Dia de Grêmio, dia de amor!

 

 

E nesse dia dos namorados diferente, prestigiando o Grêmio na Arena, o Tricolor furou a retranca do Bahia e venceu por 1 a 0, no duelo válido pela 6ª rodada do Brasileirão. O gol saiu dos pés de Cortez, aos 41 minutos do segundo tempo, após cobrança de escanteio. O time de Renato segue 100% em casa no Brasileirão e na cola do líder Corinthians.

 

 

Foto: Lucas Uebel para Grêmio FBPA

 

 

Mesmo sendo 12 de junho, o clima da partida não foi de muitos amores não. Foi um jogo chato de ser visto, devido à cera dos baianos, o que definitivamente ninguém merece! O Grêmio merecia ganhar, fez tudo para ganhar, quis jogar contra o Bahia que nada queria além de fazer cera técnica, retranca e perturbar no jogo.

Claro, que o Grêmio não começou o jogo marcando e pressionando, mas rapidamente tomou a dianteira ao tentar propor. O time, porém, encontrou dificuldade para infiltrar e criar chances perto do gol de Jean.  O tricolor gaúcho sentiu muito a falta de Barrios na referência do ataque, que, lesionado, não pôde ir a campo.

Somente a partir dos 20 minutos da primeira etapa que a equipe de Renato Portaluppi começou a fazer o time baiano se defender. O Tricolor chegou a ter 67% de posse de bola, mesmo assim não conseguia chegar ao gol, tendo pouquíssimas chances.
No segundo tempo, o Grêmio aumentou a ousadia na marcação. Pressionava ainda mais a equipe de Jorginho, que tinha extrema dificuldade em manter a posse de bola e pouca capacidade de infiltração na zaga baiana, o que resultava em poucas oportunidades criadas. 

Com o passar dos minutos o torcedor apaixonado, que vinha apoiando começou a ficar impaciente. E nosso Grêmio sentiu a pressão. As entradas de Everton e Fernandinho não mudaram muita coisa, e o 0 a 0 parecia inevitável. Mas Cortez salvou o dia dos namorados, aproveitou desvio de Geromel após a cobrança de escanteio e garantiu a vitória da equipe da casa e a alegria dos casais apaixonados.

 

 

Fotos: Arquivo pessoal

 

 

Vamos meu Grêmio, queremos a Copa!

Saudações Tricolores!

Por Kamila Costha