Da zona de rebaixamento ao G4: O time da Virada

 

O Santos ocupava a 17ª colocação quando Dorival Jr aceitou o convite para assumir a equipe pela segunda vez,  após cinco anos, com o desafio  de resgatá-la da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e elaborar uma reformulação.

Desacreditada, a equipe foi muito questionada após a saída de importantes jogadores e por enfrentar uma crise financeira deixada pela gestão anterior, fazendo com que a mídia esportiva e torcedores adversários apontassem como certa a queda do time praiano para a série B em 2016.

Porém, a chegada do treinador, substituindo Marcelo Fernandes após a 12ª rodada do campeonato, mudou completamente o cenário da equipe que aos poucos foi adquirindo confiança e iniciando uma reação que levou o time a ocupar a 4ª colocação do campeonato após o fim da 29ª rodada, quebrando um jejum do time que após cinco anos voltou a integrar o G4 da competição.

Mas será que apenas a troca de treinador influenciou nesta reação? Não! Outros fatores contribuíram bastante para isso, como por exemplo, a Vila Belmiro. Nesta “Era Dorival”, foram realizados 10 jogos no estádio e a equipe obteve 100% de aproveitamento, o que gera grande preocupação dos times adversários ao enfrentar a equipe.

Outro fator importante são os jogadores, como sempre, o Santos vem sendo destaque por revelar jovens talentos de suas categorias de base, que se tornaram peças importantes na equipe, e também, por acreditar que jogadores veteranos podem sim mostrar um belo futebol, independente de idade. - Alô, Pastor! Alô, Renato! –

A união e alegria da equipe fora das quatro linhas, passou a ser refletida dentro delas, com o bom entrosamento e motivação que a equipe passou a apresentar, conquistando pontos importantes para o crescimento da equipe na competição, que além de estar no G4 é semi-finalista da Copa do Brasil.

A torcida alvinegra comemora mais do que nunca essa boa fase da equipe que faz valer ainda mais aquele canto tão cantando por nós: “Santos, o time da virada! Santos o time do amor!”.

 

Carolina Ribeiro