Desculpe o transtorno, preciso falar sobre acreditar... no Galo!

Pela Copa do Brasil restam 6 jogos até o tão sonhado título. No Campeonato Brasileiro são mais 11 rodadas até o fim da competição. A escolha será sempre sua: acreditar nessa entidade de força maior, o Clube Atlético Mineiro, ou desistir da batalha, como fazem os pobres de espírito. Mas sei que não me engano, a alma do atleticano não consegue se enquadrar nesta última definição, desistir é um ato covarde demais para quem carrega o escudo alvinegro no peito.

FOTO: Site Oficial Atlético - MG

Lembrem-se que nas piores situações, sempre nos fizemos presentes. Entoamos o nosso mais bonito grito de guerra à luz de berros vindos da garganta, em um uníssono “Lutar, lutar, lutar, com toda nossa raça pra vencer”. Cada um de nós acreditamos no Galo a cada batimento do nosso coração e sabemos que o poder do nosso time vem da capacidade de superar as adversidades que o mundo do futebol impõe. Tal como a Fênix, o Atlético renasce mais forte a cada derrota que lhe é imposta e mostra ao mundo porque o “nosso time é imortal”.

Se alguém lhes disser que o “eu acredito” surgiu naquela Libertadores de 2013, após a defesa do Santo Victor em um pênalti aos 48 do segundo tempo, diga a ele que nada sabe sobre o que é ser atleticano. O ato de acreditar no Galo é intrínseco ao torcedor alvinegro, nós acreditamos na existência dele como condição básica para que a nossa existência na Terra, só assim, valha a pena.

Infelizmente o sangue que nossos corações bombeiam é vermelho. Bem queríamos que fosse, de uma forma ou outra, pintado pelas cores do Clube Atlético Mineiro. Mas não faz mal, a alma de cada alvinegro já é transpassada de listras pretas e brancas e, diferentemente do coração, que um dia para de bater, ela é eterna.

Então, não tenha medo de gritar aos quatro cantos que a atmosfera do ‘ser atleticano’ é muito mais do que o futebol moderno prega. Aos que viveram tempo difíceis, aos que acompanharam o Galo de perto na geral de um Mineirão lotado, àqueles que pouco financeiramente podiam fazer pelo time, mas se mantinham ligados à um radinho sempre sintonizado, à vocês que viram grandes conquistas, que levaram às gerações seguintes o espírito atleticano, o meu muito obriGALO!

Não existe um que seja mais atleticano. Existe a nossa família, unida em um mesmo e único objetivo: VIVER ACREDITANDO NO NOSSO MUNDO PRETO E BRANCO. Então não desistam agora, sejam a força do time quando precisarem, aumentem os decibéis quando juntos dissermos “Galo, a razão do meu viver”, amedrontem os adversários, sejam aquilo que sempre fomos, o combustível que move os nossos jogadores.

"O impossível é uma pedra no caminho dos outros, não do nosso."

Por Júlia Campos - Por você e com você até o final, Galo!

Curta Blog Mulheres em Campo