CABEÇA DE PORCO

  Na reta final do campeonato, o coração Alviverde está à milhão!

Mas afinal, o que está passando pela cabeça do torcedor Palmeirense?

 

 untitled_2.jpg           

   Fonte: Porcopedia

 

A espera é longa. Vinte e dois anos. O coração tem motivos de sobra para estar acelerado. O título está muito perto, mas ainda não está ganho.

A última conquista no Campeonato Brasileiro foi em 1994, nesse ano o Palmeiras exibiu uma campanha de encher os olhos, com números incríveis.

Basta dizer que no primeiro turno, o time não perdeu. Dos 10 jogos disputados, o Verdão venceu 9 e empatou apenas um jogo, partida que foi disputada contra o Fluminense, no Caio Martins.

O saldo de gols também impressiona, foram 26 gols na caixa e apenas sete gols sofridos. O Palmeiras foi líder absoluto. No segundo turno, apesar de alguns deslizes, o time continuou se mostrando favorito ao título.

Na época, o regulamento era muito diferente, o campeonato era composto dos dois turnos iniciais, que se afunilavam em quartas de final, semifinal e a grande final, disputada em dois jogos.

Para apimentar o clima de decisão e deixar o título com um sabor ainda mais gostoso, os deuses do futebol não pouparam emoção e escolheram o jogo da grande final à dedo... A decisão ficaria por conta de nada mais, nada menos, que Palmeiras e Corinthians.

O título brasileiro seria disputado pelos maiores arquirrivais da história.

Não é preciso dizer, que no dia 15 de Dezembro de 1994, a grande decisão, lotou o Estádio do Pacaembu e fez o Brasil parar. Foi uma noite realmente, memorável.

Os 37.940 torcedores que testemunharam o espetáculo, são unânimes em dizer que a partida fez juz à uma grande final, digna daquele campeonato disputado com muita garra e paixão.

O time do técnico Wanderley Luxemburgo, destruiu o adversário com um show de bola e um placar de 3x1. Dos três gols marcados, dois, foram assinados pelo nosso craque, dono da camisa onze, o inesquecível Rivaldo.

Se fechar os olhos, qualquer Palmeirense consegue se lembrar facilmente da beleza e maestria do primeiro gol que saiu no final do primeiro tempo e encheu o time de confiança. O segundo, também de Rivaldo, veio no começo da etapa complementar, uma batida primorosa no canto do então goleiro Ronaldo.

Para carimbar a faixa, Edmundo, recebeu um passe perfeito de Evair e balançou a rede novamente, ampliando o placar e fazendo o torcedor ir à loucura.

Os adversários alvinegros, calaram-se abafados pelos gritos de “au au au Edmundo é um animal”.

O Palmeiras levou a grande vantagem para o segundo confronto e com um empate de 1x1, consagrou-se como Bicampeão Brasileiro de 1994, já que também havia brilhado no ano anterior.

Lágrimas, abraços emocionados e gritos de “É Campeão”, estarão para sempre guardados “nas paredes da memória...”

35467_ori_foto.jpg

Fonte: Porcopedia
 

E na parede do quarto, o velho e empoeirado pôster exibe o nome dos heróis de 1994: Cléber, Veloso, César Sampaio, Cláudio, Wagner, Antonio Carlos, Edmundo, Flávio Conceição, Evair, Rivaldo e Zinho

Mas o tempo corre rápido como o relógio numa partida de futebol e 2016 chegou num piscar de olhos… Depois de um longo jejum, o Verdão está novamente nas cabeças e é o grande favorito ao título Brasileiro.

Semelhanças incríveis ligam as duas campanhas, o Palmeiras de 2016, é dono de uma sequência invejável, assim como o de 94. Mas grandes diferenças também podem ser vistas, principalmente no que diz respeito aos seus comandantes, Luxemburgo e Cuca, são praticamente opostos.

Ninguém discorda de que o Palmeiras de hoje, está muito perto de sair da fila, mas a verdade é que ainda não somos campeões. Ainda é preciso alguns duros prélios para colocar a mão na taça.

O título só pode ser celebrado, quando o apito final, for dado.

Foi pensando nessa expectativa, na ansiedade, nesse “quase lá”, e para alguns, no medo de não chegar, que fomos ouvir os personagens mais importantes dessa história.

Porque o tempo passou, o campeonato mudou, o elenco é outro, mas algo permanece inalterado: o coração do torcedor Alviverde. A lealdade e o amor incondicional da nossa torcida, sempre fez a diferença.

“Passam-se os anos, passam-se os jogadores, a Mancha está presente e nunca pára de cantar...”

Mulheres em campo perguntou: “O que está passando pela cabeça do torcedor Palmeirense nesse momento?”

Com a palavra... Os Porcos!

