DE QUEM É A CULPA?

Com desfalque do goleiro Santos que não entrou em campo em decorrência de uma conjuntivite, o Atlético fez o primeiro gol da partida, mas não segurou o time mineiro e amargou a virada de 3 a 1.

Novamente, o técnico Fernando Diniz demorou para fazer substituições e quando o fez, sacou Thiago Carleto, que era o único jogador que conseguia chegar com perigo à meta do América.

Confira como foi o jogo entre América-MG e Atlético-PR que aconteceu no domingo (04) no Independência, em Belo Horizonte, válido pela 9ª rodada do Brasileirão.

COMO FOI O JOGO

O Furacão vinha de um empate e uma vitória em casa, o que havia dado um pouco de tranquilidade ao time, após uma sequência de derrotas. O América, por outro lado, vinha de duas derrotas seguidas.

O rubro-negro entrou em campo com Felipe Alves; Wanderson, Thiago Heleno e José Ivaldo; Matheus Rossetto, Camacho, Lucho González e Thiago Carleto; Nikão, Guilherme e Pablo.

Tentando empreender o estilo de jogo de Diniz, o Atlético não conseguiu ser objetivo no primeiro tempo, que foi bastante morno. O time usava como referência Thiago Carleto pela esquerda, bem como aproveitando as bolas paradas.

 

Foto: Dudu Macedo/Estadão Conteúdo

 

O primeiro gol saiu dos pés dele: aos 37 minutos, após cobrança de falta, Rosseto apenas passou o pé por cima da bola e deixou para Thiago Carleto mandar com força para o fundo das redes, sem chance para a barreira e para o goleiro Jori que chegou a alcançar a bola, mas não segurou. 1 a 0 para o Furacão.

Mal deu tempo de comemorar. Aos 39 minutos o Coelho empatou o jogo com Serginho, girou no meio de 3, deixando Wanderson no chão e Rossetto perdido.

De volta ao segundo tempo, no toque de bola, o time só conseguia avançar pela esquerda, facilitando para a defesa do América.

Aos 10 minutos Thiago Heleno recebeu e dominou no meio da área, mas ao finalizar mandou a bola no travessão, que explodiu e foi para fora. Nikão também chegou em algumas bolas, e até finalizou, porém sem perigo para o goleiro Jori.

Contudo, o Atlético não conseguiu segurar até o final e logo após a substituição de Carleto por Renan Lodi, o América marcou o seu segundo gol e o segundo de Serginho, virando o jogo no Horto. Ainda deu tempo para o América finalizar mais uma bola com Ademir, fechando o caixão do Furacão com a virada em 3 a 1.

Os cartões amarelos saíram para Matheus Ferraz do América e para Lucho e Guilherme do Atlético.

Mais inexplicável que a falta de ofensividade do time como um todo, ou mesmo das substituições – ou a falta delas -, são as declarações de Diniz: “Melhorou a equipe. O time não jogou mal hoje”, disse.

Notícias de bastidores dão conta que MCP já deu o recado para os jogadores: quem fizer corpo mole está fora, pois o Diniz não sai. O posicionamento explica muita coisa, mas não define de quem é a culpa.

Como se sabe, em um campeonato longo como o Brasileiro, perdas de pontos seguidos fazem muita falta (2011 que o diga).

Em entrevista após o jogo contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil, no qual o Atlético perdeu por 2 a 1, Thiago Carleto – o mesmo que neste jogo contra o América marcou o gol, foi o único jogador ofensivo na maior parte do tempo e foi sacado para a entrada da Renan Lodi – afirmou: “A culpa não é do Diniz”.

Pergunto: a culpa é de quem?

 

MARCOS GUILHERME

Após longa novela e diversas declarações de Marcos Guilherme de que gostaria de continuar jogando pelo São Paulo, os Clubes não chegaram a um acordo e o atacante retornará ao CT do CAJU nesta semana.

O jogador ainda afirmou em entrevista: “Foi o período mais feliz da minha vida”, referindo-se ao tempo que jogou no time paulista.

Pela maioria dos atleticanos, poderia ficar no São Paulo sem problemas. Aqui não joga mais.

PRÓXIMO COMPROMISSO

O Atlético enfrentará o Sport às 21 horas de quarta-feira (06) e seguiu direto para a capital pernambucana após a derrota de domingo.

 

Por Daiane da Luz