Arbitragem prejudica e Palmeiras larga atrás na decisão.

O Santos abriu vantagem na primeira partida da decisão, na Vila Belmiro, a equipe santista venceu o Palmeiras, por 1 a 0, com gol de Gabriel, no segundo tempo, e o atacante já havia perdido um pênalti no início da partida.
O jogo começou alucinante com duas chances claras de gol, com 20 segundos de jogo, Gabriel Jesus sofreu falta na entrada da área pela esquerda, na batida de Robinho, Vanderley espalmou e Jackson perdeu o gol na entrada da pequena área. Na jogada seguinte, foi a vez do Santos responder, Lucas Lima bateu o escanteio, Arouca segurou Ricardo Oliveira, o juiz marcou pênalti para o Santos e Gabriel chutou na trave.

Com 12 minutos de jogo, o Palmeiras perdeu Gabriel Jesus, que machucou o ombro, no lugar dele, entrou o atacante Kelvin. O Santos não sentiu o pênalti perdido e foi para o ataque. O time da capital tentava explorar contra-ataques, mas era mais lento do que a equipe do litoral. Com propostas diferentes, o jogo passou a ficar mais equilibrado, e com número maior de erros de passes.
Com presença maior no ataque, o Santos criava chances claras. Aos 39 minutos, Ricardo Oliveira recebeu passe de Vitor Ferraz e, na cara do gol, chutou fraco. Fernando Prass salvou com o pé e o Palmeiras foi para o intervalo pressionado na partida.

No segundo tempo, as posturas das equipes eram as mesmas da primeira etapa. Aos dois minutos, Gabriel perdeu chance sozinho dentro da área, e novamente, Fernando Prass salvou a equipe alviverde. Aos cinco minutos, foi a vez do Palmeiras reclamar de um pênalti em cima de Barrios, o juiz não viu falta no lance. O jogo voltava a ser equilibrado, e o Palmeiras valorizava o empate, mas não conseguiu segurar a pressão, e aos 33 minutos, em uma jogada pela esquerda, Ricardo Oliveira tocou para Gabriel, que, desta vez, não perdeu e abriu o placar. O Palmeiras tentou ensaiar uma reação, mas que foi interrompida pela expulsão do lateral Lucas (chutou a bola em cima do xará Lucas Lima, do Santos). Ainda deu tempo para Nilson perder gol incrível, depois que Ricardo Oliveira driblou Fernando Prass.
Na próxima quarta-feira (2), a equipe da Baixada joga por um empate em partida a ser realizada na Arena do Palmeiras. Não há gol qualificado na decisão da Copa do Brasil. Qualquer placar por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.

Renata Rodrigues.