ELIMINADO?! NÃO! CLASSIFICADO!

Ninguém acreditava, mas deu São Paulo!

Na noite de ontem, às 21h45 (BSB), o Atlético Mineiro recebeu o São Paulo na Arena Independência, em Belo Horizonte, pelo jogo de volta das quartas de final da Libertadores.

(Imagem: Twitter @CASSIOBARCO)

Com a vantagem consolidada no primeiro duelo, o Tricolor poderia empatar ou até perder por 1 gol de diferença para conseguir a classificação, mas nos 90 minutos finais dos 180, muitas surpresas estavam por vir.

Patón escalou o time com força máxima para a partida, com Denis no gol; Bruno e Mena pelas laterais, acompanhados de Maicon e Rodrigo Caio, fazendo a linha de quatro zagueiros; Hudson e Thiago Mendes como volantes, auxiliando Paulo Henrique Ganso, o meia-armador; Kelvin e Michel Bastos pelas pontas, e Calleri como o homem de referência.

O São Paulo sabia que os primeiros minutos seriam de muita pressão por parte dos atleticanos, que precisavam de 2 gols para a classificação direta ou 1 gol que pudesse levar a decisão para os pênaltis.

Apesar do bom desempenho dos jogadores tricolores, logo nos primeiros 11 minutos um filme passou pela cabeça dos são-paulinos, que viram sua equipe tomar 2 gols, exatamente aqueles que o Galo precisava.

O primeiro tento saiu aos 6 minutos, quando Marcos Rocha invadiu a área pela direita e chutou, mas Denis espalmou. No rebote, Cazares finalizou e o próprio Denis desviou para o gol, talvez por influência do destino.

Era impossível aceitar que mais uma vez o arqueiro tricolor tinha falhado de forma tão absurda, num momento tão importante e decisivo para os são-paulinos.

Com 1 a 0 no placar para os anfitriões, o jogo encaminhava-se para os pênaltis, tudo o que o torcedor do São Paulo não queria. Sobre isso não é necessário muita explicação, afinal todos sabem o motivo, né?!

Cinco minutos depois, aos 11, o pior pesadelo começava a se tornar realidade. Douglas Santos fez um cruzamento pela esquerda, e Carlos apareceu sozinho, ampliando o placar.

Galo 2 a 0. Horto lotado, torcida atleticana em massa e feliz da vida comemorando a classificação, que agora parecia bem mais distante dos são-paulinos.

Mas quando tudo parecia ir por água abaixo, o Tricolor não se intimidou, e continuou buscando chances, afinal faltava muito tempo para o término da partida.

E não demorou muito para a oportunidade de ouro chegar. Aos 14 minutos, em uma cobrança de escanteio pela direita, Kelvin mandou a bola na área e Maicon, aproveitando a falha de Victor, subiu mais alto que os outros e cabeceou para o fundo do gol!

  

(Imagem: REUTERS / Washington Alves)

Balde de água fria no Galo, festa da torcida e muita comemoração dos jogadores... A classificação estava de volta para as mãos do Tricolor!

Tendo que fazer mais um gol para continuar vivo na competição, o Atlético Mineiro foi pra cima, pressionando ainda mais os comandados de Bauza, mas os dois times tiveram chance de fazer gols, inclusive com os conterrâneos Lucas Pratto e Calleri.

Com queda de rendimento no final do primeiro tempo, o jogo ficou truncado até o último minuto.

Na etapa complementar, novamente o Galo pressionou o São Paulo, que aguentava o tranco aproveitando os contra-ataques e as bolas paradas. Ganso ainda teve a oportunidade de empatar, mas a bola ficou com o goleiro atleticano.

O Atlético mantinha o Tricolor em seu campo de defesa, e quase marcou o terceiro com Clayton, que chutou pra fora, após ficar de frente para o gol.

Denis ainda teve tempo de fazer boa defesa, quando Leonardo Silva subiu sozinho na área. O goleiro rebateu, e logo em seguida defendeu.

Patón Bauza ao longo do segundo tempo fez suas 3 substituições. Wesley entrou no lugar de Thiago Mendes aos 24 minutos, após o camisa 23 desabar em campo por conta de uma lesão. Aos 32, Michel Bastos deu lugar ao jovem Matheus Reis, e aos 42, Alan Kardec herdou a vaga do argentino Jonathan Calleri.

No jogo, o árbitro mostrou 6 cartões amarelos, sendo 3 para Eduardo, Leandro Donizete e Leonardo Silva do Galo; e 3 para Michel Bastos, Maicon e Kelvin, do São Paulo, e depois um vermelho para o camisa 8 atleticano, quase no fim da partida.

Lucas Pratto ainda teve chance de dar a classificação para os mineiros, após Andrés Cunha marcar toque de mão de Bruno na entrada da área, mas o atacante isolou. Logo em seguida, apito final. 2 a 2 no placar agregado e de “eliminado na fase de grupos” a Tricolor classificado para as semifinais!

Os últimos jogos podem não ter sido bonitos e bons o suficiente para que as pessoas acreditassem que o time chegaria tão longe, mas isso é São Paulo! Isso é tradição!

Que o grupo continue forte e unido, subindo um degrau de cada vez. Talvez assim, ao final de tudo, o Tricolor possa estar novamente no topo do mundo!

 

SEMIFINAL

Primeiro classificado, o São Paulo aguarda o vencedor do duelo entre Atlético Nacional (COL) e Rosário Central (ARG) para poder conhecer o seu adversário. Os argentinos venceram por 1 a 0 o jogo de ida, e a volta acontece nesta quinta-feira, às 22h45 (BSB). Boca Juniors (ARG) e Nacional (URU), que ocupam o outro lado da tabela, brigam pela outra vaga. Se as duas equipes argentinas avançarem nos respectivos confrontos, precisarão se enfrentar, segundo o regulamento da Libertadores, que obriga o jogo entre equipes do mesmo país. Caso isso aconteça, o São Paulo enfrentará o vencedor de Pumas (MEX) e Independiente Del Valle (ECU).

Os jogos do Tricolor pela semifinal serão nos dias 06 e 13 de julho, ambos às 21h45 (BSB). Vale lembrar que o primeiro confronto será no Morumbi.

(Imagem: Mauro Horita / saopaulofc.net)

 

Renata Chagas