CORITIBA: UMA MÁQUINA DE PONTOS PERDIDOS!

 

Foto: Coritiba Oficial

 

Na noite desta sexta-feira  (08), o time do Coritiba e sua torcida viajaram até o litoral catarinense para mais um jogo importante, válido pela trigésima quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Mais uma vez a obrigação eram os três pontos, mas eles ficaram pelo caminho. De novo. Novamente. Outra vez.

 

Hoje não pretendo falar muito da partida em si porque não pude assistir o jogo (a colunista também tem o direito de sextar às vezes, rs). Mas acredito que nem precise. É o famoso "mais do mesmo": time que vai atrás do resultado, consegue se defender contra a pressão adversária e quando consegue enfim marcar o seu gol, recua até levar o empate. 

 

Já perdi as contas de quantos jogos neste segundo turno o Verdão começou vencendo e cedeu o empate. Incompetência da zaga, que não consegue segurar o ataque adversário? Falta de qualidade nas jogadas do meio de campo? Imprecisão do ataque? Alterações erradas do treinador? Ou, quem sabe, uma mistura de tudo isso?

 

A verdade é que, mesmo estando no G4, o torcedor está cansado de apresentações tão pífias e nulas dentro de campo. Não se pode nem comemorar um gol, porque sabemos que até o minuto final muita coisa pode acontecer. Eu estava acompanhando a partida  pelo placar ativado no meu celular, e quando vi 1x0 Coxa, senti aquela felicidade, que se encerrou ao ver que ainda faltava mais de meia hora para o jogo acabar. Eu já previa que este placar mudaria logo, e não seria a favor do Alviverde: dito e feito.

 

O empate em 1x1 não foi de todo ruim, por ser fora de casa, contra um Figueirense que luta para não cair para a série C. Mas são tantos vacilos, inclusive dentro do Couto Pereira, que qualquer resultado que não sejam os três pontos se tornam péssimos. O Coxa é o terceiro colocado com 54 (até o desfecho da rodada, já que Atlético GO tem a mesma pontuação e ainda joga). Se não melhorar o desempenho nestas próximas quatro partidas, corre grandes riscos de ficar de fora da área de conforto. Não quero nem pensar nisto.

 

Os destaques da partida (não tanto por desempenho, mas pelo resultado), foram Alex Muralha e Robson. Muralha defendeu um pênalti ainda no primeiro tempo e fez defesas importantes que evitaram o gol dos catarinas. Mas no momento do gol que seria o de empate deles (aos 24 da segunda etapa), o arqueiro não teve a mesma precisão. Já o atacante RobGOL fez um belo feito, logo no início da segunda etapa, limpando a marcação e mandando para as redes. 

 

Outro destaque positivo foi a torcida (como sempre). Os coxas-doidos presentes na Ilha da Magia cantaram antes, durante e depois do duelo. Mesmo preocupado e desconfiado, o apaixonado alviverde ainda acredita que irá ver o Glorioso retornando ao local do qual nunca deveria ter saído: a Primeira Divisão.

 

Na próxima terça-feira  (12), mais uma decisão. Agora, contra o Brasil de Pelotas, novamente fora de casa. E como dizem Marcos, Belutti e Ferrugem:

 

Só pra te avisar

Prepare o coração...

 

VAI PARA CIMA DELES, VERDÃO.

 

SÉRIE A É OBRIGAÇÃO.

 

Por Viviane Mendes, coxa doida de coração.