DESFALCADO SANSÃO

De 1930 a 2015, do primeiro ao último Sansão, as equipes sempre valorizaram esse clássico, que geralmente tem a vitória do time que vive um pior momento, com exceção as decisões, que de modo geral são vencidas pelo time mais organizado.

Mas os são paulinos sabem, mais que ninguém, que essa idéia há tempos já não faz tanto sentido, afinal, o Tricolor não foi muito feliz nos últimos jogos contra o Peixe, principalmente na Vila Belmiro, palco do confronto desse domingo (27), às 18h30 (Brasília), pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. A última vitória do Soberano contra o Alvinegro Praiano foi por 3x2 no Morumbi, pelo 1° turno do Campeonato Brasileiro, em 3 de junho de 2015. De lá pra cá, as equipes se encontraram nove vezes, sendo sete derrotas e dois empates para o time da capital.

Antes de encarar a equipe da Baixada Santista, o São Paulo recebeu no Pacaembu o ameaçado Botafogo de Ribeirão Preto, na última quarta-feira (23).

O jogo nem de longe foi como a torcida tricolor esperava que fosse, mas o gol saiu e os três pontos vieram, permitindo que a equipe do Morumbi respirasse um pouco mais aliviada. A vitória veio em um momento onde só se apontam os erros do clube, e de fato, o torcedor não pode se iludir por seu time ter vencido o Pantera, após fazer uma partida horrorosa.

O clássico contra o Santos será o terceiro jogo do Tricolor com rivais diretos. Em dois jogos nessa temporada, Corinthians e Palmeiras, duas derrotas, o que só aumenta ainda mais a "obrigação" que o São Paulo tem em sair da Vila com a vitória e os três pontos, e apesar do Peixe entrar em campo bem desfalcado, sabe-se que ainda assim não será fácil, pois o Tricolor também não terá um de seus principais jogadores.

Edgardo Bauza terá pela frente um desafio, já que perdeu e não poderá contar com o seu melhor jogador, Paulo Henrique Ganso, que cumprirá suspensão automática após levar o 3° cartão amarelo na partida contra o Botafogo, na quarta. O camisa 10 tem feito a diferença nos últimos jogos, inclusive por dar assistências e até mesmo marcar gols. Sua ausência, com certeza, será sentida e refletida em campo, mas espera-se que o técnico saiba o que fazer pra suprir essa necessidade.

(Imagem: Sergio Barzaghi/Gazeta Press) 

Patón lamentou bastante o desfalque.

"O Ganso é um dos jogadores mais importantes da equipe e obviamente pelos gols e assistências. Sem ele, perdemos precisamente isso, porque ele está em condições de fazer. Tem as condições necessárias. Para o jogo contra o Santos vamos ver o que fazer. São vários jogadores que não estão à disposição, e vamos determinar quem são os melhores pra essa partida", afirmou o treinador.

Sem poder contar com Lyanco, Rodrigo Caio e Mena (acompanhando suas seleções), Wesley e Rogério (lesões musculares), Wilder (contratura na coxa esquerda), Renan Ribeiro (recuperação de cirurgia de apendicite) e Breno (tendinite no joelho direito), Bauza também não manterá o esquema tático utilizado no último compromisso.

O meia Michel Bastos, que estava afastado desde o clássico diante do Palmeiras por ter sofrido uma contratura muscular na mesma região da coxa direita, lesionada na derrota para a Ponte Preta, participou normalmente do treino dessa sexta-feira (25). Ele poderia voltar ao time e atuar no clássico, mas foi vetado pelo departamento médico, após ser constatado que o jogador ainda não possui as condições físicas necessárias para atuar em uma partida. A ausência do camisa 7 dará lugar a João Schmidt, que vem se destacando a cada oportunidade recebida. O volante Thiago Mendes,  que cumpriu suspensão automática por ter levado o cartão vermelho no jogo contra o Ituano, estará disponível e poderá atuar no Sansão.

Na quinta-feira (24), enquanto os jogadores que atuaram na quarta durante os 90 minutos faziam exercícios regenerativos no Reffis com os preparadores físicos, Bauza comandou um trabalho técnico em campo reduzido com os atletas que não passaram muito tempo na partida.

(Imagem: Site Oficial do São Paulo)

Já nessa sexta-feira (25), após mais exercícios de fortalecimento muscular, houve um aquecimento, antecedendo um treino tático comandado pelo técnico argentino, que dividiu as atividades em dois momentos. No primeiro, investidas foram analisadas juntamente com o time principal. Em seguida, Patón foi inserindo, aos poucos, outros jogadores, deixando o treino mais dinâmico. No fim das atividades, cobranças de falta foram aprimoradas.

Uma possível escalação foi esboçada pelo treinador nas atividades deste sábado, sendo ela composta por Denis; Bruno, Lugano, Maicon e Carlinhos; João Schmidt, Hudson e Thiago Mendes; Daniel e Centurión; e Calleri.

(Imagem: Felipe Espindola / saopaulofc.net) 

Pelo lado alvinegro, o Santos de Dorival Júnior, sem a presença de peças importantes como Ricardo Oliveira, Lucas Lima e Gabriel, poderá ir a campo com Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Alisson, Rafael Longuine e Serginho; Paulinho e Joel.

A arbitragem ficará por conta de Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, acompanhado dos assistentes 1 e 2, Danilo Ricardo Simon Manis e Luiz Alberto Andrini Nogueira, respectivamente. Alessandro Darcie será o quarto árbitro.

Que o São Paulo possa sair com a vitória no "clássico dos desfalques", e que os três pontos sejam apenas três, de muitos que ainda estão por vir. Afinal, nessa altura do campeonato, não dá pra deixar passar pontos tão preciosos, não é mesmo?!

 

Renata Chagas