Aquele último inesquecível minuto...

 

30.03.2011 – 21:50 - fase classificatória da Copa do Brasil, encerramento do Castelão que fecharia para ser reformado para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014... O Preto e Branco dominou as arquibancadas da “nossa casa” e a emoção quase não nos deixou largar as bancadas naquela noite de quarta – feira.

 

 

Fonte: Extraída da Internet

 

A partida de ida disputada em Taguatinga terminou sem gols, após esse jogo, disputamos duas rodadas pelo Campeonato Cearense, e fomos derrotados nas duas, inclusive para nosso arquirrival. Iniciava-se uma “crise” em Porangabuçu, o então presidente da época Evandro Leitão, fez duras críticas à equipe, principalmente aos homens do ataque. E o clima ainda ficou mais conturbado, após Júnior, atacante do Vovô, usar sua rede social para mostrar sua insatisfação com o banco de reservas. Mesmo assim, Dimas o escalou de saída para o jogo contra o Jacaré na quarta (30).

 

O Jogo...

 

Não começou nada bem para os Alvinegros, logo aos 6 minutos os visitantes abriram o marcador com Ruy, que ganhou de dois adversários e tocou no canto esquerdo de Fernando Henrique. 1 x 0 para o Brasiliense e o nervosismo tomando de conta do time Cearense, ainda assim, os donos da casa conseguiram empatar ainda na etapa inicial. Júnior, que ganhou a vaga ao lado de Iarley no ataque, cobrou falta aos 26 minutos, Gilson deu rebote, não desperdiçado pelo nosso zagueiro oportunista Fabrício, tudo igual no placar.

Fonte: Futura Press

 

A conversa no vestiário foi bem produtiva e o Vovô voltou disposto a virar a partida e sair com a classificação de campo, era pressão total do Mais Querido, e o Esquadrão Amarelo se segurava como podia, ainda assustou o gol do nosso número 01 algumas vezes, o Ceará desperdiçava as chances que apareciam pelo caminho.

Dimas decidiu ir para o tudo ou nada, fez sua primeira substituição trocando um zagueiro (Erivelton) por um atacante (Sérgio Mota), depois um meia (Thiago Humberto) por outro meia (Geraldo) e por fim, mandou para campo Marcelo Nicasio (o salvador) no lugar de Júnior (o irritado).

E a pressão, por fim, surgiu efeito, das arquibancadas daquele velho e aconchegante Castelão, ecoavam os gritos de... Eu acreditoo!!

Subiu a placa dos acréscimos, e ninguém arredava o pé do estádio, parecia que a multidão que ali se encontrava (eu inclusive) sentia que a noite era nossa, que o nosso soldado / amuleto, Dimas Filgueiras, tinha passado para aqueles jogadores o que era ser Alvinegro e o peso daquela camisa...

Emociono de lembrar, naquele último minuto, na pequena área, Nicasio recebendo o passe, que acredite, nem recordo de quem... Só lembro-me dele girando, e chutando, aquela bola entrando, e o grito de gol, misturado com as lágrimas sendo gritado naquela noite de encerramento da nossa segunda casa... Apito final, e a euforia tomando conta dos milhares de torcedores que ali estavam…

 

Fonte: Extraída da Internet

 

Diante tantos jogos inesquecíveis, sei que na memória de todo e qualquer Alvinegro, esse, para sempre estará... Foi difícil deixar o estádio aquela noite, iniciava-se a madrugada, e estávamos lá, cantando enlouquecidamente, comemorando aquele gol e aquela classificação... É difícil resumir uma partida e tanta emoção, aquele dia, aquele jogo, nos faz ter cada vez mais a certeza que até o apito final sempre haverá esperança, e que sempre, para sempre eu irei acreditar no meu time, mesmo que por vezes eu saia de lá decepcionada, mas sei também, que nos dias de glorias eu estarei presente.

Fonte: Extraída da Internet

 

Meu time, minha torcida...

Eu fiz do Ceará a minha vida!

 

Por: Priscylla Lima.