BOLA PARA FRENTE!

 

BOLA PARA FRENTE!

 

Foto: Flickr Santos

 

Não adianta deixar martelar na sua cabeça aquela famosa frase "E se...".

 

Não adianta ficar criando teorias e procurar um culpado. Será em vão.

As vezes nem tudo é como a gente quer, e tá tudo bem. É difícil aceitar e entender no começo. Mas nem sempre o melhor ganha.

 

Futebol é isso.

 

No futebol o que importa é a quantidade de vezes que a rede é balançada, afinal, é isso que define o jogo. Não é a posse de bola, não é a qualidade, não é a força de vontade. Mesmo que pra nós, torcedores, todos esses outros fatores tenham MUITA importância.

 

Futebol é resultado. Bola para frente!

 

E se o Ferraz acertasse aquele gol? E se no primeiro jogo não tivéssemos errado tanto? E se o Rodrygo tivesse entrado no primeiro tempo? E se, e se, e se...

 

Nada disso importa mais. Bola pra frente.

 

Fizemos umas de nossas melhores partidas dentro de campo. Corremos como nunca. Tivemos um apoio incondicional e incessante nas arquibancadas. Lutamos. Insistimos. Conseguimos marcar e prolongar a partida para as penalidades máximas.

 

Pênaltis é loteria. Não tem como voltar atrás. Ou você será ovacionado ou xingado. Não tem jeito, sempre vai sobrar para alguém.

 

Dessa vez, sobrou para o Ferraz.

 

E sim, já o critiquei inúmeras vezes, e constantemente acho que ele nem deveria estar no Santos. Mas enquanto ele estiver usando a camisa do meu time, tenho que dar um voto de confiança. Camisa pesa, né.

 

Ferraz errou, mas durante os outros 90 minutos de jogo ele acertou, fez diferença e ajudou aos companheiros. Todo mundo deu o seu melhor. Todo mundo.

 

Todo mundo estava no mesmo ritmo, menos o Corinthians, que via o seu adversário jogar enquanto ele mal conseguia.

 

Por mais que a raiva inicial tenha me cegado, ela amenizou e agora com mais clareza vejo que fizemos o que podíamos, corremos atrás do resultado e por detalhes que acabaram sendo cruciais não conseguimos a classificação.

Bola para frente.

 

Não conseguimos ontem mas temos que estar de cabeça erguida para a próxima decisão que teremos quinta. E eu espero que tenhamos a mesma garra e força de vontade vista nesta segunda-feira no Pacaembu. Assim como também espero que a força da torcida seja a mesma.

 

Que a torcida não deixe apenas para abraçar o time em decisões, mas em todos os jogos. Que sejamos sempre o 12º jogador, porque provamos que somos e sempre seremos a força que moverá o alvinegro praiano onde quer que ele esteja.

 

Levanta e anda, Peixão. Bola para frente!

 

Por: Carolina Ribeiro