Arbitragem, favorecimento, liderança e Dérbi

  Desde que o mundo é mundo, o futebol existe e a função de apitar os jogos é delegada a humanos, vivemos cercados de polêmicas com relação a arbitragem. Nos últimos anos, com o aumento do uso da tecnologia em jogos de futebol, as polêmicas vem sendo ainda maiores. Humanos e máquinas entram em confrontos que na maioria das vezes podem ser cruciais no resultado de uma partida e até mesmo de um campeonato. Se o árbitro erra, ouve-se falar em clubismo, tentativa de beneficio ao clube x ou y e, em alguns casos, até acusações de recebimento de dinheiro por tal erro (Quem nunca ouviu de um torcedor que árbitro x havia sido comprado por clube y?)
  O caso mais recente e que ilustra bem tudo isso é o constante falatório sobre um possível favorecimento por parte dos juízes com relação ao Corinthians, atual líder do brasileirão e 7 pontos a frente do segundo colocado. Essa questão vem sido colocada em pauta por torcedores e até mesmo dirigentes de rivais, não rivais e dos principais clubes que buscam ultrapassar o alvinegro paulista na tabela, Atlético Mineiro e Grêmio. A polêmica vem desde o jogo contra o São Paulo pelo primeiro turno, onde um pênalti não foi dado ao clube do Morumbi e, na partida seguinte, um pênalti semelhante foi marcado a favor do Timão.
  Após esse episódio, outros erros (tanto contra quanto a favor) foram cometidos em jogos do Corinthians e de outras equipes, mas agora com a questão: Estaria mesmo o Corinthians sendo beneficiado? Ou melhor, teria o clube de Itaquera comprado os árbitros de suas partidas? Tais perguntas se tornam absurdas quando pensamos que hoje o Corinthians, financeiramente, está atrás de muitos clubes como Palmeiras e Grêmio (alguns dos principais interessados em "cobrir a oferta" pela taça). Com uma recente polêmica de salários atrasados e a dívida de uma Arena de porte europeu e tecnologias de última geração, nem se o presidente Roberto de Andrade guardasse dinheiro em baixo do colchão essa possibilidade de "compra de árbitros" faria algum sentido.
  No fim das contas, quem mais perde com isso é o próprio Corinthians que, em boa fase de seus principais jogadores como Vagner Love e Jadson e em um momento onde o técnico Tite parece ter encontrado um ritmo para seu grupo, tem suas boas atuações ofuscadas pela dúvida que vem rondando o apito em cada nova partida do Timão.

  Nesse domingo, o Corinthians enfrenta o Palmeiras no Allianz Parque com o fantasma da arbitragem à solta. Raphael Claus, escalado para tal função, esteve envolvido no "caso Petros" ocorrido pelo Brasileirão 2014, e carrega em si uma tremenda responsabilidade. De um lado, os que defendem a teoria do favorecimento esperam uma arbitragem justa e sem muitas marcações a favor do Corinthians. Do outro, uma Fiel torcida que deseja a vitória acima de tudo para manter a folga sobre o Atlético Mineiro e poder voltar a comemorar em um clássico.

Polêmicas a parte, que seja uma boa partida, fazendo jus ao peso do Dérbi e o Corinthians consiga atingir mais um degrau rumo ao hexa. Apoio da Fiel não vai faltar.

Que vença o melhor e...

VAI CORINTHIANS!

 

 

 

Victória Monteiro, maloqueira, sofredora graças a Deus!