Custou caro

A maldição do Serra Dourada assombrou novamente.

34268921073_b6d096f077_b.jpg
Foto: Facebook Guarani F.C

O Bugre foi até Goiânia para enfrentar o Vila Nova em confronto válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B e voltou com a derrota na bagagem. Com um time irreconhecível em relação ao que venceu o Figueirense, o Guarani até teve grandes chances, mas assistiu o Vila tocar a bola até a conclusão dos três gols.

Como já era de se esperar, o Tigre criou as primeiras oportunidades do jogo. As mais claras com Alípio, que chutou no travessão de Leandro Santos e a outra com Wallyson, em que o arqueiro bugrino defendeu. O Guarani só foi acordar depois da parada para hidratação devido à alta temperatura que fazia. A primeira chance clara de gol foi nos pés de Eliandro, ele recebeu grande passe de Bruno Nazário, driblou o goleiro e chutou em cima da marcação. A segunda chance saiu dos pés de Fumagalli em cobrança de falta. Ele achou Genilson que cabeceou para defesa de Elisson. E como já dizia o ditado: quem não faz, toma! O time da casa aproveitou a oportunidade para abrir o marcador aos 42’ com Mateus Anderson e ampliar aos 47’ com o capitão Wesley Matos. Anote aí, nosso setor defensivo ficou só observando. No primeiro gol, marcaram de longe, sem dar o bote, até o jogador do Vila chutar. No segundo, o jogador não precisou nem subir para cabecear.

34268922653_1475994e2d_b.jpg

Foto: Facebook Guarani F.C

Na volta para o segundo tempo, Vadão entrou com duas alterações. Fumagalli e Claudinho saíram para entradas de Juninho e Edinho. Edinho, esse que não tem condição alguma de vestir nossa camisa. Não vou ficar me martelando, prefiro colocar na cabeça que Vadão sabe o que está fazendo.

Recapitulando, aos 7’, o Tigre fez o terceiro gol. Geovane arriscou de longa distância e Leandro Santos aceitou. Voltando lá atrás, quando eu mencionei o “anote aí”, nossos jogadores, mais uma vez, observaram o toque de bola do Vila Nova. Faltou pegada, chutão e malícia. Time que quer subir tem que jogar sério fora de casa.

O Guarani só foi diminuir o marcador aos 30’, em cobrança de escanteio de Bruno Nazário, Caíque desviou e Diego Jussani balançou as redes. Tarde demais. Conhecemos nossa segunda derrota na competição, mas essa, bem diferente daquela em Recife. Naquela lutamos, nessa assistimos. Mas agora, não há tempo para ficar se remoendo, voltamos à campo já na terça-feira (6), no Brinco de Ouro, contra o Boa Esporte. Lembrando que a partida marca o fim da punição dada pelo STJD, ou seja, é o reencontro do torcedor bugrino com o time.

34235828194_1544450f88_b.jpg

Foto: Facebook Guarani F.C

 

Ficha Técnica

Vila Nova x Guarani

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia-GO

Arbitragem: Nielson Nogueira Dias, Bruno Cesar Chaves Vieira, Francisco Chaves Bezerra Jr e Osimar Moreira da Silva Jr.

Gols: Mateus Anderson, aos 42′ do 1º T, Wesley Matos, aos 47 do 1º T Geovane, aos 7’ do 2º T e Diego Jussani, aos 30′ do 2º T

Cartões Amarelos: Claudinho, Gaston Filgueira

Público e Renda: 2.718 – R$ 26.310,00

Vila Nova Futebol Clube: Elisson; Maguinho, Wesley Matos, Brunão e Gastón Filgueira; Jajá (PH) Geovane, Alan Mineiro e Alípio (Heitor); Mateus Anderson e Wallyson (Marcos Paulo). Técnico: Hemerson Maria

Guarani Futebol Clube: Leandro Santos; Lenon, Genilson, Jussani e Salomão; Evandro, Auremir, Bruno Nazário,  Fumagalli (Juninho) e Claudinho (Edinho); Eliandro (Caíque). Técnico: Oswaldo Alvarez.

 

HSG

Por Fernanda Martins