Como surgiu meu amor por um time de futebol?

 

Talvez essa seja a pergunta mais frequente durante todo esse tempo que acompanho o ASA, principalmente pelo fato de ser a única louca, apaixonada por futebol da minha casa, mas vamos lá...

Desde que nasci, moro na mesma rua, rua essa que fica na lateral do estádio Coaracy da Mata Fonseca e ficava encantada quando via aquela quantidade de pessoas passando empolgadas para assistir os jogos, mas infelizmente eu não podia ir, não podia ir porque era criança, não podia ir porque era mulher e futebol não era coisa pra mulher (Graças a Deus revertemos essa condição imposta a nós mulheres e hoje ocupamos o lugar que quisermos, inclusive as arquibancadas). Eu sempre corria pra dentro de casa e me trancava no quarto ouvindo o famoso “radinho de pilha”, mas ficava tão aflita que quando estava se aproximando o fim do jogo eu desligava o rádio sem saber o resultado (e sim, era uma rotina louca porque eu voltava para rua pra perguntar o placar às pessoas que voltavam do estádio).

De repente conheci um amigo que por ironia do destino morava em Maceió e torcia pra um time de lá, mas que estava em Arapiraca de 15 em 15 dias. Como Mainha confiava nele, permitia minha ida com ele ao estádio, mas sempre me dizia que eu só ia pra jogo com ele (mal sabia ela que eu iria conseguir fazer com que ela mudasse essa visão em algum tempo)... Passaram-se os dias e tinha jogo exatamente quando ele não podia ir, mas era sábado à tarde e minha mãe passou a dizer: Você só vai pra esse sem ele porque é à tarde, na semana seguinte o jogo era à noite, comprei ingresso e tentei meio que gaguejando falar com ela, que mais uma vez disse: Só vai pra esse a noite porque é cedo, mas não vai mais,desista... Nessa história toda, meu pai só dizia: Cuidado na sua vida Arielly!

A partir daí passei a frequentar todos os jogos em casa, fiz o sócio do clube e como qualquer torcedor já fiz várias loucuras pelo ASA, uma das maiores que fiz foi tatuar em meu corpo o amor que já não cabia apenas no coração: O nome do meu time e o símbolo do infinito!


 

                         Foto de arquivo pessoal

 

Hoje tento fazer parte do dia a dia do meu clube, inclusive participo de um grupo de torcedores que realizam ações em prol do time, ações com todo o apoio da diretoria (como blitz para atrair sócio torcedor, blitz para vendas de ingressos em dias de jogos, feijoada com bandas e com toda a renda revertida para o time, etc).

 

Foto extraída do facebook


Texto de Arielly Soares, torcedora do ASA GIGANTE.