ARGENTINA LE GANÓ A CHILE… Y CHILE TCHAU!

 

 (Fonte: @Argentina) 

 

Uma Copa América um tanto estranha para a Argentina. Na primeira sofremos iguais condenados, correndo risco, e com a corda no pescoço até o último jogo, quando o time jogou o suficiente para se classificar. Aos trancos e barrancos chegamos as quartas de final, e batemos os venezuelanos no que, até aquele momento foi o melhor futebol apresentado desde o início da competição. Avanço de fase e, quem nos esperava era um Brasil cheio de confiança e que jogava em casa. Naquele dia incrivelmente os nossos meninos jogaram muito, foram parados pelo travessão duas vezes (ah se não fosse a trave), usaram a camisa, deram o sangue no campo, mas do outro lado havia o senhor Roddy Zambrano, árbitro extremamente incompetente para apitar o maior clássico do Mundo quando falamos em seleções.

Erros grotescos, um VAR que não funcionou, e uma derrota amarga por 2x0. A bronca e a frustração tomaram conta, mas a vida teve que seguir, e o último passo na Copa América precisava ser dado. Jogando neste sábado (06), na Arena Corinthians, um duelo cheio de rivalidade (quando se fala dessa rivalidade não é só nas quatro linhas), onde se eles não tinham motivação para jogar, nossos meninos tinham muita. Em um  Argentina-Chile já se espera catimba, soladas, brigas, cusparadas, empurrões e tudo o que se tem direito. Até o improvável aconteceu: a expulsão do nosso 10. Para vocês verem a proeza que os chilenos conseguem fazer. 

Definitivamente o povo do Chile não veio para jogar futebol, mas sim para bater e provocar confusão na partida. Não só eles estavam mordidos de raiva por perderem na semifinal, nós também, mas venceu quem realmente almejava a vitória, no caso a Albiceleste. Se serve de consolo, temos um espacinho no pódio, o terceiro lugar. Não era o que merecíamos, mas… vou me preocupar em ser uma excelente vencedora quando a nossa boa fase de títulos chegar. 

A partida 

Foi quente, catimbada e brigada do jeito que a gente gosta. No primeiro tempo os meninos Dybala e Agüero fizeram um inferno na defesa chilena. Não havia uma alma que conseguisse pará-los, tanto que o nosso primeiro gol saiu aos doze minutos. Messi lançou Kun, que esperto tirou Arias da jogada e colocou 1x0 no placar a favor da Argentina fácil. A pressão continuou e logo foi a vez de Dybala marcar o seu, aproveitando lançamento de Lo Celso e dando um toquinho sutil por cima de Arias. 2x0 a favor da Albiceleste e isso fez o sangue chileno ferver.

O jogo era uma panela de pressão prestes a explodir, e ainda na primeira etapa, em uma jogada que Messi acreditou até o fim, ao chegar na linha de fundo, Medel fez a proteção e ficou irritado com Lio dando uma fungada em seu cangote. O que deixou Medel mais nervoso foi o fato de Messi encará-lo e ele veio logo dando peitada no nosso 10. Senhor Vivar nem pensou duas vezes e mostrou cartão vermelho aos dois, que foram para a ducha mais cedo. No segundo tempo, o que não funcionou no nosso jogo da semifinal, funcionou super bem neste sábado. O Chile conseguiu diminuir a vantagem com um pênalti. Em uma jogada onde Lo Celso derrubou um chileno em cima da linha, a jogada foi revisada por Vivar, que após consultar o VAR, validou a penalidade máxima para os caras de vermelho. "Engraçado" como a nosso favor o VAR não funciona, mas quando é contra ele funciona 100%. Vidal foi para a cobrança e chutou sem chances para nosso arqueiro Armani. 

Mesmo assim, a Vitória com V maiúsculo foi da Albiceleste que soube se impor e mostrou que chileno não tem vez. Albiceleste 2x1 Traidores. 

 

    Dybala autor do segundo gol da tarde. 

                 (Fonte: @Argentina) 

 

Lionel Messi 

No momento de receber as medalhas, Messi não estava lá. Ele preferiu ficar nos vestiários a ir recebê-la. Achei justa a forma dele de agir, visto que, diante do Brasil, fomos muitíssimo prejudicados, e neste jogo diante do Chile o juiz o tenha expulsado também, sendo que o errado da história era o Medel, que estava nervosinho. Essa foi a segunda expulsão do nosso 10 enquanto vestindo nossa camisa. A primeira foi em sua estreia na seleção em 2005. Já a de hoje, foi horrenda. 

Em entrevista coletiva Lio pediu mais respeito à esse grupo que disputou a Copa:

"O grupo mostrou muita personalidade, não é fácil começar perdendo e logo em seguida empatando. Isso nos fez mais fortes e terminamos de uma maneira muito positiva". 

 Nós, muito menos ele acreditava no que  via: o cartão vermelho. (Fonte: @Argentina) 

 

A Argentina depois de anos sendo eliminada precocemente de competições, conseguiu chegar em 2014 em uma final de Copa do Mundo, conquistando o vice campeonato. Em 2015 e 2016 novamente mais duas finais de Copa América e mais dois vices. Agora, em 2019, uma conquista de terceiro lugar. Claro que em todos esses anos queríamos ver a seleção com o título de campeã, mas o orgulho pelo trabalho que vem sendo feito é imenso.

Vemos alguns jogadores que realmente sentem a camisa e dão o sangue quando têm que representar nossas cores. Seria ingratidão demais da minha parte se não aplaudida o feito da tarde deste seis de julho, então, meus parabéns meninos! Não fossem erros absurdos estaríamos jogando não no sábado e  sim no domingo, mas obrigada mais uma vez por honrarem nossas gloriosas cores Celeste e Branco. 

 

¡Vamos Argentina! 

 

Por Adri Domingos, Argentiníssima!