Dos males, mais um: a arbitragem

"Esse merda desse juiz tem que ser preso. Ninguém aguenta mais ser roubado neste Brasileiro. Desse jeito é difícil" Rithely 

 

"Não tem como brigar de igual para igual. Não é por elenco, mas porque algumas pessoas não deixam" Everton Felipe 

 

"Às vezes da vontade de sair de campo em jogo mesmo, mas não saio pela camisa que eu visto e sei que tem muita gente que torce por nós" Diego Souza 

 

Essas são declarações que aparentam ser sensacionalistas e apelativas, que por muitas vezes as pessoas ao ouvir acabam sorrindo e tratando como ‘choro de perdedor’. É preciso abrir os olhos e enxergar que vai muito além disso. 

 

Seguindo o regulamento do campeonato brasileiro, alguns times brigam pelo titulo, outros ficam em situação confortável no meio da tabela, e enquanto isso, na parte de baixo há a luta contra o rebaixamento.  

 

Agora chegamos ao ponto x da questão: Ao iniciar o campeonato, todos os 20 times tem chance de titulo? Por que dizem que alguns times já entram no campeonato rebaixado? 

 

Como se não bastasse a elitização do futebol, o favorecimento das federações, a mídia vendida que possuímos e as cotas desiguais da televisão sem uma justificativa real, agora também sofremos com uma arbitragem manipulada e suja. 

 

Foto: Agência Getty Images

 

De que adiante o time entrar em campo, jogar na raça e com garra, se o homem do apito vai manipular o resultado e mudar a historia do jogo de uma forma que seja de acordo à instituição superior do futebol brasileiro? 

 

Cotas desiguais, juízes desiguais. Mas os preferidos sempre são os mesmos, acabando com o planejamento dos times médios e pequenos. 

 

A reta final do Brasileirão é mais uma tapa na cara de quem acredita em mudanças no futebol. Os jogos seguem decididos em erros de arbitragem e a pressão dos dirigentes sobre os homens do apito é muito mais útil que tática e jogo. E assim seguimos vendo as falhas da arbitragem estão se tornando uma coisa padrão do futebol brasileiro. 

 

Esse texto não foi feito especificamente contra algum time, foi feito apenas para expor a tristeza de ver gestores que deixaram a dinâmica de jogo, treinamentos e amplitude de lado, e aderiram à estratégia de apenas dar um aperto no arbitro antes do jogo. Complicado e deprimente. 

 

Seguiremos falando sobre futebol e o jogo de futebol, que é apenas o que nos resta para tentar mudar algo.  

 

A única certeza que temos é que os jogadores serão punidos pelas declarações, e a arbitragem, que é o inicio de todo problema? Segue o jogo. 

 

Beatriz Cunha