DEVOLVAM O NOSSO TIME!!!

 

(Foto: Divulgação / GEB)

 

Os costumeiros leitores da coluna vão reparar que este pós-jogo vai ser bem atípico, mas vamos combinar que cabe ao momento que por si só também é. Afinal, o que vimos na noite desta sexta do azar no Bento Freitas contra o Juventude não foi um jogo. Foi um verdadeiro show de horrores.

É possível perceber que a coisa está feia quando tu não sabe nem por onde começar. Nós empatamos o jogo em 1x1, mas poderia ter sido muito pior. O time segue levando gols bobos, cometendo erros drásticos na marcação e deixando espaços absurdos para os adversários. Mas nós sabemos que piora, quando chegamos no meio de campo.

Do meio pra frente, o time praticamente inexiste. Michel parece que está sempre dormindo, não ganha uma bola disputada com o adversário. Sousa é de longe um dos piores caras que eu já vi pisar no gramado da Baixada, com todo o respeito. Luiz Eduardo entrou em campo? Nem fiquei sabendo. Leandro Leite já passou do tempo.

Não tenho problema nenhum em vir aqui dizer que parece que só temos um cara que joga de verdade, que dá a vida pela camisa dentro de campo: Éder Sciola. Nosso artilheiro na temporada, percorre o campo todo ajudando no ataque e na defesa, além de ter numa bela matada de bola iniciado a jogada que rendeu o gol de Valdemir.

Mas uma andorinha só não faz verão. Queria saber se a direção enxerga o mesmo jogo que nós, enxerga que estamos colocando um trabalho incrível de anos no lixo. Enxerguem que colocaram no comando um treinador que cruza os braços e finge que nada acontece enquanto o time não joga nada. Enxerguem que temos caras bons no banco enquanto tem gente que não deixa a titularidade por nada.

Se torna cada vez mais difícil não pensar naquela dolorosa palavrinha que começa com a letra “R” que por enquanto eu prefiro nem citar. Foi quase impossível não ver este filme de terror passando pela minha cabeça enquanto assistia ao time com lágrimas nos olhos na noite fria desta sexta-feira. A cada rodada, só afundamos mais e mais.

Ainda assim, apesar de tudo, não desistirei. Estarei contigo a cada jogo, acreditando até o final. Pois a minha esperança nunca morre, eu não nasci xavante à toa. Sempre soube que não seria fácil e aconteça o que acontecer, eu nunca desistirei de ti. As tuas cores são mais importantes do que todo este descaso que vem sendo feito.

Vou manter a fé até o último apito. Pois vencer é a nossa causa e lutar é a nossa sina.

 

De quem te ama e nunca vai te abandonar,

Alice Silveira