Allez les Bleus, Allez les Bleus…

 

A seleção francesa disputará o Mundial como um elenco de primeira grandeza e é uma das favoritas ao título

 

C:\Users\Carla\Desktop\Copa do Mundo 2018 - RUSSIA\Seleço frnc.jpeg

(Fonte: Site da Seleção Francesa)

 

O grupo comandado pelo técnico Didier Deschamps está no Grupo C ao lado de Peru, Austrália e Dinamarca e estreia no dia 16 de junho contra os australianos, na Arena Kazan. A equipe fez bonito nas eliminatórias, venceu sete jogos, empatou dois e perdeu um, com 18 gols marcados e seis sofridos, garantindo assim o primeiro lugar no Grupo A com 23 pontos.

 

A convocação dos vinte e três jogadores foi marcada pela ausência de alguns atletas que têm se destacado em seus respectivos times na última temporada. Payet, do Olympique de Marselha sofreu lesão muscular durante a final da Liga Europa e não está na lista, assim como Koscielny, do Arsenal, com lesão no tendão de Aquiles. Rabiot, do Paris Saint-Germain, Lacazette, do Arsenal, e Martial, do Manchester United, aparecem apenas na lista de suplentes.

 

Outra ausência é o nome de Benzema.  O jogador do Real Madrid não defende a camisa da seleção há dois anos, foi envolvido numa polêmica de chantagem, envolvendo o meia do Fenerbahçe, Valbuena, por conta de um vídeo erótico. Apesar de ter sido considerado inocente no julgamento, o talentoso atacante não disputará a competição.

 

C:\Users\Carla\Desktop\Copa do Mundo 2018 - RUSSIA\Didier Deschamps fez o anúncio dos 23 convocados na tarde desta quinta-feira Foto Franck Fife - AFP.jpg

O técnico Didier Deschamps

Foto Franck Fife - AFP

 

Abaixo, os convocados:

 

Goleiros: Areola (PSG), Lloris (Tottenham) e Mandanda (Olympique Marselha);

Defensores: L. Hernández (Atlético de Madrid), P. Kimpembé (PSG), B. Mendy (Manchester City), B. Pavard (Stuttgart), A. Rami (Olympique Marselha, D. Sidibé (Monaco), S. Umtiti (Barcelona) e R. Varane (Real Madrid);

Meio-campistas: N. Kanté (Chelsea), B. Matuidi (Juventus), S. Nzonzi (Sevilla), P. Pogba (Manchester United) e C. Tolisso (Bayern de Munique);

Atacantes: O. Dembélé (Barcelona), N. Fekir (Lyon), O. Giroud (Chelsea), A. Griezmann (Atlético de Madrid), T. Lemar (Monaco), K. Mbappé (PSG) e F. Thauvin (Olympique Marselha).

 

Confira a lista dos 12 suplentes:

Ben Yedder (Sevilla), Coman (Bayern de Munique), Costil (Bordeaux), Debuchy (Saint-Ètienne), Digne (Barcelona), Lacazette (Arsenal), Martial (Manchester United), Rabiot (Paris Saint-Germain), Sakho (Crystal Palace), Sissoko (Tottenham) e Zouma (Stoke City).

 

Antes da Copa do Mundo, a seleção da França tem alguns amistosos agendados. O primeiro deles foi contra a Irlanda, no Estade de France, onde venceram por 2 x 0. Na próxima sexta, enfrentam a Itália, em Nice, e encerram o ciclo contra os Estados Unidos, dia 9, em Lyon.

 

C:\Users\Carla\Desktop\Copa do Mundo 2018 - RUSSIA\Giroud e Fekir marcaram os gols da França na vitória sobre a Irlanda Foto FRANCK FIFE- AFP.jpg

Giroud marcou um dos gols na vitória contra a Irlanda

Foto de Franck Fife – AFP

 

A coroação com os títulos de 1998 e 2000
 

Foi um período de conquistas grandiosas para o time que tinha no ataque o virtuoso Zinedine Zidane e era comandado por Aimé Jacquet. Eles garfaram a Copa do Mundo em 1998, em cima do Brasil, e a Eurocopa em 2000, em cima da Itália.

 

Curioso foi o fato de Aimé Jacquet, assumir a seleção em 1994, ano da Copa dos EUA que a França não se classificou. O técnico começou a formar a equipe com base no grande time francês da época, o Olympique de Marselha, campeão europeu de 1993. Ele convocou o goleiro Barthez, o zagueiro Desailly, além de Robert Pires, Laurent Blanc, Lizarazu, Thuram, Vieira, Zidane e duas jovens promessas: Trezeguet e Henry. Foi com esta base que treinou para a Copa de 1998.

 

O elenco era espetacular e fez muito brasileiro chorar com a derrota na final da Copa deste ano. Eles tinham um meio de campo seguro, laterais que atacavam e defendiam com eficiência e um ataque com Zidane. Foi, sem dúvidas, a melhor seleção que defendeu a camisa francesa.

 

Sediando a competição, a França não era uma das favoritas ao título. As apostas caiam sobre o então campeão Brasil, que tinha em Ronaldo, melhor jogador do mundo em 1997; a Itália, vice-campeã em 94 com Maldini,Baggio e Vieri; a geração Ajax de 95 da Holanda; a Argentina, de Batistuta e Ortega e a Alemanha, de Bierhoof e Matthäus.

 

O adversário nas quartas foi a Itália, e como o gol não saiu nos noventa minutos, a partida foi decidida nos pênaltis e eles venceram por 4 x 3 graças aos erros de Di Biagio e Albertini. Depois veio a Croácia, novata em Copas, que eliminou a Romênia e a Alemanha. Os torcedores em êxtase comemoraram a classificação para a sua primeira final e seria contra o Brasil, o então campeão mundial com jogadores do naipe de Ronaldo, Cafu e Roberto Carlos.

 

No entanto, foi a estrela de Zidane que brilhou. Ele marcou dois gols na partida que acabou em 3 x 0 e levou a França a conquistar seu primeiro título com uma bela campanha onde terminou a competição invicta, com 6 vitórias e 1 empate.

 

Carla Andrade

Fontes: Site Imortais do Futebol – Site da Seleção Francesa