Corinthiano maloqueiro e sofredor!

 

Graças a Deus, fui concebida Corinthiana, uma paixão inexplicável, uma religião que não se ensina aos antis ateus. Teste pra cardíaco? Não precisamos! Quer teste melhor pro coração que jogo do Timão?

 

 

Doutor, o senhor tinha razão, meu coração é mesmo Corinthiano e mais que isso é sofredor! E como eu sofri, assistindo Corinthians e Coritiba, na noite do último sábado. Foi ali, no finzinho, rezando, já aguentando as mensagens dos “antis”, que uma virada ao maior estilo Corinthiano teve inicio.

Ainda eufórica e atônita pelo que tinha acabado de ver, decidi traduzir todo êxtase, o Corinthianismo puro, em palavras… disse a um grande amigo: Corinthiano pensa tudo igual!

A gente já nasce um sofredor, desde o primeiro “tu és orgulho”, sentimos o coração palpitar, e a identificação é imediata. Quando a Fiel começa a cantar é impossível não se arrepiar, sentir o corpo todo ser contagiado pela emoção e mesmo sem perceber já estar cantando, alucinado. Sabe aquela frase? Corinthiano não nasce, corinthiano ele é concebido? Ela, nos resume!

 

Corinthiano, sofre desde de pequeno. Nascemos com a consciência de que acima de tudo, está o Corinthians!  Foto: meutimão

 

Contra tudo e contra todos, formamos uma legião de loucos apaixonados e inconsequentes, só um Corinthiano entende o outro. Aprendemos desde de pequenos, que o gol só se comemora depois que a bola estufa as redes, que até o o arbitro aptar, não devemos somente cantar, mas sim crer que a vitória virá.

Dia de jogo do Timão tem sempre um clima diferente, sair com a camisa na rua, gera além do nosso eterno mantra, “Vai Corinthians”, comentários rápidos de pessoas muitas vezes desconhecidas, “hoje tem timão em”. Desconhecidos pela vida, unidos em prol do Corinthians!

Somos mais de 30 milhões de Loucos… 30 milhões de corações apaixonados e que pulsam num só ritmo. Mãos unidas em sinal de oração, o nervosismo e a apreensão são inevitáveis, a cada jogo do Timão. Seja no futebol de botão, seja no fim do mundo, Corinthiano sempre defenderá as cores do pavilhão!


 

Derrubei barreiras

 

Nunca serão!

Não tem estádio!

Não tem passaporte!

Libertadores só no videogame!

Nunca, não, jamais, nunca, não, jamais, nunca, não, jamais, não não não eles não podem não, eles não, eles não...

Como podem amar um clube assim? De onde tiram forças pra torcer mesmo sendo ridicularizados?

Um dia o presidente Andrés Sanches disse: aqueles que querem rir da gente, que deem risada agora, porque vai ser a última vez…

Era um fatídico 03. 12. 2007, escrevo com lágrimas nos olhos, por lembrar da dor que senti, do ódio de ver meu time da forma que estava. Os erros, os seguidos erros, a maldita MSI, arrasaram o Corinthians e pagávamos por isso. Doía, como se rasgassem a carne em volta do peito. Cada alvinegro que como eu, chorou, mas secou as lágrimas, ergueu a cabeça e fez o que mais gostamos de fazer, que é ostentar a camisa depois de uma derrota, sabe do quanto o Andrés estava certo!

 

 

Cada lágrima que derramamos em 2007, valeram a pena. Foto: impedimento.org

 

Ah que tolos! como puderam duvidar de nós?

Vivemos e vencemos! De lá pra cá, a cada ano temos títulos que calam os críticos, por mais que eles tentem nos contestar. Quando menos se crê no Corinthians é o quando ele mostra o seu poder de reação.

A Liberta tão esperada, veio e veio de modo a calar qualquer um. Invicta, unanime, mas não sem passarmos pelo drama, afinal de contas pra nós, nada é fácil.

