Como é bom ser do Juventude!

 

 

Em partida para retomar a confiança, alviverde derrota o freguês Botafogo e conquista a classificação para a quarta fase da Copa do Brasil


 

Nesta quinta-feira (11), o Juventude provou porque é o maior do interior, derrotou o menor entre os maiores, pelo placar agregado de 3 a 2 e está classificado para a próxima fase de uma competição que conhece bem!

Nem o mais otimista dos juventudistas acreditava que teríamos uma atuação tão deslumbrante. O Ju jogou bem, mereceu a vitória e ainda contou com o apoio de mais de 12 mil torcedores. A verdade é que agora a tendência é melhorar, a festa pós-jogo entre torcida e atletas mostra que a força conjunta voltou.

Posso estar sendo precipitada, entretanto, me iludi horrores com a partida de hoje. Parece que o Juventude, aquele que fazia do Alfredo Jaconi sua força, que jogava para a torcida, que tinha garra e vontade de vencer voltou!

É impossível escrever sobre o jogo sem mencionar a nossa superioridade. O time de Série A ficou pequeno diante da nossa força! O goleiro de Seleção usou e abusou da cera. Os atletas com salários estrondosos pararam na nossa defesa, isto é, nas poucas vezes que chegaram até ela.

 

Braian Rodríguez, nunca critiquei

(Foto: Divulgação E.C. Juventude)

 

Também precisamos falar sobre a dupla Vidal e John Lennon, que funcionou com perfeição. Como o técnico Marquinhos Santos colocou em entrevista depois da partida, um complementou o outro e isso foi essencial para que a torcida destinasse um voto de confiança ao atleta oriundo das categorias de base. Inclusive, o camisa dois saiu de campo aplaudido e com boa parte da torcida gritando seu nome. Merecido!

 

Na outra lateral, Eltinho se mostrou experiente, como sempre. Felippe, que precisou substituí-lo, não deixou a desejar. O guri veio com toda a força e mostrou pro Botinha que em terras alviverdes, carioca não tem vez!

Dalberto, mais uma vez, foi excepcional. Mas isso não surpreende ninguém. Dele e de Denner sempre esperamos o melhor. Afinal, vontade de vencer não falta para esses dois.

Marcelo Carné não foi muito exigido. Entretanto, quando precisamos ele estava ali para proporcionar segurança e tranquilidade a todos nós.

Braian Rodríguez. Bom, despejei algumas críticas sobre ele durante o jogo. Mas, com o gol (decisivo mais uma vez) me calei. Prometo não criticá-lo para o resto da minha vida. Amém.

Breno, esse é outro que foi alvo das minhas críticas prematuras. Peço perdão. Não merece. Eu nem sei o que falo. Nunca mais o comparo com o Bruno Alves (ex-Caxias).

Enfim, sobre o restante, acredito que ninguém mereça críticas hoje, porque quando vence o grupo é bom e vamos longe. Brincadeiras à parte, creio que o único que deixou a desejar tenha sido Moisés, naquele lance em que Diego Souza errou o gol, em um ato preparado pelas forças superiores para dizer que estavam ao nosso lado. Pela glória e honra do senhor ele falhou e seguiu o jogo. Fomos felizes e vencemos.

Fim!

Bom, não sem antes dizer como eu fico feliz em ver o Jaconi pulsando verde e branco. Em ver a torcida animada, confiante, alegre e orgulhosa em dizer que é do Ju. Como é bom ser do Juventude! Como é bom amar esse clube! Como é bom viver o futebol!

Que venha o próximo. Podem nos menosprezar, com salto alto fica mais fácil mostrarmos nosso potencial.

 

Por: Carol Freitas,

com muito orgulho!