BARBOSA : O Eterno Anjo Negro da Colina.

 

 

 

Moacyr Barbosa, conhecido por todos como Barbosa, para muitos um injustiçado, para outros culpado e para nós vascaínos, um ídolo, daqueles que só de falar o nome do clube já vem em sua cabeça, principalmente quando se trata de goleiro. Como falar do time do Vasco de todos os tempos e não pensar em Barbosa?

Infelizmente não tive a oportunidade de vê-lo jogar, mais digo e repito sem medo: Sim, Barbosa é o maior goleiro do Vasco de todos os tempos!

 

O começo de uma grande história de conquistas com Vasco da Gama.

 

Barbosa nasceu em 27 de março de 1921 em Campinas, e quem diria começou como ponta esquerda no Comercial da capital(SP) nos anos 40. Já no Ypiranga(SP), nos anos de 1942 até 1944 passou a atuar como goleiro. Seguro e que nada temia, jogava sem luvas e mesmo assim fazia grandes defesas, era um goleiro elástico e ia buscar até mesmo aquelas bolas que eram quase impossíveis de serem defendidas.

Suas qualidades logo chamaram a atenção do Club de Regatas Vasco da Gama, que o contratou no ano de 1945, onde fez parte da equipe campeã carioca que tinha também outros grandes craques. Após o goleiro Rodrigues, titular do Vasco, abandonar o futebol depois de ganhar na loteria mineira, Barbosa assumiu a titularidade em 1946, onde começou a escrever a sua linda história defendendo a meta do gigante da colina.

 

Títulos Pelo Gigante

 

Barbosa fez parte de um dos maiores esquadrões do futebol brasileiro e o maior do Vasco da Gama: o Expresso da Vitória. Jogou ao lado de grandes ídolos como Ademir, Heleno de Freitas, Ipojucan, Maneca, Friaça…

Em 47 tornou-se campeão carioca invicto já como titular absoluto no gol do Vasco e não parou por aí. Conquistou ainda os cariocas de 1949, 1950, 1952, e 1958, o quadrangular do Rio de 1953 e o torneio de Santiago no Chile do mesmo ano além do Rio-São Paulo de 1958, também foi bi-campeão brasileiro pela seleção carioca em 1950.

 

Expresso da vitória. Créditos : www.netvasco.com.br

 

O maior título com a camisa do Vasco:

 

Foi em 1948 onde ajudou a conquistar o 1º Campeonato Sul-Americano de clubes campeões, o percursor da Libertadores. Na final teve atuação impecável diante de "La Máquina", o temido River Plate de Di Stéfano.

Barbosa, segurou o time argentino com defesas espetaculares, garantindo o placar. O jogo terminou 0x0 e o Vasco sagrou-se campeão, e Barbosa deixou de vez o seu nome marcado na história do Clube.

 

Medalha do Vasco campeão de 1948.

Créditos : arquivo pessoal do goleiro Tereza Borba



 

Seleção Brasileira :

 

Barbosa começou a defender as cores da seleção brasileira em 1949, onde era titular absoluto. Pela seleção, embora não lembrem, teve uma história muito bonita;

Conquistou a Copa Roca de 1945  , a Copa Rio Branco em 47 e 50, e a Copa América de 1949, além do segundo lugar na copa do mundo de 1950 onde o Brasil foi derrotado pelo Uruguai por 2x1. Barbosa foi eleito o melhor goleiro do torneio e injustiçado, carregou nos ombros uma culpa que não foi só sua:

 

“no Brasil a maior pena por um crime é de 30 anos, eu já faz 43 anos que pago por um crime que não cometi…”. Disse Barbosa.

 

O gol que marcou a carreira do goleiro. Créditos: Folha Vitória

 

Em 1953 em um jogo do torneio Rio-São Paulo onde a equipe do Vasco enfrentava o Botafogo, o goleiro quebrou a perna, e ficou fora da copa de 54 na Suíça. A última partida como titular na seleção foi na Copa América de 53 contra o Equador.

 

O fim da sua grande trajetória no futebol.

 

Além de defender as cores do gigante da colina, Barbosa teve passagens por Santa Cruz(PE), Bonsucesso(RJ) e Campo Grande(RJ) , onde encerrou sua carreira em 1962 aos 42 anos. Em um jogo contra o Madureira, após fazer mais uma de suas grandes defesas, sofreu uma lesão, e ali deu adeus aos gramados. Ao deixar, o campo aplaudido de pé, chorou, mas desta vez de alegria, reconhecido por todos, terminava ali a trajetória de uns dos maiores goleiros do Brasil.

 

Barbosa no Campo Grande RJ.. Créditos : 1962 revista do esporte.

 

O descanso

 

Barbosa viveu os seus últimos dias na cidade de Praia Grande(SP) ao lado de sua amiga e filha Tereza Borba, com quem tive a oportunidade de conversar e que me contou o orgulho que Barbosa sentia ao falar do Vasco:

 

-O grande orgulho do Barbosa era o Vasco da Gama, ele tinha todos os títulos, então ele tinha um monte de troféus que hoje existem dentro de São Januário que foi conquistado com o sangue dele, ele falava que a vida dele era o Vasco da gama e enquanto muitos iam se divertir, ele ficava até de madrugada no paredão de São Januário treinando, porque não tinha técnico de goleiro na época, ele tinha as duas mãos quebradas  ( jogava sem luvas ) e vivia sempre sorrindo.

 

Barbosa e Tereza Borba. Créditos : arquivo pessoal Tereza Borba.

 

Barbosa fez um pedido especial :

 

-Ele jogava por amor á camisa, a vida dele era o Vasco da Gama, e ele falou o dia que eu morrer eu quero a bandeira do Vasco no meu caixão, e assim foi feito, o Eurico mandou a bandeira pra mim e ele foi coberto com a bandeira do Vasco, e a vida dele foi Vasco da Gama.

Barbosa faleceu na cidade de Praia Grande em 2000 aos 79 anos.

 

Club de Regatas Vasco da Gama e Moacyr Barbosa andam juntos, impossível falar de um e não lembrar do outro, respeitado, querido e amado, imortalizado em fotos, faixas e bandeiras, sempre com um sorriso no rosto.

 

Um ídolo do futebol,

Um ídolo de um Clube,

Um gigante em baixo das traves, que será o sempre eterno Barbosa!


Texto : Jessica Martins