, depois de tanto sofrimento nessas últimas partidas da “Bezona”. Mas Deus permitiu que meu coração fosse blindado para aguentar, afinal, ser Coxa Branca é para os fortes mesmo! Já são 32 anos de martírio, de tortura, de pensar em largar mão após as derrotas e decepções, e no outro dia estar lá contando os minutos para chegar o dia de entrar no Couto Pereira. Se fui predestinada a isso, que eu tenha forças para aguentar até o fim! Colabora aí, Coritiba!

Nesta terça-feira (29), enfim aconteceu a tão esperada partida lá da 24ª rodada. O Verdão foi até Cuiabá enfrentar o time da casa, sob um calor de 30 graus às 22h30 da noite (21h30 no horário local). Mas o calor não atrapalhou o desempenho das equipes, que estavam inspiradas e marcaram seis gols na partida, três de cada lado. 

O resultado não foi de todo ruim, por ser fora de casa. Mas a equipe alviverde esteve à frente do placar por três vezes, e cedeu o empate em todas as oportunidades. É o que canso de falar, de nada adianta ir para cima do adversário, buscar o gol, e quando conseguir o feito, recuar. Podem colocar até o Guardiola no comando, mas parece que o time vai ter sempre a mesma postura dentro de campo. LAMENTÁVEL.

 

O JOGO

 

Podemos dizer que os jogadores das duas equipes entraram de “cabeça” na partida. Dos seis gols marcados, quatro deles foram feitos assim, de CABEÇA. Mas o jogo não aparentava que seria tão eletrizante, pelo menos não nos minutos iniciais. O fogo dentro das quatro linhas começou a esquentar a partir dos 18 minutos, quando em cobrança de falta de Giovanni (que poderia me desbloquear no Instagram, rs), Serginho cabeceou para o fundo das redes, abrindo o placar: 0x1 Coxa. Mas não deu muito tempo para comemorar, pois o Cuiabá empatou a partida aos 23 com Paulinho. Muralha tentou defender, mas a bola teve mais força que as suas mãos.

Mesmo com o vacilo, foi o Verdão que ficou novamente à frente no placar: Rafinha cobrou escanteio e Rodrigão subiu, marcando novamente de cabeça. O nosso artilheiro desencantou finalmente, quebrando o jejum de onze jogos sem marcar, e assinalando o seu 12º gol na Série B. Alô Brocador, te prepara que RODRIGOL está de volta.

O primeiro tempo encerrou com vantagem para o Coxa, mas ela não duraria muito. Aos 4 minutos da segunda etapa, Jefinho, de cabeça mais uma vez, empatou para o Dourado. Gol que fez a equipe alviverde acordar novamente e ir atrás do seu gol, e conseguiu. Aos 19 minutos, REIfinha passou a bola para Robson, que não desperdiçou. A bola passou por todo mundo e morreu no fundo das redes, dando novamente a vantagem ao Coxa: 2x3.

E então o time resolveu recuar e tentar segurar o resultado. O Cuiabá passou a pressionar, pois não queria perder em casa. Até que, depois de muito vacilo alviverde DE NOVO, o meia Escudero se livrou da marcação e mandou para o gol (sem ser de cabeça desta vez), sem chances para Muralha. Era mais uma vez o empate do Dourado, que continuou indo para cima e buscando o resultado, mas não conseguiu (graças a Deus), virar o jogo: 3x3.

 

(Foto: Globo Esporte)

 

Com o resultado, o Coritiba permanece no G4 com 49 pontos, terá mais uma partida fora de casa nesta sexta-feira (01), contra o Botafogo-SP, e PRE CI SA vencer para não ficar ameaçado, já que América está na cola (enfrentará a Ponte Preta no próximo sábado, 02). Já são três empates seguidos, apenas três pontos conquistados de nove disputados. Aliás, chega de falar de números, porque o três anda me perseguindo nesse texto.

 

Obrigada Coritiba, por ter colocado água no meu chopp. Espero que, ao menos, eu ganhe um presente de aniversário no final desta temporada: o acesso para a série A.

 

VAI PRA CIMA DELES VERDÃO!

SÉRIE A É OBRIGAÇÃO!

 

Por Viviane Mendes, coxa doida de coração.