E agora?

 

Sem explicações o torcedor entra no desespero: QUE TIME É ESSE?’

Foto: Globo Esporte

 

E mais uma vez vimos um time ruim, o torcedor nem se pergunta mais o que está acontecendo, nós não procuramos mais respostas. Depois da derrota de 1x0 no Couto pereira, o torcedor chega ao desespero. Estamos preocupados, quase na metade do ano, e o time que mais se reforçou na janela de verão, não apresenta ritmo e tática nenhuma. O mais concorrido a papa-títulos desse ano, não tem ao menos padrão de jogo.

Além das mudanças de técnico que atrasaram a evolução do time, o professor ainda tem que lidar com as lesões, as convocações e poupar jogadores por causa do calendário agressivo e apertado. Com curto tempo para treinamento, vimos um time desentrosado, com rendimento muito abaixo das expectativas que a torcida e a mídia depositaram em nós no começo do ano. Logo a pressão se torna absurda dentro e fora de campo, cada horas temos um culpado, mas será que existe apenas um culpado?

 

PRIMEIRO TEMPO:

O técnico armou o time em 4-4-2, fez a proteção com Felipe Melo e Thiago Santos, Tchê Tchê e Bastos armando e Keno e William mais pra frente, a escalação sem muitas invenções até que foi bom, o time começou no estilo ‘Cuca’ fazendo pressão no começo de jogo, o verdão nos primeiros 10’ minutos atacava rápido, aproveitando os espaços que o coxa deixava no meio de campo, a marcação do coxa era alta, mas deixava a defesa muito exposta.

 

Foto: Globo Esporte

 

Aos 2’ e 6’ o Palmeiras teve duas chances boas com Keno, mas aproveitou. Depois dos 12’ as chances diminuíram, o Coxa conseguiu encaixar a defesa, e o Palmeiras dificilmente rondava a área. Tivemos meio milhão de escanteios, e nenhuma tentativa de ‘cucabol’, o time morreu ali, e só chegou ao ataque aos 30’ com uma triangulação entre Melo, Mayke e Keno. Aos’ 37 o coxa teve a sua primeira finalização, mas o prass (com dificuldade) pegou. O juiz apita o final do 1T.

SEGUNDO TEMPO:

Sem mudanças, os times voltaram cabreiros do vestiário, sabíamos que o time que fizesse o gol no começo da última etapa levaria o jogo, e foi exatamente assim que aconteceu. Em uma jogada que começou com o Marcio, e foi até o volante Galdezani que surpreendeu toda a defesa do Palmeiras, e encobriu o Prass. E o Coxa abre o placar, 1x0.

Cuca então trocou Thiago Santos pelo Veiga, abrindo o time no 4-2-3-1 que ele tanto gosta, mas o time teve problemas para se articular e só foi ameaçar o gol de Wilson lá pelos 16’.  Egídio em mais uma partida horrível, foi substituído por Hyoran, levando assim o Michel para a lateral. E aos 23’ mais uma chance por cima, com a cobrança de falta do Bastos, mas não deu novamente.

Aos 35’ com defesa do Palmeiras TOTALMENTE aberta, Thiago Real fez uma jogada pela esquerda, e errou o gol de uma forma medonha, colocando o Palmeiras no jogo, então o Cuca sacou o Mayke e colocou Roger Guedes – Tchê Tchê que rendeu pouco o jogo todo foi para lateral – o time mudou novamente de esquema, indo para o clássico 4.3.3, não tinha erro, era a hora do gol, mas sem treino o esquema não funcionou, com jogadores bons e esquema agressivo o verdão só conseguiu atacar aos 45’. O Coritiba conseguiu controlar a bola nos últimos minutos, e levou a vitória sem problema algum.

 

Fim de jogo:

O técnico tentou 3 diferentes esquemas, e nenhum deles funcionou muito bem. O calendário vem mostrando a falta de tempo para treinar, o nosso ataque acabou no momento em que o Coxa conseguiu organizar a parte defensiva.

O clube atravessa um momento político delicado, depois de 4 anos de um avanço intenso em diversas áreas, o presidente não conseguiu seguir esse avanço. E com uma investidora da oposição, e um monopólio com Mustafá, vão aos poucos acabando com o time. O que resta é apoio e mais apoio do torcedor. A nossa obrigação no sábado, é ganhar ou ganhar.

 

DE TORCEDOR PARA TORCEDOR – ISABELLA BRIGNOLI

AVANTI PALESTRA