APÓS PÊNALTI INFANTIL, FURACÃO PERDEU MAIS UMA

SEM LODI PRECISAMOS DE UM LATERAL-ESQUERDO URGENTE!!

 

Foto Sérgio Barzaghi


 

O Furacão das Américas foi até o Allianz Parque, na tarde deste sábado(8), para enfrentar o Palmeiras, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. O Athletico até tentou conquistar a primeira vitória fora de casa e acabar com a invencibilidade do Palmeiras, mas um velho conhecido do Furacão, consagrou a derrota atleticana pelo placar de 1x0.

 

PRIMEIRO TEMPO

 

No início da primeira etapa, o time da casa manteve a posse de bola. Durante os dez primeiros minutos, o Furacão das Américas viu o líder do campeonato ter algumas oportunidades e pressionar seus volantes. O Athletico não conseguia passar do meio de campo.

 

O Athletico levou o primeiro perigo para o goleiro Weverton, somente aos 11’ minutos. Em uma cobrança de falta, Nikão chutou muito forte e fez com que o goleiro alviverde fizesse uma bela defesa.

 

Ambas as equipes disputavam o domínio do meio de campo. O Athletico mais se defendia e tocava, do que chegava ao gol.  Houveram muitas faltas durante a primeira etapa, ao total foram 29. Com o alto número de faltas, o clima da partida ficou tenso. Aos 28’ minutos, o zagueiro Léo Pereira levou o primeiro cartão para o time rubro-negro após cometer um carrinho.

 

Aos 32’ minutos, um dos destaques rubro-negros, Nikão, levou perigo novamente ao gol de Weverton. O jogador novamente bateu forte na bola e obrigou o goleiro alviverde a fazer mais uma bela defesa.

 

O clima esquentou um pouco antes do término da primeira etapa, Nikão o jogador que até então era o que mais levava perigo ao gol do Weverton, escorregou e acertou sem querer o rosto do goleiro. O árbitro, Rodrigo D’Alonso Ferreira deu cartão vermelho ao jogador.

 

Após muita reclamação, o juiz solicitou ajuda ao VAR, sempre ele, às vezes salvando as vezes complicando. Desta vez graças a Deus, o temido VAR, confirmou que o lance foi apenas para cartão amarelo, e voltou atrás e deu apenas o amarelo ao jogador.

 

SEGUNDO TEMPO

 

Foto Sérgio Barzaghi


 

A etapa complementar começou com um ritmo mais lento, mas assim como terminou o primeiro tempo, o segundo iniciou com muitas faltas. Durante os primeiros cinco minutos de jogo, foram quatro faltas.

 

Era nítido que o técnico de guerra precisava mexer no time.  Tiago Nunes resolveu tirar Thonny Anderson, que teve um primeiro tempo apagado e levou a campo Marcelo Cirino. Logo após a mudança, o treinador rubro-negro, perdeu uma das suas peças chaves da defesa. Léo Pereira sentiu uma lesão e foi substituído pelo Lucas Halter.

 

As equipes não conseguiam finalizar. Felipão então, teve uma voz lá do além que o fez lembrar “da lei do ex”. Sim ela existe também contra o Furacão das Américas. O treinador do alviverde tirou Lucas Lima e colocou Raphael Veiga.

 

Aos 32’ minutos, tivemos a infelicidade e infantilidade de Márcio Azevedo. O lateral cometeu um pênalti literalmente “bobo” em Dudu, e acabou levando o cartão amarelo. E como todo ex resolve ressurgir das cinzas, Raphael Veiga cobrou a penalidade e como de costume, chutou forte e nosso goleiro não teve chance para defender.

 

A primeira chance de gol do Furacão na segunda etapa, foi apenas aos 37’ minutos,  com Léo Cittadini, que chutou forte para o gol e fez com que Weverton fizesse novamente uma grande defesa.

 

SEGUIMOS SEM VENCER FORA DE CASA

 

Infelizmente está virando rotina estas derrotas longe de casa. Mas não podemos aceitar e queremos que o Furacão mude sua postura. Time que tem objetivos grandes, precisa vencer dentro e fora de casa.

 

Esperamos que na próxima quinta-feira (13), contra o Goiás, venha a primeira vitória fora. A partida está marcada para às 20h horário de Brasília e será no estádio Serra Dourada.

 

VAMOS FURACÃO, COM GARRA E COM RAÇA…

 

Por Aline do Valle