Circo dos horrores

bugre.jpg
Foto: Fernanda Martins

Ridículo, horroroso, inadmissível. Os salários estão atrasados e ninguém trabalha de graça, já sabemos. Mas se entrar em campo, honra a camisa! Essa falta de vontade é uma vergonha. Falta dignidade, falta respeito. Para jogar esse futebol meia boca nem entra em campo, faz greve no vestiário, mas não ousem vestir a camisa!

O jogo contra o Capivariano só podia ter um resultado: a vitória. E ela não veio. Diante de 2.639 pagantes, o Bugre deu vexame.

Para um jogo em plena quarta-feira, no horário das 20h, ingresso à R$ 40,00 e um time que não encanta, até que a torcida compareceu em bom número. Como é triste ver o Guarani nessa situação. Não temos atrativo de público.

Quem viu a partida, viu um Guarani errando cruzamento, recuando bola, errando passe de dois metros, não tendo domínio de jogo. Péssimo, péssimo. Eu não sei como definir isso. Está tudo muito errado nos arredores do Brinco de Ouro, está pior que várzea. É Nazário pedindo camisa do rival em rede social e tentando se justificar de uma forma que nem o boi dormiu com a história que ele contou. É jogador postando fotinha em hotel (Denis Neves e Passarelli). Está se concentrando ou está em rede social? Tudo errado, Guarani. Tudo errado.

Eu quero falar de Maurício Barbieri...

Eu não sei o que você pretende fazer com esse time, não sei quais são as suas intenções. Mas o foco agora é a sua declaração pós jogo para a rádio bandeirantes.

Dizer que o time se comportou bem? Dizer que a zaga foi bem? Que os gols do Capivariano foram de bola parada? Vem cá. Que jogo você viu?

Vamos lá. Deixa eu te explicar humildemente.

1- O time não se comportou bem, porque as jogadas não tem sentido, não tem efeito, não tem objetividade. O Guarani puxa um contra-ataque e volta a bola para a defesa. Então isso não é se comportar bem.

2- A zaga é uma mãe. Só isso. E qual o seu problema em tirar o Genílson que estava melhor na partida e não o Jussani? A única justificativa cabível é se ele pediu para sair, fora isso, está fora dos planos de substituição.

3- A prova de que você não viu o jogo, Barbieri, está aí. O primeiro gol do Capivariano não foi de bola parada. Aos 6′, Gabriel recebeu de Correa, fintou Jussani e Denis Neves e chutou firme, no canto baixo de Luís Henrique para abrir o marcador.

 

Barbieri, aqui vai um recado. Aqui não é Red Bull, aqui tem torcida!

De todas essas críticas, salvo um cara que não merecia toda essa repugnação. Evandro. Esqueceu o holerite no vestiário e entrou comendo bola. Parabéns, espero que você tenha grande sucesso na sua carreira.

bugre1.jpg

Na saída do time, torcida protesta contra a má apresentação

Foto: Fernanda Martins

 

No circo do futebol, o torcedor é o palhaço. Sempre dizemos aquela frase clichê “quanto mais o Guarani nos bate, mais nós amamos esse clube”. E olha, de uns anos para cá está batendo tanto que chega a doer. Eu não cheguei a ver tempos de glórias no Bugre, uma pena, quem viu, viu.

Eu não sei quem são vocês com a camisa do Guarani, mas tirem, por favor! Vocês não merecem vestir esse manto de tradição.

*Leandro Santos, volta logo pelo amor de Deus!*

 

O pós jogo dessa vez está diferente, a opção foi não falar dos lances da partida, quero me poupar de relembrar aqueles momentos tenebrosos.

 

 

O próximo compromisso do Bugre é em Rio Claro, contra o time da casa e líder do campeonato, no domingo (05), às 16h. Quero vencer!

 

Por Fernanda Martins.