E AI EDNO, VAI DEIXAR É?

 

Jogador Kieza durante jogo. Foto: Site Globo Esporte 

 

Com toda convicção o Náutico não é o mesmo em campo desde o jogo contra o Botafogo-RJ, isso por que não quero levar em consideração os empates no início da temporada.

Neste domingo (1), o Náutico foi atropelado pelo Santa Cruz em mais um Clássico das Emoções e perdeu por 2x0 no Campeonato Pernambucano.

Primeiro tempo e em 7' de jogo após uma queda de mal jeito o zagueiro Ronaldo Alves machucou o tornozelo e foi substituído por Lombardi, todo mundo suspeitava que não iria dar bom.

A postura do time foi nada ofensiva o primeiro tempo todo, o Santa chegava com facilidade na área porém ainda estava encontrando dificuldade para sair da marcação e balançar as redes, a maioria dos chutes eram a longa distância.

A única chance do Timbu foi com Hereda aos 33', como sempre o lateral mostrando potencial enquanto o time parecia morto.

O primeiro tempo acabou e se esperava uma bronca ao menos valendo no vestiário para que o time voltasse melhor em campo.

Segundo tempo e bola rolando, nada mudou para ambos lados e não estou falando só de escalação pois a postura do Timba permaneceu a mesma já levando susto no comecinho na cabeçada de William Alves aos 2'. 

Era só o começo, aos 5' Mayco Félix quase marcou sozinho pro Cobra Coral mas não passou por Jefferson (gratidão a este homem), que fez a melhor defesa do jogo nesse lance. O tal do Mayco Félix ainda deu uma cabeçada para fora aos 6' após batida de escanteio.

E aos 19' o Santa marca o primeiro gol com Vitor Rangel após falha na zaga de Lombardi, como eu disse no princípio já era certo que o Lomba ia aprontar.

A primeira chance de gol no segundo tempo foi aos 29' com Kieza que bateu desequilibrado na cara do gol e o goleiro Maycon Kleiton pegou.

E aos 34' cruzamento de Felipe Gabriel na área o Willian Alves marcou de cabeça, gol esse que deveria ter sido anulado pois a posição do camisa 3 do Santa Cruz era ilegal mas isso só poderia ser analisado pelo VAR que a FPF não colocou no Campeonato.

A boa chance do Náutico veio aos 41' com o chute de Willian Simões que quase marcou um golaço. E pra finalizar Jorge Henrique acordou e também quase marcou aos 49'. (O problema todo é o quase.)

O árbitro apitou o final do jogo no Arruda.

Não sei se notaram mas quase não foi citado atitudes em campo do Náutico por um simples motivo, não houve nenhuma. Não se via ou ouvia falar em Jean Carlos, Erick se jogou eu nem vi. O Náutico estava completamente entregue.

Com esse resultado o Náutico desce para 4ª posição e precisa ganhar do Retrô no próximo domingo (8), nos Aflitos para se manter no G4. 

Que sirva de lição e que a diretoria futebol do time tenha alguma para que sejamos o Náutico campeão brasileiro em 2019.


 

Por: Daleth Dantas

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.