AOS TRANCOS E BARRANCOS LÁ VOU EU...

Vasco vence o ABC no Maracanã e avança na Copa do Brasil.

 

 

 

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco 

 

 

Se tem uma coisa que o vascaíno não consegue é assistir a um jogo sem se estressar, e dessa vez não foi diferente, segue tudo normal... Foi com direito a sufoco no último minuto, mas o importante é que o cruzmaltino fez a sua parte e conseguiu a vitória com o gol marcado por German Cano na noite desta quarta-feira (5), no Maracanã. Com o resultado, o Vasco avançou para a terceira fase da Copa do Brasil onde vai enfrentar o Goiás.

 

 

O JOGO: 

 

Parece que a voz sensata que estava escondida na cabeça de Abel Braga resolveu aparecer e o treinador acabou deixando todo mundo surpreso quando finalmente fez o óbvio. Ao invés de inventar, o treinador preferiu começar com Vinicius no ataque ao lado de Marrony e German Cano e também com Guarín no meio no lugar de Marcos Junior. Pelo incrível que pareça, o Vasco até que começou bem o primeiro tempo, dando indícios de que veríamos algo diferente do que nos outros jogos com bastante velocidade e intensidade. Embora criasse bastante chances a falta de pontaria do time era de assustar e com isso poucas jogadas levaram realmente perigo ao gol do ABC. Duas delas foram com Guarín, a primeira quando recebeu dentro da área e mesmo com pouco ângulo obrigou o goleiro a fazer a defesa e a segunda em um chute bonito de fora da área que o goleiro Rafael também defendeu. 

 

Por falar em Guarín, ele ao lado de Andrey, que vem mantendo a sua regularidade, foram os destaques na primeira etapa. Porém, da metade do jogo pra frente, o time voltou ao marasmo que a gente acompanha desde o início da temporada. Um time desorganizado, que errava muitos passes e que começou a tirar a paciência da torcida. O adversário praticamente não assustava, tentava alguma coisa nas bolas paradas e só, no final até que o Vasco tentou aparecer novamente mas não conseguiu mexer no placar com o primeiro tempo terminando em 0 a 0 mesmo.

 

 

 

Foto: Úrsula Nery/ @FFERJ 

 

 

O time já voltou para o segundo tempo perdendo duas grandes chances com Guarín e Marrony e em seguida levando um grande susto. Paulo Sérgio recebeu cruzamento e sem goleiro acabou acertando o travessão perdendo um gol inacreditável. E para quem diz que o Vasco não tem sorte, essa foi uma grande prova de que tem sim! O jogo seguiu e cada vez que o tempo ia passando, mais ansiosa ficava a torcida que não parou de empurrar o time em nenhum minuto e acabou recebendo de presente o gol do argentino German Cano aos 15' minutos, quando após receber o cruzamento de Marrony, mandou de primeira para o gol. 

 

Com a pequena vantagem no placar, o cruzmaltino acabou diminuindo um pouco o seu ritmo e Abel fez a sua primeira mudança. Já era de se esperar que Guarín não aguentaria jogar os dois tempos e assim foi substituído por Marcos Junior. O Vasco como de costume recuou e chamou o ABC para o jogo que não conseguiu assustar muito o gol defendido por Fernando Miguel. Nos acréscimos da partida foi que começou a acontecer de um tudo: Primeiro Cano livre de marcação se enrola na hora do chute e acaba desperdiçando uma chance incrível deixar o jogo tranquilo, depois disso, no último minuto da partida o ABC quase empata mas Fernando Miguel acaba salvando o Gigante da Colina. Foi sufoco até o final mas o Vasco segue firme na Copa do Brasil. 

 

VASCO: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Werley, Leandro Castán e Henrique; Andrey, Raul (Bruno Gomes) e Fred Guarín (Marcos Júnior); Vinícius (Juninho), German Cano e Marrony.

 

ABC: Rafael; Bruno Souza, Joécio, Vinicius Leandro e Marlon (Wesley Dias); Felipe Manoel, Cedric, Jailson, João Paulo e Berguinho (Igor Goularte); Paulo Sérgio

 

 

Após o jogo, na coletiva o técnico Abel Braga falou um pouco sobre a partida:

 

"Merecia um resultado melhor, jogamos mais do que contra o Resende. Hoje, alguns jogadores sentiram. Por causa da chuva, o nosso campo no CT tinha muita lama. Então, teve isso. O Guarín sentiu dor no adutor, mas não preocupa. Saiu ainda com um dedo quebrado. O time lutou. No final, passou um sufoco. Como ocorreu lá na Bolívia. Mas isso porque não definiu o jogo, não fez as chances de gol."

 

 

Por Jessica Martins 

 

*O conteúdo trazido nesta coluna não reflete, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo