ALLEZ LES BLEUES

França vence a Noruega por 2 a 1 em jogo eletrizante, fica isolada na liderança com 100% de aproveitamento e está praticamente classificada para as oitavas.

 

Foto: FIFA Oficial

 

Foi realmente um jogão que aconteceu nesta quarta-feira (12), em Nice. França e Noruega as duas favoritas do Grupo A, mostraram realmente porque esse jogo era tão aguardado assim. Quem saiu de campo novamente comemorando foi a Seleção da França mas não foi nada fácil. As anfitriãs até que saíram na frente com gol de Gauvin que havia ficado de fora da estreia após seus atrasos nos treinamentos mas depois de conversar com a treinadora voltou a ser escalada e mostrou o que sabe. Pouco tempo depois foi a vez das Norueguesas voltarem para o jogo após o gol contra de Renard. Mas a Seleção da França foi guerreira e com a ajuda do VAR na marcação do pênalti viu Le Sommer garantir a vitória das anfitriãs, que puderam comemorar muito ao lado dos 35.000 torcedores que estiveram presente no Stade de Nice. As Les Bleues agora com 6 pontos estão com um pouco de folga na liderança do grupo com a sua classificação para a próxima fase encaminhada praticamente. A próxima vez que vamos ver a Seleção da França novamente em campo será na próxima segunda (17), onde vão enfrentar a Nigéria.


O JOGO:

A Seleção da França entrou em campo com: Bouhaddi; Torrent, Mbock, Renard, Majri, Amandine Henry, Thiney, Bussaglia, Diani, Gauvin e Le Sommer. A novidade foi a atacante Gauvin que joga mais centralizada no lugar da atacante Cascarino que joga mais pelas pontas. No começo do primeiro tempo as anfitriãs tomaram a iniciativa do jogo e chegaram com perigo logo nos primeiros minutos com Amandine Henry. Já era de se esperar que o jogo seria bastante brigado e movimentado, e foi mesmo. Depois do bom começo da França, as norueguesas tomaram o controle do jogo e passaram a achar espaços pelo lado direito da defesa francesa e por ali começaram a construir as suas jogadas mais perigosas. A partir dos 20' minutos da primeira etapa a bola voltou para o domínio das Les Bleues e aí foi uma pressão absurda em cima das norueguesas, com passes e jogadas rápidas principalmente com Diani pelas pontas. Depois desse momento pressão de um lado só, o jogo passou a ficar mais equilibrado e aí os ataques ficaram lá e cá, a França apostando nas suas saídas rápidas e a Noruega no contra ataque. E o primeiro tempo de duas Seleções que não quiseram se arriscar muito, acabou terminando em um 0 a 0 até que bom de se assistir.


“Eu realmente não tive nenhuma oportunidade completa para marcar no primeiro tempo, mas fiquei concentrada no jogo, isso foi essencial. Mesmo estando no banco do primeiro jogo, ainda faço parte do grupo. Eu dou o melhor que posso em todos os jogos. Nós sempre treinamos de forma eficaz, mas pode haver algumas mudanças durante o jogo. É importante manter a calma, manter a calma e não pular a arma rápido demais. O mais importante é que conseguimos vencer.” (Valérie Gauvin)


Foto: FIFA Oficial
 

O segundo tempo começou diferente e bastante animado já com a França na frente com apenas 1 minuto. Após cruzamento de Majri, a bola caiu nos pés Gauvin de que escorou para o gol fazendo 1 a 0 para as anfitriãs. A Noruega não se abalou com o gol, e alguns minutos depois acabaram ganhando um presente a jogadora norueguesa Herlovsen cruzou na área e na tentativa de afastar a zagueira Renard aos 8’ minutos acabou empurrando a bola para o seu próprio gol, empatando a partida para as adversárias. Se no primeiro tempo as francesas concentravam as suas jogadas na velocidade de Diani, na segunda etapa quem aparecia mais no ataque era a camisa 10 Majri ao lado de Amandine Henry mas as conclusões do ataque não eram tão precisas. O jogo começou a ficar mais pegado até que Torrent caiu na área após uma dividida. A princípio a árbitra não havia marcado nada mas o VAR foi acionado e foi confirmado uma solada da norueguesa na jogadora da França. O pênalti foi marcado e Engen levou cartão amarelo, Le Sommer foi para a cobrança e bateu rasteirinho no canto para colocar as Les Bleues a frente do placar novamente aos 26’. A França controlava bem o jogo e era bem precisa na marcação, impedindo que as adversárias reagissem como no gol de empate, as norueguesas por sua vez tentavam o empate nos raros erros de passes da França mas nada que levasse perigo a goleira Bouhaddi. No fim do jogo a treinadora Corinne Diacre colocou a jogadora Cascarino no lugar de Gauvin para dar aquele gás no time o que funcionou mas nada que mudasse o placar que terminou mesmo 2 a 1 em um grande jogo.


“Sabíamos que esta noite seria um tipo de jogo diferente daquele que jogamos na sexta-feira passada. Sabíamos que não venceríamos por 4 a 0 e queríamos mostrar muito respeito. Nós fizemos o que tínhamos que fazer. Ainda somos estranhos para o torneio. Encontramos algumas dificuldades aqui hoje e este jogo mostra isso. A Copa do Mundo é muito complexa. Nós vimos um jogo difícil e é tudo sobre os detalhes. Pouco a pouco, ao longo do caminho: é quando você se torna o favorito. ” (Corinne Diacre)

 

Foto: FIFA Oficial
 


Texto: Jessica Martins