ALBICELESTE X VINOTINTO… QUAL TEU PALPITE?

Quem passar enfrentará o vencedor de Brasil e Paraguai na semifinal.

 

Fonte: Arte/ Estadão 

 

Se formos olhar os jogos de alguns anos atrás, a Venezuela era um dos sacos de pancada aqui da América do Sul. Quando jogava com a Argentina então a vitória Albiceleste era certa. Hoje em dia as coisas mudaram. Com o tempo o pessoal da Vinotinto evoluiu (e muito) e nesta Copa América está jogando de igual para igual com as "grandes" seleções. 

A Argentina passou um verdadeiro sufoco para chegar até aqui. Na primeira fase perdeu o primeiro jogo, empatou o segundo e chegou à última praticamente enforcada, pois precisava fazer sua parte e dar aquela "secada nada básica" no outro rival, o que deu super certo, pois venceu e de quebra, para quem ia lutar pelo terceiro lugar, conseguiu a segunda colocação do grupo B. Já a Venezuela surpreendeu a todos, terminando também em segundo em seu grupo. Os cinco pontos que conquistou foram de dois empates (inclusive um contra a seleção brasileira uma das favoritas a ganhar o título) e uma vitória convincente na última rodada diante da Bolívia, quando venceu por 3x1.

Em um jogo onde não há favorito, quem vence? 

 

Venezuela

 

Fonte: BeSoccer 

 

O momento da Vinotinto é tão surpreendente que, durante a entrevista concedida por três jogadores da seleção, uma das perguntas foi se a Venezuela é favorita na partida.

"Favoritos? Não somos. Estamos em um bom momento pelo que conseguimos fazer na primeira fase [empataram com o Brasil e o Paraguai e venceram a Bolívia], mas não somos favoritos. Temos expectativa de dar alegria ao nosso país. Também não é uma revanche [foram eliminados pelos argentinos nas quartas da edição de 2016]", disse o meia Seijas.

Rincón também falou sobre a seleção Argentina:

"Há um tempo se deixou de ganhar por causa da história, dos números. Hoje em dia importa muito o funcionamento coletivo, o que se é como equipe. Respeitamos todos, mas não tememos ninguém". 

Querendo surpreender, a provável formação da Venezuela para o jogo de logo mais é: Fariñez; Hernández, Chancellor, Mago e Rosales; Moreno e Rincón; Machís, Savarino e Añor; Salomón Rondón.

 

Argentina 

 

Fonte: @Argentina 

 

A Albiceleste chega confiante para o confronto. Se na fase de grupos a história foi uma, no mata-mata tudo muda. Esse ano as duas seleções já se enfrentaram em um amistoso realizado em Madrid, e a vitória foi venezuelana por 3x1.

Em um passado distante, a Argentina chegou a ficar quarenta e quatro anos invicta diante da Venezuela, quando em dezoito jogos venceu todos. A nossa sorte começou a mudar nesta última década, quando venceram em 2011 por 1x0. Tudo bem que vencemos os outros dois jogos seguidos, mas desde 2016 foram dois empates e uma vitória deles (aquela no amistoso em março deste ano). Sendo assim, A história tem que mudar a partir de amanhã. 

A Albiceleste que se preparou demais para o embate, poderá apresentar algumas mudanças para o confronto. O zagueiro Foyth poderá ser improvisado na lateral direita, com Pezzella compondo o miolo da zaga junto a Otamendi e Acuña pode começar entre os titulares também no lugar de Lo Celso. O tridente de ataque deve ser mantido com Messi, Lautaro e Agüero. 

Essas mudanças na equipe foram testadas no treinamento da quarta-feira (26), realizado no CT do Fluminense. 

A Venezuela tem seu ataque comandado por Rondón. Ele, que já é conhecido por alguns, é uma das preocupações do setor defensivo argentino. Otamendi falou sobre o atacante:

-"Temos que tratar de pressionar Rondón e anulá-lo. Eu o enfrentei no Campeonato inglês, ele é um atacante muito forte". 

Otamendi também falou sobre melhorar a parte defensiva da equipe:

-"É preciso ajustar a parte defensiva. Estamos nos complicando na saída de bola e devemos estar mais organizados. O tempo é curto, mas tentaremos melhorar". 

Scaloni também falou sobre as dificuldades que a Vinotinto deve pode oferecer:

-"É um rival que enfrentamos há pouco, uma equipe interessante, que empatou com o Brasil. Tem as coisas claras, vem trabalhando faz tempo. Será um rival difícil". 

Diante deste panorama, a provável formação argentina a ser mandada campo é: Armani; Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Paredes, De Paul e Acuña; Messi, Agüero e Lautaro. 

O responsável por apitar a partida é Wilmar Rondán, auxiliado por Wilmar Navarro e John A. León (trio colombiano). 

 

Por Adri Domingos e Elluh Ferreira