COMEÇAMOS COM O PÉ ESQUERDO, MAS AINDA TEMOS 90 MINUTOS DE ESPERANÇA

Em jogo duro, as alviverdes perdem em casa e saem em desvantagem na disputa pela vaga na final do Paulistão 

 

Palmeiras e Corinthians se enfrentaram na tarde desta quarta-feira (2), em partida válida pelo jogo de ida da semifinal do Campeonato Paulista. As palestrinas começaram bem, mas não conseguiram segurar as adversárias e perderam por 1 a 0. A batalha agora ficou mais difícil, pois para avançar, as Alviverdes precisam vencer por dois gols de diferença, ou podem tentar decidir nos pênaltis. 

 

Angelina foi um dos destaques alviverdes. Foto: 

Rodrigo Corsi/FPF

O JOGO

As palestrinas começaram com força total, se arriscando em subidas ao ataque desde os minutos iniciais, porém sem conseguir finalizar. A primeira chance clara do Verdão veio aos 15 minutos, quando Ary Borges tentou encobrir a goleira adversária mas não conseguiu chegar ao gol. O Palmeiras seguiu insistindo, e aos 28' foi a vez de Angelina tentar com um chute de fora da área, mas a bola passou próxima à meta de Lelê e foi para fora. A partida seguiu equilibrada até o fim da primeira etapa, e as equipes foram para o intervalo com o placar zerado.

A etapa complementar seguiu como acabou a primeira, bem disputada. As palestrinas só conseguiram ter uma boa oportunidade aos 15 minutos, quando Bianca investiu numa jogada de contra-ataque e conseguiu finalizar para o gol, mas não conseguiu marcar. E como diz o ditado "quem não faz toma", as adversárias conseguiram o gol aos 19', com Gabi Nunes. 

As alviverdes não desanimaram e seguiram em busca do empate, porém, com a defesa bem colocada das alvinegras, as donas da casa não conseguiram marcar. Preocupado em não expor a defesa e levar o segundo gol, o Palmeiras acabou diminuindo o ritmo das investidas. Com muito sol e as duas equipes já cansadas, a partida acabou mesmo em 1 a 0 para as adversárias. 

Palmeiras e Corinthians voltam a se enfrentar no dia 10/12, às 16h, na Arena Barueri.

 

#AvantiPalestrinas 

Por Vânia Souza 

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Portal Mulheres em Campo.