Com G6, Libertadores virou obrigação!

Sem vencer há quatro jogos, Corinthians recebe o Galo em Itaquera


 

Com  a reformulação da Copa Libertadores da América, que agora será de fevereiro a novembro, duas novas vagas caíram no colo dos times brasileiros, que disputam a série A. Assim, nosso amado Corinthians, que tá numa draga danada, ganhou um ânimo a mais para lutar no Brasileirão, que já era visto como “apenas cumprir tabela”.

O clube pegou a calculadora e fez a conta, chegando a ideia de conquistar 18 pontos, dos 30 pontos que ainda restam. Perdido em campo e com aproveitamento pífio, pensar em 60% dos pontos, gera uma grande desconfiança, já que no segundo turno, dos 27 pontos disputados, a equipe somou apenas 7. Após ficar mais de um ano sem ser derrotado em seus domínios, o Coringão caiu de produção no campeonato, despencou ladeira abaixo na tabela e viu seu torcedor perder totalmente a paciência.

 

Torcida lotou o estádio no confronto contra o rival da Barra Funda. Único grande público do mês de Setembro.

Foto: Globo Esporte

 

Dos 10 jogos que restam no Nacional, em cinco deles o Corinthians será o mandante. Além do Atlético-MG, os outros confrontos terão como adversários: América-MG, Chapecoense, Internacional e Atlético-PR. É a chance alvinegra de fazer as pazes com seu estádio e com sua torcida.

 

Primeiro passo rumo a Liberta

 

Na sétima colocação com 41 pontos, o Corinthians vai em busca do G6 contra o Atlético-MG, hoje na Arena Corinthians. O jogo será às 21hrs, com a arbitragem de Rodolpho Toski Marques (PR) e dos assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Ivan Carlos Bohn (PR).

Ainda sem Cássio lesionado, com Fagner e Romero convocados, o time terá mudanças em relação ao time que perdeu para o Botafogo, no último sábado. Walter segue no gol e Léo Príncipe, o titular na lateral direita.

Gustavo que pediu aumento na carga de treinamentos, fica com a vaga de Romero. O centroavante que ainda não marcou pelo Corinthians, e pior nem tem passado perto disso, tem sido afetado pela “zica” da camisa 9.

 

Gustavo tá devendo com a 9 alvinegra. Foto: Djalma Vassao

 

“Temos conversado, porque ele é um atleta que as coisas aconteceram muito rápido na vida dele, tivemos que acelerar o processo. Do tempo que estou aqui, o único que virou titular tão rápido foi o Ralf. Mas posso dizer que ele tem feito trabalhos específicos e melhorado muito. Espero que contra o Atlético-MG dê uma resposta muito melhor do que deu até hoje” – disse o treinador Fábio Carille, em entrevista ao jornal Lance!

 

Rodriguinho e Giovanni Augusto, cumpriram suspensão e voltam ao time. No banco de reservas, Carille poderá contar com Uendel, Pedro Henrique, Bruno Paulo e Guilherme, que estão recuperados de lesão. Mesmo sendo titular absoluto, o lateral esquerdo Uendel ficará no banco, por não ter condições de jogar mais do que 45 minutos.

Assim o time titular será:  Walter; Léo Príncipe, Yago, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Marlone; Gustavo.

 

2017 vem aí

 

Roberto de Andrade e a diretoria alvinegra, com orçamento baixo, já estão pensando no elenco da próxima temporada, mas o torcedor pode perder as esperanças de ver grandes jogadores no elenco. No plano de diminuir as dívidas do clube, os jogadores trazidos, serão na maioria desconhecidos ou algum atleta “encostado”.

 

“Não sei o que vocês chamam de jogador badalado. Quando a gente faz um planejamento, com ou sem Libertadores, pensa sempre em ter um time forte. E nem sempre você precisa de um jogador badalado para isso. O jogador precisa ter qualidade, sendo badalado ou não”, disse em entrevista coletiva, o presidente Roberto de Andrade.

 

O jovem Luidy, do CRB, já está acertado com o alvinegro. Segundo a imprensa, Marcelo Moreno, Sassá, Jadson e Jô, podem reforçar a equipe, mas Roberto de Andrade, ou não confirma interesse, ou nega o contato.

A maior preocupação alvinegra é sobre quem comandará o time à beira do gramado. Luxemburgo agrada parte da torcida, mas parte da diretoria, prefere Oswaldo de Oliveira, que hoje comanda o Sport.

Sabemos, que enquanto Andrade for o gestor do clube, a tendência será sempre de elenco mediano, sem jogadores badalados, ou grandes estrelas. Com a dívida da Arena, que não para de crescer e a eterna saga do Naming Rights, que pelo jeito nunca será vendido, o time conta as moedinhas para seguir.


por Mariana Alves, pelo Corinthians, com muito Amor, até o Fim!