Da humildade à união

 

Lealdade, Humildade e Procedimento, há 47 anos ditando o ritmo da maior torcida organizada do Brasil!

 

pasted image 0.png

LHP. Foto: Gaviões Oficial

 

Quanto tempo se passou e eles não sabem o que é ser Gavião, ah que tolos, mas só entende a loucura de um Gavião, quem compartilha do mesmo sentimento. Quando a apreensão toma conta do corpo e da mente em semana de jogo, quando se defende acima de tudo o Corinthians, quando se canta até ficar rouco nas arquibancadas e mais que isso, quando se luta pela tradição alvinegra os Gaviões da Fiel se eternizam.

Com a missão de reivindicar e vencer os opressores, dentro e fora dos estádios , os Gaviões foram fundados em 1º de julho de 1969, e desde então seguem firmes, contra tudo e contra todos! De um grupo de jovens tomados pelo desejo de lutar pelo fim da ditadura à simbolo do Sport Club Corinthians Paulista.

 

“Todo gavião precisa de um ninho. Em nosso caso, desde 1969, as arquibancadas dos estádios do Brasil tornaram-se o verdadeiro reduto alvinegro. Nesse “habitat” corinthiano temos a função de gritar os 90 minutos em prol de nossa ideologia mosqueteira”.

 

Roberto Daga (Sócio nº 3 dos Gaviões da Fiel Torcida)

 

Perseguidos e odiados por muitos, mas sempre buscando honrar o nome do seu bem maior, colocando em seu estatuto como maior atributo a obrigação de lutar pelo Corinthians. Ta lá no artigo 4, paragrafo 1:  Defender e proteger o nome do Sport Club Corinthians Paulista, preservando a sua tradição, festejando as suas conquistas passadas e presentes e estimulando a criação de campanhas para aumentar o número de torcedores. É a luta pela imortalidade do time, a luta pela propagação do Corinthianismo.

 

 
“O nosso legado é honrar tantos nomes dentro e fora das arquibancadas.
 Lutar sempre pelo Corinthians, defendê-lo por princípio e apoiá-lo por amor.
 E, consequentemente, transformar o mundo. Sempre para melhor”.
 

(Edmar Bernardes)

 

O maior patrimônio do Corinthians é sua torcida, louca, apaixonada, obstinada e inconsequente, e quando esse sentimento passa do limite da razão, viver o dia-a-dia, em prol do clube se faz necessário. Uma torcida que não mede esforços, para seguir e apoiar o time, como vimos nas invasões de 1976, no Maracanã e de 2012, no Japão, e a Gaviões, o que é que tem!? Hoje, canto em prosa e verso, eu hei de ver! Hei de ver, em cada canto do país.

Caravanas se espalham, não há um jogo do Timão que a Gaviões não esteja lá. O nervosismo, a contagem regressiva para entrar no ônibus e ir apoiar o time novamente, preparando o repertório e as orações pelo caminho.

Uma corrente forte que jamais será quebrada, uma religião a qual depende nossas vidas é aquilo “Jogai por nós”, porque nas arquibancadas os Gaviões cumprem o seu papel! Mas não param por ai!

Mantendo o sangue e a tradição de  cobrar pelo fim da opressão do povo e buscar a liberdade, os Gaviões continuam sendo perseguidos pelo poder público, tendo que superar a desconfiança até mesmo, do próprio torcedor Corinthiano.

Os dirigentes do clube, que um dia tentaram de toda forma conter a criação da torcida, o DOPS- Departamento de Ordem Política e Social, que tanto reprimiu o movimento e todos que achavam que aqueles 5 jovens reaças , La Selva, Jogador, Edmar, Inaté e Joca não chegariam longe, tem de se render ao fanatismo e persistência de cada alvinegro que ostenta o pavilhão dos Gaviões.


 

O dia que a rua virou arquibancada!

Protesto dos Gaviões contra os roubos de merenda no Estado de SP. Foto: Vice

 

Os mandantes do futebol e do Brasil, não serão esquecidos, enquanto a bandeira dos Gaviões tremular. O estádio, hoje tão elitizado e carente do “povão”, não perderá sua raiz e sua tradição. Corinthiano, sempre será o maloqueiro e sofredor e a organizada, não vai abrir mão do que os fez torcedor.

O orgulho e a admiração que criei pela torcida, veio de vê-la lotar as arquibancadas do Pacaembu e do Morumbi, fazendo o estádio pulsar durante os 90 minutos e embalar o time ao ritmo de seus cantos. Aquele saudosismo do Mar Negro que tem sumido na Arena, mas que a tanto custo os Gaviões tentam imortalizar, saudade da festa, dos rolos de papel cobrindo cada parte da arquibancada, enquanto aquele torcedor, punha toda sua força para tremular o bandeirão.

 

A bandeira a tremular, na loucura da arquibancada! Foto: Gaviões Oficial

 

A criação de uma identificação, a questão do sofrimento, de aceitar que para o Corinthiano tudo é mais difícil, me encanta, me fazem ainda mais fanática. Os Gaviões da Fiel, me enchem de orgulho pelo seu fanatismo e por sua luta, fazem meu coração bater mais forte ao som da RiTimão, me fazem cantar com a alma.

 

“Tenho a certeza de que defender essa camisa, foi a melhor escolha que já tive na vida” (Leandro Santos), a frase de um membro a quem tanto tenho apreço me levam a certeza de que meu lugar é nos Gaviões, de que a organizada é o simbolo máximo da minha identificação com o Corinthians. Ver cada criança ter o brilho no olhar quando olha a arquibancada cheia pela primeira vez, o mesmo brilho que um dia eu tive ao ver a torcida pela primeira vez, dão a tranquilidade de que o futuro da torcida está garantido.

 

Um amor propagado de geração para geração. Foto: Meu Timão

 

Temos orgulho do amor que sentimos e de assumi-lo mesmo nos piores momentos. Alguns não estão preparados para isso, para ser Corinthiano e aceitar, que o clube sempre estará acima de tudo e de todos. Quando se veste as cores do clube, mesmo que o placar não seja favorável, a voz não pode fraquejar e cabe a cada torcedor, dar fôlego ao time.

 

“SOU GAVIÃO NO CORPO E NA ALMA

VEM DA ARQUIBANCADA A MINHA RAIZ

FANTÁSTICO É SER FIEL

E NESSE MEU PAÍS

ALVINEGRO É MAIS FELIZ!”

 

O alvinegro é mais feliz, simplesmente por  saber que no final da quarta-feira ou na tarde de domingo, vai poder ver o Timão. Local de irmandade e de igualdade, onde não ha distinção entre religião, raça e credo, pois só importa o apoio ao time, assim cada torcedor sabe que ali no Bom Retiro, terá acolhida, terá o reduto dos Gaviões como morada.

Capaz de criar laços fraternais, de fazer estranhos comemorarem juntos e de virar a razão do viver dos mais de 100 mil associados, uma data tão importante não poderia ser esquecida e deixada de ser exaltada! Da humildade à União, de um povo a força pra lutar: Vida longa aos Gaviões, força independente em prol do grande Corinthians!

 

#47anosdeGaviõesdaFiel

#CorinthiansJogaEuVou

#ENinguémVaiMeSegurar


por Mariana Alves, dedicado ao meu alvinegro favorito Leandro Santos, membro dos Gaviões da Fiel.

“O nosso legado é honrar tantos nomes dentro e fora das arquibancadas. Lutar sempre pelo Corinthians, defendê-lo por princípio e apoiá-lo por amor. E, consequentemente, transformar o mundo. Sempre para melhor”.