De um gol de Ralf, no finzinho, aos 46 do segundo tempo em nossa estreia, passando pelo erro de Alessandro que culminou na incrível e memorável defesa de Cássio contra o Vasco, até o gol da mais pura frieza de Romarinho em lá Bombonera. Não contentes, partimos para calar o Mundo, mostrar a eles como se torce, como se ama!

30 mil loucos no Japão. Quantos carros, casas, móveis, rifas foram vendidas? Quantas mulheres insatisfeitas eram contra e foram ignoradas pelo prazer de ver o Corinthians? Quantos não foram mandados embora de seus empregos, ou simplesmente "mataram" suas sogras, mães, tias para poder acompanhar o jogo? E valeu a pena!

Um gol a lá Básilio, com sofrimento, rebatido e o nosso nome ecoava pelo Mundo inteiro! O time do povo, calava o Mundo!

Sabemos que nosso amor vai muito além das vitórias, já dizia Toquinho “Ser corinthiano é ir além, de ser ou não ser o primeiro”, porque  Corinthiano não vive de título, vive de Corinthians!

Caros antis, tenho-lhes um pedido especial. Por favor, criem novas barreiras, pois gostamos de desafios. Tudo o que cada um de vocês um dia duvidou, ou usou para nos provocar, simplesmente acabou, perderam tudo o que podiam falar sobre nós.

 

Corintiano maloqueiro e sofredor, Graças a Deus!

 

Levamos uma vida diferente, em um Universo paralelo, que gira em torno do amor pelo  Corinthians. Ser Corinthiano é um estado de espírito.

Os operários que transformaram o Corinthians em realidade, que deram a chance do povo viver o futebol, dantes tão elitizado, a eles serei eternamente grata, pois a vida sem o Corinthians é inimaginável!

O Corinthians traz nas suas 11 letras, dois sentimentos, o amor e ódio, sim, ou se ama, ou se odeia. Por isso, o mundo é dividido em dois povos, o Corinthiano e anti-Corinthiano. Um, apaixonado, obstinado, que coloca o time acima da própria mãe, enquanto outro, deixa de torcer para o time, para secar o Corinthians.

Somos considerados o maior rival, de todos que nos enfrentam, muitos se unem pra torcer contra nós, enquanto em nossas cabeças o que importa é poder ver o Timão em campo. A camisa sempre a postos, às vezes aquela já velha, surrada, mas considerada um amuleto e inseparável, na hora de torcer.

 

Vou vestir meu manto, manto alvinegro! Foto: fotolog

 

Somos maloqueiros e sofredores natos! Nas ruas da periferia, vendo os moleques jogando, aquele corinthiano velho de guerra contando sobre o gol de Basílio, dos anos de luta pelo título paulista, da invasão do Maraca, pra não deixar que a juventude alvinegra, esqueça do passado, que fez do clube, o que ele é hoje. Todos sabemos que depois da Liberta, ficou fácil ser Corinthiano, mas quantos desses supostos alvinegros, mostraram a cara depois da eliminação para Guarani-PAR? Quantos desses assistem o jogo até o final, quando a derrota é iminente? Creio que poucos!

O Corinthians não é pra qualquer um, não se explica a ninguém o que é ser Corinthiano. Temos orgulho do amor que sentimos e assumi-lo mesmo nos piores momentos. Alguns não estão preparados para isso, para ser Corinthiano e aceitar, que o clube sempre estará acima de tudo e de todos.

Termino meu texto com a frase de um dos meus maiores Ídolos, um Corinthiano a quem todos deveriam tomar como exemplo. Uso-a pois ela resume o meu amor pelo clube:

 

"Não sou corinthiano de coração, porque um dia ele para. Sou corinthiano de alma, pois ela sim é eterna!". Dr. Osmar

 

Minha alma é Fiel...



por Mariana Alves, pelo Corinthians, com muito Amor, até o fim!

Blog Mulheres em Campo