ATÉ LOGO, SÉRIE A

Na tarde do dia 02 de dezembro, após 38 rodadas o Paraná Clube enfrentou o Clube Internacional, dois times que no ano passado conseguiram o triunfo do acesso à série A, porém com duas campanhas completamente diferentes.

O Inter, time de grande tradição, ao longo do campeonato chegou a brigar pelo título, já o Paraná se equivocou nas escolhas que fez neste ano e somente se segurou para não fazer uma campanha aterrorizante.

Com apenas quatro vitórias e somando 23 pontos, o Paraná Clube encarou as últimas rodadas como rebaixado.

O que causou muita tristeza e indignação de seus torcedores, que no começo do ano passado abraçaram o time, e seguiram numa luta até o acesso, foi uma festa linda, tudo incrível, para no ano seguinte ser tão triste!!

 

(Foto: Gisele Pimenta / Framephoto)

 

Segui firme em todos os jogos deste ano, confesso eu saía de casa com aquela esperança de que “hoje vai ser diferente”, hoje é um jogo mais “fácil”, um adversário que vinha de derrotas ou estava em crise, um jogo que dava para ganhar e tentar reverter esse quadro.

Comemorei estas vitórias, as três primeiras em cima de América-MG, Fluminense e Bahia como um suspiro, uma luz no fim do túnel, já a última em cima novamente do América-MG, clube que também segue rebaixado, foi um fato surpreendente, uma vitória fora de casa e na situação que nos encontrávamos, não valia de muita coisa.

Resumidamente este ano foi um ano que eu e todos os paranistas queremos deletar da nossa memória.

Espero que os próximos passos dos nossos dirigentes e dos jogadores que permanecerão no Paraná sejam conscientes, que honrem nossa camisa, que tragam novamente a grandeza que esse clube exige, que nos levem ao lugar onde jamais deveríamos ter saído, a elite do futebol brasileiro, até porque como diz o hino do nosso clube “PARANÁ JÁ NASCESTE GIGANTE”.

 

Por Thays Pinho