ARTILHEIRO ALVIRRUBRO

 

 

Foto: Bruno Freitas - E.C. Noroeste

Fabricio Daniel, 22 anos e natural de Araraquara. Começou na base do Palmeirinha (Porto Ferreira), foi para Paulistinha, Ferroviária e chegou ao Noroeste pela primeira passagem em 2015, para disputar a série B do Paulista, onde o clube conquistou o acesso à série A3. Após a conquista o artilheiro foi para o sub-23 do Santos , e antes de voltar ao Norusca, esteve no Cianorte no Paraná.

Na equipe Fabricio já é um dos artilheiros do Campeonato Paulista Série A3, com 6 gols. Fabricio tem cada vez mais encantado os torcedores Noroestinos, com suas jogadas e gols marcados.

O site do clube fez a escolha do gol mais bonito da temporada, e adivinhem, o artilheiro teve o gol marcado contra o Olímpia, em 15 de março (última partida antes da parada pela pandemia do Covid-19), escolhido pelos torcedores alvirrubros com 53% dos votos. O gol veio após assistência de França, Fabricio driblou o goleiro e mandou a bola para o fundo do gol. Ah saudades de gritar é gol do “Fabrigol”.

Devido a parada do campeonato devido a pandemia do Covid-19, Fabricio está em sua casa, em Araraquara, seguindo o treinamento para manter o condicionamento físico.

Para matarmos um pouco a saudade do artilheiro, conversei com ele via Instagram, onde o mesmo foi extremamente solícito e respondeu as perguntas com toda a gentileza. A conversa falou sobre o retorno do atleta à Bauru, clima da equipe (líder da Série A3), jogar com atletas experientes e projeção do futuro. Muito obrigada pelo carinho Fabricio.

Foto: Bruno Freitas - E.C. Noroeste

Confiram:

 

- Como foi seu retorno à Bauru? Sua adaptação?

Como já havia passado pelo clube, em 2015, pessoal me fez o convite, e não pensei duas vezes, aceitei! Já conhecia a cidade, muito boa e tranquila! Alguns amigos de clube me ajudavam também, isso ajudou na adaptação deste ano.

 

- Esta temporada o Alvirrubro começou muito bem, como é o clima da equipe?

Graças a Deus começou bem, e tem sido marcante, trabalhamos muito, para que esta classificação antecipada acontecesse. Então o clima entre nós é de alegria, porém muito foco, cobrança, para que conquistemos o restante dos objetivos sem tirar os pés do trilho!

 

- Como é ser o artilheiro da A3 é detentor do gol mais bonito do Noroeste?

Uma sensação maravilhosa, graças a Deus, estar no topo da artilharia é sempre bom, mostra que o trabalho vem sendo aproveitado! E sempre lembrar que não conquistei sozinho, obtive a ajuda de todos meus companheiros e comissão técnica! Quanto ao gol, fico feliz pelos torcedores elegerem como o mais bonito, me sinto muito feliz, por todo afeto e carinho, que todos vêm demonstrando no dia a dia e nas minhas redes sociais! Muita gratidão por tudo!

 

- Como está essa parada no campeonato? Você acha que prejudicará a equipe no decorrer do campeonato? E você, acha que o campeonato vai continuar?

Essa parada, acredito, que prejudica a todos, não só no Paulistão série A3, mas se tivermos um tempo pra novamente fazer um ajuste pré competição, vai ajudar a todos! Para que possamos prevenir lesões, e que condicionamos nosso físico para o que as partidas pedem! Mantemos nosso foco e nossa mente na vitória, para que não sejamos prejudicados na competição, minimizar o máximo de situações que nos afastam dos objetivos! Acredito que pode continuar sim, o único problema é a verba de cada clube, às vezes alguns tem um investimento maior, então conseguem manter, outros não, e aí, a federação que vai justificar e dar o arremate nessa situação!

 

- Vocês continuam treinando em casa, como é? Dá para continuar na mesma "pegada"?

No início só podia treinar em casa, então não tem a mesma intensidade, mas agora liberaram academias, então eu, particularmente, tenho feito personal, referência grande em Araraquara e região pelo trabalho renomado, do Marcius Ferrer! Aí tem melhorado a intensidade e capacidade de ganharmos físico novamente!

 

- Como é jogar ao lado de Richarlyson e França, atletas experientes?

Jogar com atletas como eles, é uma honra, jogadores renomados, vitoriosos! Temos que estar perto de pessoas assim, porque acabamos adquirindo experiência vitoriosa, dessas grandes pessoas! Em tudo, dentro e fora de campo, ambos têm muito a agregar para nós todos!

 

- Você esteve no elenco que disputou a série B, eu pude acompanhar todos os jogos do Noroeste, na minha concepção como torcedora é uma série onde as equipes só visam o gol, a técnica e tática, acabam ficando de lado. Pra você como atleta, qual a diferença?

Em 2015 o futebol estava começando a mudar na verdade. Houve algumas mudanças, bem antes na Europa, de método, de conteúdo tático, estudo, modelo de jogo, com treinadores grandes, e isso foi sendo repassado, para o conhecimento de todos. No Brasil, começou essa mudança nessa época, então, acredito que os jogos eram um pouco mais desorganizados, mas hoje em dia, é muito difícil ver equipes desorganizadas taticamente!  Tornando o futebol muito mais pensado, como um jogo de xadrez! Dependendo da ação do adversário, temos que mudar algo, para conseguir atacá-los com eficiência! Futebol vai além de simplesmente rolar a bola e jogar.

 

- E para finalizar, você esteve no Santos sub-23 em 2017, como é a estrutura dos clubes? A diferença é muito grande?

Estrutura dos clubes grandes é fora de série, investimento, alimentação, centro de treinamentos! Tudo fora do padrão de alguns clubes do interior. Porém, tem alguns clubes que não chegam ter o mesmo investimento, mas alimentação, centro de treinamento consegue se igualar! É uma diferença considerável sim, mas acredito que uma boa administração de todos os clubes possam gerar a torcedores/atletas uma condição bem melhor do que vivem hoje!

Foto: Bruno Freitas - E.C. Noroeste

 

Mais uma vez quero agradecer, pela receptibilidade do artilheiro Fabricio, em me atender, e responder as perguntas, com o máximo de atenção. O desejo é que você siga nesse caminho de sucesso, artilharia, gols e humildade. Muito sucesso Fabrigol!

 

Avante Noroeste

Kelly Cristine Janiro, torcedora do E.C. Noroeste.

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.