Até no Cartola, eu escalo melhor!

 

 

Foto do Placar: Página Oficial do Vasco no Facebook

 

O clássico dos milhões é mais uma partida para o torcedor vascaíno se questionar sobre o rumo do seu time e avaliar como ele está sendo disposto em campo. Após a derrota por 1x0 para o rival que avançou para a final da Taça Guanabara, o Vasco da Gama se viu em mais uma partida sem organização.

O time da Colina entrou em campo buscando a classificação, no entanto, sem posse de bola e agressividade no campo rival. As vezes em que a bola chegava nos pés dos jogadores cruz-maltino, eles não conseguiam finalizar e poucas vezes chutavam em direção ao gol. O rival desde o primeiro tempo buscou a posse de bola e pressionava o Vasco em seu campo, sempre muito próximos do goleiro Martín Silva.

A agressividade tinha que ficar na bola, mas não demorou muito para uns empurrões acontecerem, reclamações de faltas não marcadas, entradas duras e aquele velho “jeitinho Rodrigo de ser”, nos clássicos.

Foi um primeiro tempo de muitas faltas, o clima esquentava e o Vasco não conseguia chegar próximo ao gol, ou criar jogadas arriscadas. Nenê cobrou escanteio, beirando os 23’ do primeiro tempo, mas ficou na zaga do rival. Aos 40’ do primeiro tempo, Luan foi na bola, mas acabou fazendo pênalti em Everton. Diego cobrou e abriu o placar rubro-negro, quebrando o jejum de 9 jogos sem ganhar.

 

Foto do jogo: Paulo Fernandes/Vasco

 

No começo do segundo tempo, o time da colina entrou pressionando, mas os contra ataques do adversário diminuíram as chances de gol. Em um lance confuso, por pouco o placar não foi ampliado... foi chute, Martín espalmou, rebote, seguiu o jogo, até que a zaga vascaína mandou a bola para longe. Houveram outros lances dos adversários que poderiam ter feito com que a derrota fosse para um número maior de gols, mas a zaga conseguiu cortar e Kelvin foi quem deu uma “dorzinha de cabeça” para os rubro-negros.

Uma partida acirrada, o Vasco não conseguiu dominar o jogo e se mostrou totalmente desorganizado, ainda mais depois das alterações do técnico Cristóvão Borges.

 

FLAMENGO 1 X 0 VASCO

SEMIFINAL DA TAÇA GUANABARA

 

Local: Estádio Raulino de Oliveira

Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro
Assistentes: Wagner de Almeida Santos e Jackson Lourenço dos Santos

Renda: R$ 309.130,00

Público: 6.979 presentes / 5.484 pagantes

Cartões Amarelos: Luan, Kelvin, Rodrigo e Jean (VAS); Trauco, Mancuello e Pará (FLA)

Gol: 40’ Diego (FLA)


Saudações Cruz-Maltinas, por Ana Gabriella.