 

“Eu só tenho certeza de que o Palmeiras vai ser campeão. Eu tenho o sentimento que nós vamos ser campeões, desde o começo... Porque estamos muitas rodadas na frente, o time está bom. Está tudo conspirando à favor. Não tem nenhum perigo, nós vamos ser campeões e pronto.” Tati

“Falta pouco! São vinte e dois anos na fila do Brasileiro! A gente nunca deixa a confiança... Vamos ser campeão! A gente nunca desiste, o negócio vai sair... Nenhuma dúvida, é só a gente fazer a nossa parte, não dá pra torcer pelos outros, só depende da gente. O título é nosso” Sérgio

 

“Esse título ainda não é nosso, mas ele vai ser. Vamos torcer com os pés no chão, sem muito ‘oba oba’, sem ficar cantando vitória antes da hora, com muita humildade. Pra mim, comemorar antes da hora dá azar... O Cuca está certo de colocar isso para os jogadores, se o time entra numa de ‘já ganhou’, ‘tá tudo certo’, é nessa hora que o time começa a cair. Então tem que ser na humildade, respeitando o adversário. Enquanto não for campeão matematicamente, não pode achar que já ganhou. Mas está bem encaminhado, então temos grandes chances. A gente só depende da gente...” Marquinhos

 

“Já ganhou!!! O Palmeiras só depende do Palmeiras, de mais ninguém. São vinte e dois anos na fila e agora é só comemorar. Eu não tenho medo nenhum, nós vamos ganhar e acabou. Eu acho que esse jogo de hoje contra o Internacional é ‘o jogo do título’.” Dai

 

“A minha cabeça tá à mil (risos), não consigo pensar em outra coisa... Fazendo um monte de conjectura, imaginando um monte de cenário diferente, pensando nos adversários, no que a gente tá jogando... A gente nunca esteve tão próximo, nesses vinte e dois anos de fila do campeonato Brasileiro. A gente nunca teve um time tão bom pra ganhar.

Um desses anos foi 2009, que foi o mais perto que a gente chegou, a gente liderou por uma boa parte e na reta final, a gente deu uma decaída e acabou não classificando nem para a Libertadores, fomos de primeiro para quinto... A gente precisa muito desse título, para se recolocar de vez no cenário! O que passa na minha cabeça é o medo do ‘já ganhou’, não existe campeão, antes do apito final. O Palmeiras ainda não é campeão. É muito fácil perder esse título, acredite se quiser(...) Eu imagino que o Cuca está fazendo um trabalho, não só técnico, mas psicológico nesse sentido. Mas eu to confiante! Eu sinto que a gente vai ser campeão, mas eu quero que isso seja em campo. Vamos fazer a nossa parte e deixar os outros caírem pelo caminho...” Jonny

 

“Pra mim eu acho que o Palmeiras já levou! Eu sempre fico pensando na história do Palmeiras, acho que é uma equipe muito raçuda, desde sempre. Claro que tem esse medo de ‘talvez não leve’, mas eles tão vindo bem, acho que tem tudo pra ganhar. O fato do Santos ter assumido a vice-liderança hoje, não me assusta, Palmeiras é Palmeiras! (uhuuuuuuu risos)...” Lívia

 

“O título ainda não é nosso, mas estamos com praticamente 99% de chance de ser campeão. Com o elenco que o nosso time tá agora, o grupo muito unido, jogadores dando a vida em campo, eu acho que não tem pra ninguém, dessa vez vai... O jogo mais difícil vai ser o próximo, contra o Atlético Mineiro, mais risco de perder o campeonato, acho que não tem. Eu acho que o medo é com relação ao saldo de gols que o Santos tem, mas eu acho que nada pode tirar esse título de nós...” Naldo

“Eu tenho que te falar que eu não sou esportista, eu sou Palmeirense. Eu não comemoro vitória antes de jogo, mas eu comemoro jogo após jogo. E a gente desde o começo do campeonato acredita que vai ser campeão. Ano passado sofremos, mas agora jogo após jogo a gente cresceu, já trocaram todas as posições e a gente continua na frente. Não me preocupo com quem tá atrás, isso é problema deles, se a gente ficar olhando pra trás, escolhendo adversário, não dá... Temos que olhar para frente! Seremos campeões!” Ronaldo

 

“Na minha cabeça o título tá ganho, lógico, nós como torcedores, sempre vamos achar que já ta ganho... Mas temos que ser pé no chão, ganhar tudo... Quando tava três pontos a diferença, eu tava mais nervoso... Acho que é normal, né? Para um torcedor que ama o time (risos), mas acho que ninguém tira esse título da gente. Eu acho que se tiver algum deslize, está sob controle, porque está seis pontos na frente. Acho que o ‘jogo do título’ foi hoje, por causa da motivação...” Morais

(Entrevista feita pelos torcedores da Torcida Do Palmeiras em Londres, no dia 6/11/2016, durante o jogo contra o Internacional)

 

Cabeça fervendo. Clima de expectativa. Os sentimentos teimam em se misturar. Passado e presente, certeza e dúvida, angústia e confiança...

Só mais um pouco Verdão. Mais alguns passos. Foco e determinação. Nós estamos com você em cada pequeno passo dessa reta final.

“Por isso nós estamos aqui! Somos Palestra de coração! Nós te seguimos em todas as partes, com a força da paixão”

Alê Moitas