COPA DO BRASIL: NO SUFOCO, MAS CLASSIFICADOOOOOOO

 

Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio, Fábio!!!!!!!!!!




(Foto: Douglas Magno/ Light Press/ Flickr Cruzeiro)



 

Na busca pelo hepta o Cruzeiro entrou em campo nesta quarta-feira (4), pela segunda fase da Copa do Brasil para enfrentar o Boa Esporte. A partida aconteceu no estádio do Melão em Varginha, às 21:30.

O técnico Adilson Batista fez algumas modificações na equipe titular. Voltou com o zagueiro Cacá, que não atuou no último jogo contra o Uberlândia. Colocou também o atacante Thiago no lugar de Pedro Bicalho. E teve o retorno do lateral Edílson. 

O primeiro tempo começou disputado. As duas equipes se mostraram determinadas a ganhar e evitar os pênaltis em caso de empate. Porém, logo o Cruzeiro tomou conta do jogo e se impôs. O adversário teve um único lance de perigo, mas o goleiro Fábio defendeu com facilidade. 

O Cruzeiro teve algumas boas chances. Estava mais perigoso que a equipe do Sul de Minas, mas não foi uma partida brilhante. De qualquer forma, pela superioridade, merecia marcar. E foi exatamente isso que aconteceu aos 36’, em um escanteio batido por Filipe Machado. A cobrança fechada pela esquerda desviou em João Lucas e entrou. 

O lance foi complicado pois houve disputa entre o atleta Celeste e o atleta adversário antes de entrar para o fundo do gol, mas o juiz confirmou a autoria do gol para João Lucas. Cruzeiro 1 a 0.


(Foto: Douglas Magno/ Light Press/ Flickr Cruzeiro)

 

No segundo tempo, o Cabuloso começou chegando com uma jogada entre Thiago, Marcelo Moreno e finalização de Éverton Felipe, mas Wesley tirou a bola.

Até os 11’ a equipe Celeste estava com mais posse de bola, mas se mostrava mais tranquilo, administrando a vantagem. Esse foi o erro, pois já aos 13’ o Boa empatou. 

Cesinha mandou a bola pelo lado direito para Yuri, João Lucas ainda tentou desarmar, mas a bola sobra para Claudeci que chutou no lado direito do goleiro Fábio que não conseguiu evitar o gol. Tudo igual, 1 a 1. 

A partir daí o Boa Esporte se animou e ficou bem mais perigoso. O meio de campo do Cruzeiro não estava bem e oferecia oportunidade para o adversário crescer. Se na etapa inicial o Cabuloso teve boa atuação, na etapa final...muito fraco. 

Aos 16’ o técnico Adilson Batista tirou Thiago e colocou Marco Antônio e aos 34’ Marcelo Moreno e colocou Jhonata Robert. Aos 38’ uma falta perigosa a favor da equipe da Toca. Edílson poderia bater e até mesmo Marco Antônio, mas Jhonata Robert foi o cobrador. A bola bateu forte na barreira. O Cruzeiro precisava de mais um gol para evitar as cobranças de pênalti, mas não adiantou. 

Esse ano parece que não será nada fácil. Só com muita luta e raça. Nos pênaltis, a classificação veio, mas foi suada. Não interessa! O que importa é que o Cruzeiro jogará a terceira fase da Copa do Brasil contra do CRB-AL e receberá R$1,5 por isso.

Já o próximo confronto do Cabuloso será no sábado (7), pelo Campeonato Mineiro, contra o Atlético, no estádio Mineirão. O adversário é o mandante do jogo por isso a torcida Celeste será de apenas de 10%. 

 

(Foto: Douglas Magno/ Light Press/ Flickr Cruzeiro)


 

Cobranças de pênaltis

 

Boa: Gindre - lado esquerdo – GOL

Cruzeiro: Edílson – lado direito – GOL

Boa: Chiquinho – lado direito – GOL

Cruzeiro: Filipe Machado – lado direito – GOL

Boa: Yuri – lado direito – DEFESA DO FÁBIO 

Cruzeiro: Éverton Felipe – lado direito – GOL

Boa: Jefferson – lado esquerdo – GOL

Cruzeiro: Marco Antônio – PARA FORA 

Boa: Carlinhos – lado direito – GOL

Cruzeiro: Léo – lado esquerdo – GOL 

 

Cobranças alternadas 

 

Boa: Ferreira – PARA FORA 

Cruzeiro: Maurício – lado direito - GOL

 

Ficha técnica 

 

Boa Esporte 1(4) x 1(5)Cruzeiro  – 2ª fase da Copa do Brasil 

 

Local: Estádio do Melão/ Varginha (MG)

Data: 04/03:2020

Hora: 21:30

Cruzeiro: Fábio, Edílson, Cacá, Léo, João Lucas, Filipe Machado, Jadsom (Pedro Bicalho), Maurício, Éverton Felipe, Thiago (Marco Antônio) e Marcelo Moreno (Jhonata Rocha). Técnico Adilson Batista. 

 

Boa: Renan Rocha, Yuri Almeida, Wesley, Henrique Moreira, Ferreira, Caio César (Chiquinho), Carlinhos, Claudinei (Romário), Anderson Gindre, Cesinha (Denis) e Jefferson. Técnico Nedo Xavier. 

 

Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Michael Correia e Silbert faria Sisquim (RJ).


 

Sam Bella

#BoraReconstruir

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna, não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.