AS PATROAS ESTÃO NA SEMIFINAL!

Corinthians vence novamente o Grêmio e garante vaga na fase semifinal do Brasileirão Feminino

 

Abraço das alvinegras após a partida. Foto por Rodrigo Coca/Agência Corinthians

 

Na Neo Química Arena, as alvinegras do Corinthians enfrentaram nesta segunda-feira (2) as Gurias Gremistas pelo jogo de volta das quartas de final do Brasileirão Feminino Série A1 e confirmaram a classificação para a fase semifinal. A vantagem era das donas da casa, que venceram por 3x0 no jogo de ida e precisavam apenas administrar o resultado. A partida foi bem disputada, mas as Minas sobraram em campo, vencendo por 2x1 e fazendo um placar agregado de 5x1. O próximo desafio das alvinegras é um Dérbi, contra as Palestrinas, na fase semifinal.

 

O JOGO

 

Apesar da superioridade alvinegra no quesito domínio, as Gremistas, que precisavam reverter um placar de 3x0, não entraram em campo entregues. Boa parte do primeiro tempo pode ser resumido em investidas do Corinthians, recuperação do Grêmio com uma defesa muito bem armada, Corinthians insistindo, Grêmio bloqueando. Se por um lado o time de Arthur Elias tem um ataque muito certeiro e fatal, do outro tínhamos a equipe de Patrícia Gusmão com um DNA defensivo muito bem apurado. 

 

Entre chances, defesas e infiltrações, o placar foi se abrir apenas aos 31 da primeira etapa. Ingryd deu um passe fino e certeiro para Zanotti encher o pé e balançar as redes da entrada da área. Com 1x0 para o Corinthians e a vantagem ampliada para 4x0 no agregado, se engana quem pensa que o jogo amornou. O Grêmio, muito bem treinado e estudado, mostrou que veio para Itaquera para jogar futebol e fez o feitiço virar contra o feiticeiro: Aos 37, Eudimilla se aproveitou do posicionamento adiantado de Lelê e lançou uma bomba de fora da área que encobriu a goleira alvinegra e tirou o marcador tricolor do zero.

 

O segundo gol das alvinegras veio no apagar das luzes da primeira etapa. Tamires, que vem jogando o fino da bola nas últimas partidas, recebeu um toquinho de Andressinha e não deu chances para a goleira Raissa. 2x1 em Itaquera, 5x1 no agregado.

 

Tamires comemorando o gol com dancinha prometida para seu filho Bernardo. Foto por Rodrigo Coca/Agência Corinthians

 

O segundo tempo, apesar de sem gols, foi muito bem jogado e disputado. Arthur Elias se aproveitou do plantel reforçado para fazer boas substituições e manter o ritmo de jogo elevado. Saíram Ingryd, Crivelari e Adriana para as entradas de Vic Albuquerque, Grazi e Portilho. Paulinha e Nunes também entraram no lugar de Katielle e Portilho. Com o elenco recuperado e jogadoras de alto nível totalmente descansadas em campo, o Corinthians seguiu no modo turbo e fez Lelê praticamente assistir ao segundo tempo de camarote. Só deu as Minas bombardeando a defesa tricolor que se mostrou muito eficiente nas roubadas de bola, mas pouco nos domínios e volume de jogo.

 

Aos 33, o juíz marcou uma penalidade a favor das donas da casa acusando um toque de mão duvidoso de uma defensora gremista dentro da área. Há quem diga que “pênalti que não é, não entra” e se essa máxima for real, ela se fez valer. Raissa se agigantou diante de Gabi Nunes para fazer uma belíssima defesa e afastar o perigo. 

 

As alvinegras ainda tiveram boas chances com Vic Albuquerque tirando tinta da trave por duas vezes, Tamires batendo escanteios certeiros e Nunes muito bem posicionada dentro da área, mas o placar ficou mesmo em 2x1.

 

A vitória garantiu o placar agregado de 5x1 e carimbou o passaporte das patroas para a semifinal do Brasileirão Série A1, onde encontram as Palestrinas em mais um Dérbi.

 

A primeira atuação das alvinegras em 2020 na Neo Química Arena (a primeira também com o novo nome) foi de gala e digna de um time bem montado, bem treinado e bem preparado. Arthur Elias vem, jogo após jogo, mostrando o poder do projeto montado para um time já tão vitorioso e que busca ainda mais conquistas, elevando o futebol feminino a um patamar de muita qualidade. 

 

Alô… É das semifinais? As patroas estão chegando!

 

Que venham as rivais! Vai, Corinthians!

 

Por Victória Monteiro